lua de mel
Economia

Vamos falar de Lua de Mel!

O espírito de jornalista é aventureiro e treinado pra viver fortes emoções. E o que isso tem a ver com casamento? É que a noiva em questão, hoje, é uma jornalista bem “afoita”, no linguajar mais nordestino: a querida Cíntia Ribeiro. Fico muito feliz em contar a história dela porque, pela primeira vez, vamos falar de LUA DE MEL! U-hu!!! 😀 E esse causo vai inspirar muita gente, viu?!

Bom. Alguns casais investem na festa, outros na cerimônia… Há também os que priorizam a casa nova e, com tantos compromissos, muitas vezes, o dinheiro acaba antes dos planos chegarem à lua de mel, estou certa? Então, com a Cíntia e o Eudes foi desse jeitinho também. A ficha caiu seis meses antes do casório, quando a noiva decidiu cuidar do assunto.

Meu sonho era ter uma lua de mel, daí fui a uma agência de turismo ver alguns pacotes. Ao chegar lá, fui surpreendida com os valores absurdos. Veja só, quatro dias em Porto de Galinhas (PE) me custariam mais de 10 mil reais! Isso, incluindo passagens aérias, Palmas/Recife. Quase morri de chorar quando saí de lá, porque eu não tinha toda aquela grana!

Acontece que essa noivinha não estava nenhum pouco disposta a abrir mão da tão desejada viagem. Pediu socorro ao primo, Douglas, que também seria padrinho do casamento. “Pai Google” ajudou, os dois conseguiram levantar uma lista de hotéis e começaram a ligar até que encontraram o lugar perfeito: uma pousada linda de frente pro mar no destino que ela sonhou. Sete dias de hospedagem com café da manhã custaram 1.800 reais. Fechou! Partiu? E agora, vamos como? O casamento seria em Gurupi, Tocantins, onde os pombinhos moravam. As passagens de avião, em pleno janeiro, estavam de matar! Aí entra o noivo com a saída de mestre!

Liguei pro Eudes e ele disse: Vamos de carro! Eu nunca tinha feito uma viagem desse tamanho e ele, embora tivesse muito costume de dirigir, também nunca tinha guiado tantas horas seguidas… Mas claro que eu topei!

O fato é que os dois foram ainda mais espertos e corajosos. Depois do casório, eles mudariam de vez pra Fortaleza e aproveitaram a “deixa” da lua de mel pra levar a “mudança” até o Ceará. A festa aconteceu no sábado, 8 de janeiro de 2011. Aliás, começou, porque só terminou às 3 horas da manhã do dia seguinte. Às 9 horas, os recém-casados, muito dispostos, deixaram a cidade em uma Saveiro, lotada até o topo com tudo o que  tinham, inclusive os “milhares” de presentes que ganharam, rumo à Terra do Sol.

O importante era ter um pouco de grana pra não ficarmos no prego (o carro quebrar), no caso de uma emergência, mas nada de muito dinheiro, já que não tínhamos mesmo! Hahaha. Não conhecíamos a estrada. O Eudes pesquisou bem a rota no Google, que ė sempre tão camarada. Até Fortaleza, 2 mil quilômetros. Chegamos, desfizemos a carga e partimos de novo! Acho que para se fazer esse tipo de coisa tem que ter coragem, além de qualquer outra coisa, e espírito aventureiro também, claaaro!

lua de mel - estrada

Mais umas centenas de quilômetros rodados até Pernambuco.

Paradas? Apenas para abastecer o carro, esticar as pernas, ir ao banheiro ou, quando dava sono. Dormíamos em qualquer canto que desse pra encarar, né? Hahaha. Ou mesmo dentro do carro em um posto de combustível seguro. Aventura total!

Foram dois dias ao volante e, finalmente, eles atracaram em Porto de Galinhas. Bem-vindo o  descanso merecido e o melhor: a viagem toda saiu por cerca de 3 mil reais! Foi ou não foi o desfecho perfeito?! Tá todo mundo agora pensando: Poxa, porque eu não fiz uma road trip com o maridão ou com a senhora, né? Sério!!! Hahaha.

lua de mel

Passeamos muito. Só a vantagem de estarmos no nosso carro e podermos ir pra qualquer lugar, sem ficarmos reféns de táxis, ou termos que comer em lugares caros por não termos como sair, nossa. Conhecemos todas as praias da redondeza. Foi simplesmente o melhor passeio que fiz na vida.

porto de galinhas

porto de galinhas

Agora, tirem um segundo pra imaginar quanta coisa linda esses dois pombinhos encontraram pelo caminho. O roteiro incluiu mais de 30 cidades entre Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba e Pernambuco.

Faríamos tudo novamente! Jovens, recém-casados, apaixonados,  sem dinheiro, mas com vontade de aproveitar cada segundo da tão sonhada lua de mel.

porto de galinhas

A lua de mel recompensou tudo!

A viagem dos sonhos abriu o novo ciclo na vida desse casal, mas vocês acham que foi só moleza? Que nada! A lua de mel foi o presente do destino pra recompensar a dorzinha de cabeça que a nossa querida jornalista teve na noite do casório. Acharam que eu ia deixar vocês sem os bastidores da festa? Vou explicar e tudo vai fazer sentido.

Sabe a velha fama de que noiva sempre atrasa? Coitadas de nós! Depois do casamento, a gente percebe que todo e qualquer problema que acontece na hora H é maquiado rapidamente pra não assustar os convidados que, por sua vez, ficam com a plena certeza de que TU-DO saiu exatamente como o planejado. Hahaha. Mas os imprevistos sempre geram aquele atraso e a forma mais comum de tranquilizar a multidão é colocando a culpa em quem? Na pobre da noiva! Afinal, somos as únicas com quem ninguém vai encrencar, né? Hahahaha.

Bom, a Cíntia, que não gosta nem pouco de atrasos, chegou, pontualmente, às 7 horas da noite na porta da igreja. Ficou esperando e ninguém dava sinal para que ela saísse do carro. Passou quase uma hora e o desespero começou a bater.

Eu pensava tanta coisa. Pensava que o Eudes tinha desistido. Hahaha. Daí mandaram um recado dizendo que tinha dado problema com uma dama. Mandaram meu primo pra me entreter. Ele ligou o som do carro na maior altura, tocando funk! Hahaha.

Enquanto ela aguardava, inocentemente… Na igreja, a confusão era grande. Tudo porque  as benditas rosas não haviam chegado! Ai, ai, ai, de novo? Lembram do caos com as flores no meu casamento, né? (Se não, leiam aqui). Tô tremendo só de pensar!!! Acontece que, na época, tinha uma moda de entregar um botão de rosa aos padrinhos, pra que eles jogassem as pétalas nos noivos no final da cerimônia. O problema é que a moça (pra não soltar um palavrão) responsável por entregar essas rosas para os 24 PARES DE PADRINHOS (era esse tanto mesmo!!! 🙂 ) desapareceu! Todos saíram em busca de uma floricultura que estivesse aberta depois das 8 horas da noite e nada. Finalmente, a irmã da noiva, Karinne, descobriu uma florista que morava nos fundos da loja. Ligou na hora pro número que estava na placa. Manja a conversa:

– Karinne: Moça, eu preciso urgentemente de flores.  😥

– Florista: É coroa pra velório?  😯

Hahaha.  😆

Aff, o povo só pensa em desgraça, nam!

Explicado que ninguém tinha morrido e que a encomenda era para um casamento, a florista aceitou o pedido e foi tratar de tirar todos os espinhos de cada uma das rosas. Já eram quase 10 horas da noite, quando o casamento começou. E a noiva nem desconfiava do que tinha acontecido, apesar de ter levado a “fama de atrasada”.  :mrgreen:

Finalmente eu entrei na igreja. A tensão já tinha até passado e entrei sorrindo! Comédia total. Depois que eu soube! Se tivessem me contado, é claro que eu diria que começasse sem as flores, minha gente! Mas, tadinha da minha irmã, ela queria que tudo saísse conforme eu tinha sonhado e correu atrás. Pense num tanto de flor! No fim da cerimônia, jogaram as pétalas, foi super legal!

saída dos noivos

Viram como depois da tempestade sempre vêm muitos raios de sol?! E, pra completar, a vida ainda pode te oferecer um arco-íris! Hoje, quatro anos depois das aventuras que marcaram o começo da vida a dois pra Cíntia e pro Eudes, recebi a linda notícia de que o Isaque está a caminho! Toda a alegria do mundo pra essa família que está crescendo! <3

No Próximo Post…

A lista de convidados é um dos pontos mais tensos da organização do casamento. E quem nunca se pegou “naquela situação” esquisita com os que não puderam ser chamados para o casório, hein? Na semana que vem, o Causos de Noiva vai tratar desse tema polêeemico, com uma pitadinha de leveza, porque a gente merece né? Não percam!

 


Previous Post Next Post

You Might Also Like

8 Comments

  • Reply Adriele maio 25, 2015 at 1:47 am

    Menina!!! Quem tem uma irmã carinhosa como a sua não precisa de cerimonialista!! Agora como boa nordestina que sou, fiquei super curiosa aqui… Pelo amor de Deus, me diga que hotel foi esse!!! Ajudem uma noiva desesperada a 6 meses do casório que ainda não tem destino (e nem muito dinheiro) pra lua de mel!!!

    Ah… e parabéns pelo blog! Conheci ontem e já virou meu melhor amigo!! rsrsrsrs
    Até já me inspirei pra casar num parque que tem aqui na minha cidade… Agora é só saber se vão autorizar… rsrsrsrs

  • Reply Nilza fevereiro 27, 2015 at 1:42 pm

    Lembro-me como se fosse hoje do casamento da Cintia com o Eudes. |\\\\\\\\\Alem de sobrinhos eu tambem era uma das madrinhas. Sabendo de tudo que estava acontecendo, fiquei morrendo de pena da noiva que sempre e tão correta e pontual em tudo que faz. Mas valeu a pena. Foi uma festa maravilhosa…

    • Reply Tayce Bandeira março 1, 2015 at 3:49 pm

      Imagino o sufoco, Nilza, mas depois que passa é sempre uma aventura pra gente recordar e rir bastante, né? A Cintiazinha, inocente, esperando no carro, sem fazer idéia do que estava acontecendo! Hehe. Todos acabam nos protegendo pra não aumentar a tensão, afinal é muita emoção pra um dia só! Esses imprevistos que fazem a graça e nos dão muita alegria pra recordar! Até porque, no fim, tuuuuuudo se revolve! 😉

  • Reply Karinne Ribeiro fevereiro 26, 2015 at 8:35 pm

    eu por sinal sou a irmã da noiva…rsrsrs… De fato foi correria total… Mas, só de vê a alegria no rosto dos noivos (sem nem imaginar o sufoco…rsrsrs) valeu toda a correria… depois de tudo, foi uma noite incrível, linda e abençoada… Faria tudo novamente se fosse preciso… rs 😉
    parabéns pelo blog, é maravilhosooo…rsrs

    • Reply Tayce Bandeira março 1, 2015 at 3:56 pm

      Karinne, você foi muuuuuito esperta, viu, menina?! Arrasou demais, solucionando o problema no ato!!! Muito bom ter uma irmã assim por perto, hein?! A Cíntia é super sortuda! Obrigada pelo carinho, adoramos contar essas histórias inspiradoras! 😀 Um beijo bem grande! :*

  • Reply Karinne Ribeiro fevereiro 26, 2015 at 7:31 pm

    Eu por sinal sou a irmã da noiva…rsrsrs… De fato foi correria total… Mas, só de vê a alegria no rosto dos noivos ( sem saber do sufoco) rsrsrs… valeu toda a correria… foi uma noite incrível, linda e abençoada… Faria td novamente se fosse preciso… 😉

  • Reply Cintia Ribeiro fevereiro 26, 2015 at 7:29 pm

    Que gracinha kkkkk Tayce vc conseguiu contar a história nos mínimos detalhes … deu até um frio na espinha de me lembrar da correria daqueles dias. Obrigada pelo carinho ! Vcs arrasam nesse blog

    • Reply Tayce Bandeira março 1, 2015 at 3:53 pm

      Cintiazinha, eu que agradeço pelos causos tãaaaao lindos e divertidos que você compartilhou conosco! Bom demais poder contar a sua história com o Eudes e participar dessa nova fase da vida de vocês, com o Isaque a caminho, que só trará alegrias!!! Até eu me inspirei com a road trip que vocês fizeram, quem sabe até planejo uma com o maridão, em breve?! :DD

    Leave a Reply