Browsing Tag

simples e bonito

pre-wedding no colegio
Criatividade, Originalidade

Amor de colégio: pré-wedding com farda e na escola onde tudo começou

Quem lembra daquelas paixonites de colégio? Das implicâncias chatas daquele menino que não sabia como chamar atenção…Do selinho no recreio e, claro, do coro dos amigos:

“Eita, tã na nam…

Eita tã na nam…

Tá na-mo-rannnn-do!

Tá na-mo-rannn-do!”

Esses episódios são clássicos, né?! Agora, quantas de vocês, pelo menos, tem notícia dos garotos que um dia foram paquerinhas na escola? Eu, particularmente, lembro de alguns e acho muita graça de como era tudo muito bonitinho e inocente.

A Mayanara não só lembra, como vive esse amor, que começou dos corredores do colégio Sete de Setembro em Fortaleza, até hoje.

pre-wedding no colegio

Eu conhecia o Pedro só de vista pelos corredores, porque ele era bem popular e tirava brincadeira com todo mundo no colégio 😒 . Por volta de 2004, sem nem me conhecer, nem saber meu nome, ele chegou e disse que eu era muito parecida com a Zuca (personagem da Vanessa Giácomo da novela “Cabocla”) e passou a me chamar assim durante muito tempo. Mas foi no terceiro ano que nos aproximamos e rolou uns selinhos roubados.

pre-wedding no colegio

O frio na barriga ia aumentando cada vez que me aproximava dele. O nervosismo tomava conta como se fosse o primeiro amor. Dias depois, ele mandou um SMS pedindo pra eu chegar cedo no colégio porque queria falar comigo. E foi na cantina do colégio, no dia 21/10/05, sentados nas mesinhas infantis, que ele me pediu em namoro! E é lógico que aceitei!

pre-wedding no colegio

Os dois praticamente descobriram a vida adulta juntos. Compartilharam momentos como o primeiro dia de aula na faculdade, a primeira vez que dirigiram, a primeira viagem, a formatura, o primeiro emprego. Que privilégio, hein?!

Em 2014, o pedido de casamento foi feito em grande estilo, em Fernando de Noronha. Mas, na hora do ensaio pré-wedding, não tinha lugar paradisíaco do mundo que fosse páreo para o local onde tudo começou.

Uma das coisas que me chateava muito era que, em uma das panes que o meu computador deu, eu perdi todas as fotos que eu tinha com o Pedro no colégio. Foi por isso que decidi fazer nosso ensaio lá, onde tudo começou. Foi uma experiência deliciosa naquele espaço depois de 10 anos, prestes a concretizar o que se iniciara ali.

pre-wedding no colegio

Todas as fotos foram feitas com a farda que testemunhou as conquistas e os desafios (e os beijos em todo e qualquer intervalo, né?!) daqueles dias de sala de aula.

pre-wedding no colegio

Mayanara e Pedro disseram sim no altar no dia 21/11/15, com exatos 10 anos e 1 mês de namoro.

E olha só que legal: neste carnaval, o casal irá se juntar a outros ex-alunos em um bloco que vai sair às ruas para celebrar as histórias, amizades e amores que foram criados graças ao querido e amado colégio.  

Veja o Trailer do casamento deles:

TRAILER – Mayanara e Pedro from Vile Filmes on Vimeo.

*Crédito das Fotos: Igor Barreto

casamento por adesão
DIY, Economia, Originalidade

Casamento por Adesão: fica chato?

Não sei se foi minha irmã ou uma das minhas amigas malucas que falou pra mim uma vez, quando estávamos prestes a sair de mãos abanando rumo ao aniversário de uma amiga: “aniversário hoje em dia, meu bem, é moderno. Cada um paga o seu no restaurante e não tem essa de presente, não.”

Eu acho “ótema” essa ideia e muita justa. Todo mundo se encontra no restaurante, pede o que quer comer do cardápio, diverte-se e, no final, cada um paga o seu. Levo presente quando o cartão de crédito ainda tá de buenas (ou seja, no começo do mês 😁), mas quando o negócio tá apertado, vou sem presente mesmo, na vibe da “moderneza da vida”.

Agora vem a parte interessante. Esse estilo moderno de festa não está restrito aos aniversários, não.  Existe o chamado “casamento por adesão”, que vai nessa mesma pegada de convidado paga o seu.

casamento por adesão

Mas e aí, será que fica meio chato pro convidado, esse tipo de casamento? Afinal, não é um aniversário, que você comemora todo ano. É um CASAMENTO, né?!

Então, permitam-me contar um pouco da história da Aline Santos e do Diego para vocês tirarem suas próprias conclusões.

casamento por adesão

Os dois se conheceram em um grupo do Facebook em 2013. Alguns encontros e despedidas depois, vieram o namoro à distância (ele em Brasília e ela em São Paulo) e o noivado, com festa e tudo, em abril de 2014. Contando assim, parece que as coisas sempre foram fáceis e simples. Ledo engano, né, Aline?

Nesse período fiquei desempregada, então os planos de casamento ficaram pra depois, mas a saudade por conta da distância só aumentava mais. Foi então que decidimos casar somente no civil em outubro de 2015.

Eles estavam firmes nessa linha de casar apenas no civil e juntar dinheiro para mobiliar a casa. O problema é que as coisas foram fugindo do controle (conheço bem isso!). Pitacos dali, pitacos dacolá e o casal começou a cogitar a ideia de fazer mais do que um casamento civil.

Meu então noivo sempre quis casar na igreja. Eu preferia usar o dinheiro na recepção e, pra conseguir fazer as duas coisas, optamos pela recepção por adesão, já que não teríamos tempo hábil pra juntar dinheiro pra fazer uma festa e nem disposição emocional pra aguentar mais de mil quilômetros de distância por mais um ou dois anos.

casamento por adesão

E assim eles fizeram uma cerimônia simples e intimista na igreja e o casamento por adesão, no qual o convidado paga um valor X pelo seu consumo na festa, feita geralmente em um restaurante, reservado para aquela ocasião.  

casamento por adesão

Quando chegamos na pizzaria, pra minha surpresa, só tinha mais duas vagas de garagem disponíveis. A pizzaria lotou: 180 pessoas pagantes!!! Foi muito lindo ver todo mundo lá. Como fizemos o casamento por adesão, não coloquei lista de presentes no convite e, mesmo assim, ganhamos muitos presentes. Também não passei sapato da noiva e nem cortamos a gravata do noivo e, ainda assim, ganhamos bastante dinheiro no dia.

A Aline sabe que algumas pessoas não foram justamente por ser uma recepção por adesão. Mas isso não mudou em nada o brilho do momento.

casamento por adesão

Honestamente, não me arrependo nem um pouco do casamento por adesão. Casei sem dívidas, todo mundo amou a pizzaria e a pizza principalmente, saíram todos satisfeitos e felizes, como eu. Deixo aqui minha única dica: convide pessoas importantes pra vocês, porque a única coisa que é feia é usar de etiqueta pra fazer a lista de convidados, já que no fim das contas, você pode servir sanduíche ou lagosta e sempre vai ter gente falando mal. No nosso caso, se teve, eu não fiquei sabendo.

casamento por adesão

Então, e agora, o que você acha do casamento por adesão? Comenta aí pra eu saber sua opinião. 😉

*Fotos: Samuel Campos Fotografia

ensaio de casamento de idosos
Criatividade, Ser esposa

65 anos de amor: ensaio de idosos encanta a internet

Sempre que vejo ensaios de idosos, meu coração se derrete! Através dessas fotos vejo o verdadeiro sentido do casamento, apesar dos inevitáveis golpes do tempo e da rotina diária.

Seu Zeca Leal e dona Ivanira Milfont encantaram minha timeline esses dias. Dos 100 anos bem vividos de Zeca, 65 foram ao lado do seu amor, de 89 anos. O ensaio fotográfico, cheio de doçura, foi pra comemorar esse centenário de vida e as bodas de safira (ou platina) do casal.   

ensaio de casamento de idosos

ensaio de casamento de idosos

ensaio de casamento de idosos

ensaio de casamento de idosos

ensaio de casamento de idosos

Os dois se conheceram em 12 de setembro de 1951. Em 25 de dezembro do mesmo ano já estavam casadinhos. Da união de mais de seis décadas, vieram 7 filhos, 20 netos e 12 bisnetos.

O casal, de fofura contagiante, ficou famoso na internet depois do ensaio, nos moldes desses pré-weddings modernos, feito pelo fotógrafo Breno Rocha, na Fundação Casa Grande, em Nova Olinda, no Ceará.

ensaio de casamento de idosos

ensaio de casamento de idosos

ensaio de casamento de idosos

ensaio de casamento de idosos

ensaio de casamento de idosos

ensaio de casamento de idosos

ensaio de casamento de idosos

Não é pra morrer de amor?

😍😍😍

Créditos: Breno Rocha Fotografia 

arrependimento da festa de casamento noiva descansando
Erros e lições, Ser esposa

10 coisas que recém-casadas fariam diferente na festa

Tem gente que não mudaria nada do que fez. Algumas mexeriam uma coisinha ali e outra acolá na festa. Ainda tem aquelas que tomariam decisões totalmente diferentes. Assim, resolvi reunir aqui algumas coisitas que já ouvi de recém-casadas e que podem ajudar bastante as noivas, cheias de dúvidas. A meta é não ter qualquer arrependimento da festa de casamento. 

arrependimento da festa de casamento

  1. Faça aquilo que você gosta, não o que os outros querem

O casamento é seu. Claro, escute os conselhos de quem te ama verdadeiramente, mas não abra mão do seu estilo, da sua personalidade para agradar os outros.

  1.   Simplifique. Obrigatório mesmo é o amor!

É preciso ter bem-casados? Precisa ter várias crianças como pajem e daminha? Kit disso e daquilo? Forminhas requintadas de docinhos? Carro da noiva? Placa de carro, taças, guardanapos personalizados? Meninas, nenhum detalhe é obrigatório ou “tem que ter”! Se você tem um determinado orçamento, coloque os pés no chão e faça uma festa de acordo com aquilo que você pode arcar. Você irá se arrepender se ficar com dívidas depois de casada.

casamento ao ar livre

  1. Não economize cortando assessoria

É muito difícil você conseguir organizar tudo sozinha. Não digo impossível, mas muito difícil! (Olha essas experiências!)

“Ah, mas a assessoria ou cerimonial só organiza fila”.

Negativo, mil vezes. Ela será seu braço direito durante toda organização do casamento e no dia estará atenta a todos os detalhes, resolvendo todo e qualquer pepino. Se você quer curtir sua festa, não pense em cortar assessoria. Imagine uma situação dessas aqui sem esses anjos da guarda!

  1. Tenha um tempo a sós no dia do casamento

noiva andando sozinha na praia arrependimento da festa de casamento

É muito legal estar com as amigas, a mãe, irmãs, primas, mas você precisa de um momento no dia só seu, sozinha, sem celular, computador, pra descansar a mente e acalmar o coração antes da celebração. Uma dica é ter esse tempo de solitude e colocar no papel os sentimentos daquele instante. É bacana ler o que escreveu depois e recordar toda a expectativa.

  1. Não escolha o vestido de noiva logo que noivar

Muitas noivas disseram que a primeira coisa que fizeram foi escolher o vestido. Provaram alguns poucos e já fecharam. Resultado: puro arrependimento. Durante o processo de organização de casamento, você irá se deparar com dezenas de modelos de vestidos e muitos vão chamar sua atenção. Experimente todos com calma e veja as possibilidades. Às vezes, aquele modelo que você nunca quis pode ficar deslumbrante em você e te surpreender.  

vestido de noiva arrependimento da festa de casamento

  1. Filmagem é realmente necessário?

Quem fez filmagem diz: “nossa, que maravilha! Revivi a emoção do casamento ao ver as cenas”. Quem não contratou uma equipe de filmagem, obviamente, não vai ter essa sensação e nem vai sentir tanta falta, já que ela não provou dessa emoção trazida pelo vídeo do próprio casamento. Ou seja, quem fez faria de novo e quem não fez diz que não se arrepende de ter só foto. Isso vai depender de você e do seu bolso. Eu, pessoalmente, acho algo bem legal para se investir.

  1. Escolha poucos e bons padrinhos e madrinhas

O que mais eu ouço é: “estou tão arrependida de ter convidado fulano para ser madrinha/padrinho. Pode desconvidar?” Desconvidar não, né, gente. Só em casos extremos!

arrependimento da festa de casamento noiva e madrinhas

Padrinhos devem ser aqueles que você conhece messssmo. Aquele com quem você já brigou, sorriu, chorou, viajou…E não queira encher o altar de pessoas. Não banalize o status de padrinho, convidando Deus e o mundo. Está com uma baita dúvida se deveria convidar fulana para ser madrinha? Na dúvida, deixe-a como convidada apenas. Lembre-se que ser convidado a um casamento também é um privilégio.

  1. Não dê seu dinheiro todo de uma vez

Economizou, se planejou direitinho e tem como pagar tudo à vista? Atenção! Já escutei histórias de profissionais que sumiram depois de receber todo o dinheiro dos noivos. Por precaução, barganhe um bom preço com uma entrada à vista e deixe para pagar o restante quando receber o serviço ou produto.

  1. Não deixe o estresse acabar com a paz do relacionamento

participação do noivo com buquê

As brigas vão acontecer durante os preparativos. É normal! Na reta final pode ficar pior, mas tenha em mente, que, geralmente, os noivos não estão na mesma órbita que as noivas. Eles podem ser mais tranquilões, menos atentos, mais preocupados com a lua de mel do que com a festa, etc. Converse, pergunte o que ele gostaria de cuidar pessoalmente e deixe-o responsável, sem cobranças ou intromissões irritantes. Não desconte seu estresse em ninguém, muito menos no seu noivo. Extravase na academia, na pista de corrida, de dança, etc. 

  1. Se algo não der certo no dia, esqueça!

* Docinhos não estão posicionados certos *

* Lacinhos do guardanapo são de outra cor *

* O fulano faltou *

* A sogra surtou *

Esqueça. Não há nada mais que você possa fazer. Aquele é o momento e você precisa vivê-lo intensamente sem se importar com detalhes que muitas vezes ninguém percebe, só você. Coloque na mente o amor que você sente pelo seu noivo e ele por você e siga em frente, celebrando, festejando, comendo e bebendo como se não houvesse amanhã. Afinal, novamente, o casamento é seu!   😉 

arrependimento da festa de casamento plaquinha

O que mais você acrescentaria nessa lista para evitar arrependimento da festa de casamento?

 

casal projeto uma latinha pra casar casamento simples
Criatividade, Economia

Casal junta latinhas para casar

Só quem está se preparando para casar, sabe o quão difícil é ver esse planejamento sair do papel. Qualquer casamento simples, hoje em dia, come uns bons bolinhos de dinheiro da nossa conta bancária. As tão suadas notas nem chegam a ver a cor do nosso bolso. Isso sem falar nas milhares de coisas que vão além de cartório e festa, como a arrumação da casa, né?!

Se o negócio aperta, os noivos também sabem se reinventar. (Lembram desses dois que vendiam água na praia?) O Bruno e a Ana, juntos há quase dois anos, são exemplo disso.  Pra eles, não tem tempo ruim quando a meta é juntar as escovas de dentes. Colocaram o casamento como objetivo e traçaram um projeto que deve terminar no final de 2016.

casal do projeto uma latinha pra casar casamento simples

Começamos a fazer os orçamentos para o casamento e vimos que não teríamos condições de pagá-lo com nossos salários. No fim de 2015, resolvemos, então, juntar latinhas, já que minha mãe faz isso e eu sempre a ajudava quando podia.

Latinhas de alumínio! De uma em uma, eles vão renovando as esperanças de conseguir fazer o mais lindo casamento, simples que seja. O projeto ganhou até um nome e uma página no Facebook: Uma Latinha para Casar. Simples assim.

banner uma latinha pra casar casamento simples

Vocês tem noção do amor que move esse casal? Quantos teriam a força de vontade deles?

Juntar latinhas não deve ser nada fácil e é preciso muitas para se ter algum dinheiro. Para vocês terem uma ideia, pelo que pesquisei aqui, o quilo da latinha de alumínio vale de R$ 2,40 a R$ 3,70. Para conseguir um quilo, são necessárias 75 latas. Faça os cálculos aí.

Mas como diz o ditado: ter amigos é melhor que dinheiro no bolso. A história do Bruno e da Ana se espalhou pela cidade do interior de Minas Gerais (Itabira), onde moram, e a adesão entre colegas e até desconhecidos foi incrível:

É até engraçado porque eles sempre falam com a gente: “não consigo mais ver uma latinha na rua e não recolher para vocês”. É gratificante ver todos envolvidos com o projeto. Não apenas amigos, mas pessoas que nem conhecíamos antes.

latinhas do projeto uma latinha pra casar arrecadação proejto uma latinha pra casar casamento simples

Os dois já arrecadaram mais de 20 mil latinhas, que estão sendo armazenadas na casa deles para serem vendidas no final do ano. Mas há lugar pra muito mais, viu?! O casal, que se conheceu ainda na escola, tem fé que a celebração desse amor e o sucesso do projeto serão lindamente comemorados no dia 17 de abril de 2017, a provável data do casamento. 

casal uma latinha pra casar casamento simples

Acessem a página deles (Uma Latinha para Casar) e ajudem como puderem! 🙂

* Foto destaque: Igor Procópio/DeFato

casamento no sertão
DIY, Economia

Casamento no sertão: beleza em meio à seca

A paisagem não era das mais graciosas. Na verdade, era bem difícil achar graça naquele cenário castigado pela seca na cidade de Pereiro, no interior Ceará.

casamento no sertão

Mas, em um dia especial, a sequidão não foi páreo para a enxurrada de amor que encharcou de vida e cor aquele pedacinho do sertão. Era o casamento de Nívia e Toninho, um dos mais simples e ao mesmo tempo estonteantes que já vi.

casamento no sertão

Há algum tempo trabalho em uma empresa de fotografia e fotografamos muitos casamentos luxuosos. Porém, sempre pensei em algo mais simples no meu casamento, pois sou de uma família humilde do interior do Ceará, assim como o meu esposo.

Os caminhos dos pombinhos se cruzaram antes de Nívia voar para a cidade de São José dos Campos em São Paulo, onde mora desde 2009. O rapaz permaneceu no Ceará, solteiro, mas com os pensamentos lá na moça que foi embora. Os anos se passaram e em fevereiro de 2012, Toninho resolveu retomar o contato perdido.

E o homi foi ‘ligeiro bala’, falando no bom Cearês, com todo o processo de namoro, noivado e casamento. Pense!

Ele me ligou e em menos de um mês de conversa já me pediu em namoro e em casamento tudo no mesmo dia e pelo telefone (rs). Em julho, ele se mudou para São José para ficarmos noivos e decidimos que nosso casamento seria no Ceará, em dezembro de 2012.

casamento no sertão

Amigos e parentes foram os responsáveis por fortalecer a correnteza de alegria que banhou o lugar. No vasinho decorado, no arranjo de flores, na costura das roupas, na madeira cortada e trabalhada e em todos os cantos era possível ver o carinho e a dedicação de alguém querido. Um casamento totalmente DIY, com toques rústicos verdadeiros e requintes aprimorados de romantismo.

casamento no sertão

casamento no sertão

Tivemos um pouco de dificuldade por conta da organização à distância, pois só pude estar em Pereiro uma semana antes do casamento. Contei com a ajuda da minha mãe, irmã, tia, meus primos e amigos para providenciar tudo. Outra dificuldade foi a grande seca no Ceará. Estava tudo muito seco e, por exemplo, flores naturais não existiam. Tivemos que usar criatividade, amor, dedicação e empenho, mas acabou ficando tudo como nós queríamos.

casamento no sertão

Fico pensando, aqui cá comigo, que nenhum jardim europeu imponente seria capaz de emoldurar tão bem essa união cearense como o sertão assim fez, mesmo em meio a sequidão.

casamento no sertão

Não é à toa que o filme desse casamento ganhou o mundo pelas redes sociais. Eu perdi as contas de quantas pessoas me marcaram no vídeo, antes e depois de eu casar. E podem continuar marcando, tá? Não me canso de assistir. É como se, todas as vezes, respingasse em mim umas gotinhas dessa chuva de felicidade.

Vocês não viram o filme? Cliquem aí e segurem as lágrimas.

Casamentos_0001_Nivia e Toninho/Ceará from Neon Filmes on Vimeo.

Nívia e Toninho, que a relação de vocês seja esse ‘pé d’água’ de alegria e simplicidade, sempre! Parabéns.
Ah, vocês também já viram o post Exuberância da Simplicidade? Gente, acredite, é possível casar com pouco e ter uma celebração encantadora. It’s not about money!  😉

Criatividade, Economia

Para pagar casamento, vale até…

É certo, que hoje em dia, com essa indústria louca do casamento, juntar dinheiro para casar bonitinho não está nada fácil, concordam?

Dia desses, passeando pelo Instagram, vi uma noiva rifando o próprio cofrinho de moedas, para ajudar com os gastos da Lua de Mel. Também já acompanhei noivas falando sobre pedir aos convidados, em um chá de panela e até no casamento, aqueles cartões de loteria, as famosas raspadinhas da sorte, sabe? Elas são bem baratinhas e podem esconder alguns prêmios interessantes. Quem é noiva sabe que qualquer 50 reais já ajuda, né?!  A proposta é que a “raspagem” se torne uma brincadeira descontraída que envolva toda a galera da festa. Mas, hum…Não sei bem se amo essa ideia. Você faria isso?

Eu gostei mesmo foi da criatividade, coragem e da determinação do casal de noivos Silvia e Fillipe, que estão de casamento marcado para o fim de 2015. Desde março, todo final de semana é dedicado ao trabalho extra para fins “casamentícios”.

O bom é que os convidados não são importunados com ordens pedidos de traga/compre isso ou aquilo. Na verdade, quem está ajudando os dois a juntar dinheiro para casar dificilmente verá a cor dos docinhos gourmets e bem casados da festa. Como assim? Com uma caixa de isopor abastecida e sob o sol de rachar de Alagoas, eles saem devidamente uniformizados para vender água mineral aos banhistas na praia de Ponta Verde.

juntar dinheiro para casar

A ideia de vender água na praia partiu do Felipe. Quando noivamos, decidimos fazer um orçamento do que seria necessário para montar o apartamento e fazer uma festa de casamento. A gente percebeu que para o básico do apartamento teríamos condições de pagar, mas não teria dinheiro para uma festa de casamento, já que tudo é muito caro! Então decidimos casar só no cartório, mas eu fiquei meio triste e o Fillipe quis me dar essa festa, mesmo que extremamente simples.

Muita gente que frequenta a praia compra as garrafinhas só para ajudar o casal. Tem uns que pagam e nem querem a água. Ficam comovidos e emocionados com essa força de vontade que nasce da fé no amor. ♥  Não é lindo?

noivos vendem água para juntar dinheiro para casar

O trabalho ambulante dos noivos foi algo tão surpreendente que a notícia se espalhou rapidamente e saiu até no portal G1 de Alagoas. Olha que máximo! (Confira a matéria na íntegra aqui)

juntar dinheiro para casar

Silva e Fillipe planejam continuar com a empreitada até outubro, mês do casamento. Se até agora, todo esse esforço tem valido a pena?

Tenho percebido que sim, ainda que o dinheiro não seja o suficiente hoje, acreditamos que nosso objetivo será alcançado. Deus está fazendo mais do que pedimos ou pensamos!

juntar dinheiro para casar

O lucro está sendo colocado em um cofre, por isso eles ainda não fizeram a contabilidade de quanto já arrecadaram. O objetivo não é fazer uma festona de arromba, mas um mini-wedding, pequeno, singelo e inesquecível.  (Viu os bastidores do mini-wedding na praia que contamos aqui no blog? Vale a pena ler!)

Queremos receber fotos desse casamento, hein, Silvia?! Felicidades mil pra vocês! E ah, também voltem aqui pra dizer quanto conseguiram com a venda de água!  🙂

juntar dinheiro para casar

Agora, me digam, quem aí teria a coragem deles?

 

noiva em saia justa
Economia, Erros e lições

Lista de convidados: a saia justíssima!

A cena é real. É uma confraternização entre amigos. Estamos todos à mesa em um restaurante. O cochicho começa. Uma espécie de contrabando também. Não que o produto seja proibido, mas ele só é permitido a certas pessoas. Àquelas que sobreviveram a todos os doloridos cortes da sofrível lista de casamento.

Um convite chega à minha mão por “debaixo dos panos”. Sou orientada a guardá-lo rapidamente e assim faço meio estabanada, como boa canhota que sou. Na hora de ir embora, a noiva desabafa enquanto me abraça: “Ai amiga, fazer lista de convidados é a pior parte de casar. Te prepara!”.

save the date

Depois de alguns meses, compreendi profundamente a angústia da minha amiga e sua tensão em entregar os convites. E claro: eu não estava preparada pra todo esse drama. Acho que nenhuma noiva está. Quero dizer, tenho certeza! Aqui, acolá pipocam na minha timeline alguns posts de mulheres desesperadas em relação a essa situação crítica.

Durante meus preparativos, todos os dias, uma nova página do meu bloquinho ganhava mais alguns nomes de amigos e parentes. Pessoas queridas, talvez não muito chegadas, mas nem por isso menos amadas. Sabia que teria de parar de escrever um dia para então editá-la, mas adiava esse momento, vivendo uma eterna ilusão do mundo dos convites infinitos.

bloquinho de notas para lista de casamento

Esse é meu bloquinho que escrevi (ou melhor, rabisquei) minha lista de convidados infinita. Ele tá guardadinho aqui.

Coitado do meu então noivo. Fiz tanto terrorismo, que ele elaborou uma lista de convidados tão “chochinha”. Não era nem metade da minha.
Já meu pai queria compensar essa diferença.

Por ele, o convite se estenderia até pro pessoal do bar lá da frente de casa. Senhores gente boa, pra cima, felizes e contentes (além de bons de copo!). Nada contra convidá-los para um dia de tertúlia no apartamento da praia. Mas pro meu casamento, não!

Minha festa era pra 150 pessoas. Em determinado momento, não teve jeito. Comecei a passar a tesoura. Mas só a tesoura não deu conta. Precisei passar o facão mesmo. Eliminei, com dó e piedade, pessoas que realmente queria por perto no meu grande dia. Infelizmente as circunstâncias ($$$) ditavam esse ato “brutal”, que destoa um pouco dos contos de fadas de casamento que estamos acostumadas a ouvir. É dramático mesmo, minha gente!

convite para lista de convidados de casamento estilo infográfico

Esse foi meu convite, em forma de infográfico, feito pelo meu grande amigo talentoso Alpoim 😉

Agora lembrei de uma estória verídica que minha amiga, casada há um tempo, protagonizou. Ela tinha sobrevivido ilesa a todos os cortes da lista de casamento da colega de trabalho, provavelmente por conta da convivência diária na empresa. Mas as duas não eram tão próximas assim. O que minha amiga fez? Pasmem: devolveu, no mesmo instante do recebimento, o convite de casamento da menina e justificou: “minha flor, esse é o meu presente de casamento pra você. Não precisa me convidar só porque trabalhamos juntas”. A noivinha aceitou feliz da vida! Tudo na paz e na camaradagem. É muita evolução, não é?

Meu marido brincava dizendo iria começar a desfazer umas amizades pra diminuir a bendita lista. Eu também não queria mais conhecer pessoas novas, ir pra eventos sociais (leia-se chás de panela e seus derivados) e interagir em grupos do WhatsApp e do Facebook. Claro, sempre tinha alguém nesses conglomerados pra fazer a fatídica pergunta: “quem aí vai pro casamento da Kamilla?”. Entendo que todo mundo tem que organizar as caronas, esquematizar as trocas de vestidos e empréstimo de sapatos, mas povo, entendam, é uma saia justíssima para a noiva que não pode convidar todos da roda.

convite de casamento para lista de convidados

A minha lista nunca foi fechada porque acabei me perdendo nas contas (não é à toa que sou jornalista).

Seja o que Deus quiser!

A festa aconteceu, algumas pessoas a mais, mas já era de se esperar. Aí fica a dica para as noivas: feche o pacote e se o número acertado for ultrapassado, você paga o excedente depois. Não compre mais senhas antes do evento, na agonia de achar que vai gente demais, porque se não aparecer todo mundo, o dinheiro não é devolvido. E ah, não se preocupe que o buffet sempre está preparado para um número maior de convidados.

casal de noivos se beija em casamento ao ar livre com lista de convidados restrita

Quando passa, ufa, acabou!

Engano seu, meu bem! Existe a volta dos que não foram convidados. E eles vão aparecer onde você está. Não se preocupe! Existem vários supermercados na cidade, mas o que você escolher, eles também escolherão. No salão de beleza, naquele horário que não tem ninguém, só você, alguns aparecerão. No farol de trânsito, o motorista do carro ao lado, adivinhe, será um deles.

Sumir, evaporar ou sei lá, ter um relógio de morfar dos Power Rangers seria uma boa nessas horas, né?! Mas quero lhes dizer, com toda sinceridade, que o melhor mesmo é guardar o constrangimento no bolso e puxar um bom papo com os que não foram. Muitas vezes, e não raras, a vergonha, culpa ou mal estar é a gente que cria sozinha, na nossa cabecinha pequena. O outro indivíduo geralmente está gastando energia com preocupações reais e torce pela nossa felicidade independentemente de festa de casamento. Foi demais perceber isso!

Claro, alguns poucos não voltam. Por enquanto, acho melhor deixá-los ir mesmo. Se forem solteiros e casarem um dia, quem sabe, compreenderão que amizade pode sim, (e deveria) sobreviver a um não-convite de casamento.

No próximo post…

Sabe quando o imprevisto é tão surreal que a única coisa a fazer é confiar em Deus? Na quinta-feira que vem, vamos contar a história de um casal que sonhou e planejou uma cerimônia linda num jardim super romântico. O problema é que no dia tão sonhado, a cidade amanheceu debaixo d’água. Como esse causo acabou? Volta aqui no blog pra conferir!!!

Noiva com Buquê
Criatividade, Economia

Um lindo casamento fora da cidade!

O post de hoje é mais que especial pra mim. Não só por ser o primeiro do ano, mas por se tratar da história da minha grande amiga, Jamille Morais. <3 São quase 15 anos de amizade e, claro, muitos segredos e sonhos compartilhados. Como boa romântica que sou, sempre torci pra ela encontrar o amor pra vida toda e, em 2013, ela encontrou. Ou melhor, REencontrou. O príncipe era o Daniel Melo. Um amigo e amor antiiiiigo que, após mais de uma década sumido do mapa, reapareceu botando ordem na casa de vez, hahaha. O pedido foi super marcante, em frente ao colégio onde estudamos e onde eles se conheceram. Seis meses depois, os pombinhos já estavam a caminho do altar pra alegria geral da nação!!! Amor é assim, arrebata a gente e não quer saber de nada mais!!!

O casamento da bailarina com o “cara do marketing” tinha que ter identidade. Cada detalhe seria pensado pelo casal gracinha com muito carinho. Maaaas, vocês sabem… Ver o que queremos e como queremos, muitas vezes, requer trabalho em dobro. E eles ralaram pra caramba! Como eu, a Jamille teve pouquíssimo tempo e um orçamento apertado pra planejar o grande dia. A primeira boa alternativa foi utilizar a casa de praia do noivo, em Beberibe, a cerca de 80 km de Fortaleza, pra fazer a festa. Eles nem se preocuparam em lutar pra garantir uma vaguinha na agenda lotada da paróquia da cidade. Correram até a Praia de Morro Branco e lá conseguiram rapidinho e, o melhor, sem gastar sequer UM REAL, marcar a data na Capelinha de São Pedro dos Navegantes. Pronto. Era 27 de julho de 2014 e não dava mais pra fugir, hahaha. 😀

Igreja Casamento

Só que a aventura estava apenas começando! Como fazer um casamento bonito e diferente, com pouca grana e tão longe dos principais fornecedores? Criatividade, estratégia e amizade, meu bem! Cada um ganhou uma tarefa específica. Todos os talentos tiveram que aparecer. Quem sabia costurar? Quem cantava? Quem entendia de vídeo? E por aí vai… Eu recebi logo a encomenda das garrafas decoradas pras mesas dos convidados. Minha prima fez cataventos brancos. O vestido da noiva foi criação da tia dela. Outro amigo filmou tudo o que pôde e fez um clipe lindo pros noivos. Os brownies deliciosos foram arte do próprio casal. As mães dos noivos cuidaram da decoração e das lembrancinhas.

Lembrancinhas Mudas de Flores em casamento

Noiva em Casamento na Praia

E enquanto umas coisas se resolviam, outras se complicavam. Como se tratava de um casamento fora da cidade, fora até da Região Metropolitana, os orçamentos de cerimonial, flores e buffet móvel eram altíssimos. Foi muita pesquisa e dor de cabeça, até que eles decidiram contratar quase tudo por lá mesmo. A cerimonialista era de Cascavel, que fica bem próximo. O buffet, de Beberibe. Já as flores tiveram que sair de Fortaleza, transportadas na madrugada.

Casa para Casamento

O tempo passou voando e logo chegou o final de semana do casamento, quando TU-DO iria acontecer. E quem pensa que noivo não sofre, não conhece o Daniel. Ele cismou que queria uma tenda, mas tinha que ser feita por ele, com véus e bambus. Pois bem, encomendou o material e reservou o sábado, antes da festa, para a empreitada mais engraçada do ano. Parecia comédia de cinema mudo. 😆 Ele fincava as estacas, o vento derrubava. Colocava a coberta, o vento levantava. O sol tinindo, bronzeando a pele e torrando o juízo; e nada da bendita tenda ficar de pé. Já era noite, quando o projeto finalmente deu certo, com uma mãozinha do irmão dele, Rafael. Olha a bichinha lá atrás, na foto.

Noiva Jogando o Buquê

Do outro lado, estava a noiva com o carro cheio de daminhas e padrinhos seguindo para o ensaio do cortejo. A caminho da igreja, ela resolveu passar na casa. Quem achou de dar o prego? Todo castigo pra uma noiva desesperada é pouco, né? Hahaha. 😀 Bem uma hora depois, uma carona apareceu pra salvar a pátria. Com quase tudo pronto, a noite foi de ansiedade pela hora do sim e torcida pra que não chovesse, afinal é praia, né?

Ainda era madrugada, quando a correria começou na casa. Todo mundo se trocando. A decoração sendo finalizada. Enquanto isso, muuuuuuita gente ainda pegava a estrada, inclusive o irmão da noiva que ficou encarregado de levar o bolo. “Será que vai chegar inteirinho, aqui?” Era só o que ela pensava. 😯 Chegou, gente. Calma, respira!

Cada um deu o seu jeitinho pra estar lá a tempo, inclusive nós, a “turma da escola”, que saímos da capital às 7h da matina no Fiat Uno do nosso amigo, Gladson, mais felizes que menino indo pra excursão no Beach Park. A viagem de uma hora e meia teve direito a lenço no cabelo, estilo Thelma e Louise, trilha sonora do F.R.I.E.N.D.S e parada em posto de combustível pra trocar de roupa. Nenhuma maluquice com seus amigos é demais, né? 😛 Muito amor envolvido.

Madrinhas Casamento

Encontramos a capelinha e, em pouco tempo, o lugar estava lotado. De longe avistamos o carro da noiva. Todos estavam lá. Êpa, quase todos. Cadê o padre? Ligavam e ligavam pro número dele… E nada! Quase uma hora já havia se passado. Deu tempo até de comprar arroz num mercadinho lá perto. Seria o primeiro caso em que, no lugar do noivo, foi o padre quem fugira. Oh, meu Deus, como pode? Imagine só, os nervos da Jamille, esperando ansiosa dentro do carro. Já tava até pedindo a São Longuinho pra acharmos este hômi, quando, de repente, se aproxima aquele rapaz, com lupa de surfista e semblante descontraído. Acena e entra na sacristia. Segundos depois, ele estava prontinho. Era o dito cujo!

Noivos e padre em Casamento

Os contratempos foram esquecidos! A celebração foi linda, a noiva parecia um sonho, era alegria e só.  Teve beijo apaixonado e chuva de arroz. <3 Foi assim o começo do “felizes para sempre”!!!

Saída dos Noivos com Arroz

Detalhe: Depois descobrimos que o “padim” descolado era integrante de uma banda de rock religioso e tinha se apresentado na noite anterior  no Halleluya. Oo Deve ter celebrado o casamento “virado”, mas , apesar do susto que deu na gente, arrasou com umas palavras inspiradas na hora do sermão. No fim das contas, tenho certeza que a Jamille e o Daniel ficaram mais que satisfeitos com cada detalhe desse dia tão especial. Já as presepadas do caminho tornaram o sonho ainda mais divertido! Como é na vida real!!! 😉

Beijo dos Noivos

Bom humor e muito amor aos dois, sempre! =*

No próximo post

Você já considerou a possibilidade de casar no parque? Semana que vem, nós contamos a história de um casal que investiu na ideia e como o desafio valeu à pena!