Browsing Tag

chuva no casamento

casamento à luz de velas
Erros e lições, Originalidade

Um apagão e o casamento à luz de velas

“Um casamento daqueles de revista”

A Caroline Rufini, nossa noiva de hoje, sonhava com isso e ralou muito, durante meses, pra que tudo, simplesmente TU-DO, fosse realizado como ela sempre quis. Era aquele tipo de noiva perfeccionista e detalhista, sabe? 

casamento à luz de velas

Tinha tudo muito bem organizado: várias pastinhas no computador, muitas ideias de blogs e os melhores profissionais que eu podia pagar. Fazia questão de acompanhar cada coisinha de perto. Um ano antes do casamento, eu já estava com todos os fornecedores fechados.

Era só esperar a data marcada e ó, arrasar!

No dia do casamento, lá estava ela, contente da vida, com suas madrinhas em um quarto de hotel em Curitiba, praticamente blindada do mundo exterior. Nem percebeu que uma chuva torrencial estava caindo na cidade naquele momento. E advinha qual foi um dos bairros mais castigados? O bairro do Cabral, endereço da igreja onde a Carol iria se casar naquela noite.

Resultado: Um apagão geral. Zero energia elétrica para mais 40 mil moradores de Curitiba e região. As manchetes dos jornais estavam assim:

manchete jornal tempestade curitiba casamento à luz de velas

Depois, meu então noivo, o João, me contou sobre a apreensão dele naquele momento. Ele disse pra cerimonialista: “Nossa a Carol vai surtar ao perceber que está faltando luz, depois de tanto trabalho e tanta dedicação pra organizar esse casamento!”

O que você, como noiva, faria nesse momento?

Na verdade, no seu grande dia você nem consegue fazer muita coisa além de se preocupar com você mesma, seu vestido, sua maquiagem, seu penteado. Não dá pra sair correndo atrás disso e daquilo. Não dá pra ficar fazendo ligações, resolvendo problemas e acompanhando o andamento dos preparativos. Não dá, gente!

Por isso, enfatizo: pra mim, é importantíssimo ter um cerimonialista ou assessor. Algumas noivas até conseguem tocar o barco sozinhas, claro, mas acho arriscadíssimo e bem complicado. (Olha nosso outro post sobre Ter ou Não ter Cerimonialista).

Com essa minha personalidade alvoroçada e agitada e ansiosa e desnorteada e maluca e que fica pingando suor ao levantar uma colher (Meu casamento real: pingando de suor), jamais optaria por não ter esse serviço. Zulivre! 

Foi a assessora da Carol, Anna Brito (essa merece aplausos!) que contornou o imprevisto e transformou algo que poderia ser um desastre em um momento único e deslumbrante.

Olha só o que a Anna fez: foi ao mercado perto da igreja, comprou velas (ainda teve a delicadeza de escolher estilos diferentes para padrinhos e convidados) e distribuiu a todos os presentes da igreja. Detalhe: tudo do bolso dela. A noiva, até aí, não estava sabendo de nada.

casamento à luz de velas

 Eu estava tão anestesiada, em estado de choque com o casamento em si, que nem entendi de imediato o que estava acontecendo. Eu realmente assimilei a falta de luz quando a cerimonialista da igreja me disse, no instante da entrada, que não poderia colocar as fotos da minha mãe (já falecida) nos telões por conta da falta de energia. Essa era uma homenagem que iria fazer para senti-la mais pertinho de mim naquele momento tão especial. Na hora, falei: “isso é obra da minha mãe. Ela é muito tímida e não gosta de aparecer…”

casamento à luz de velas

A escuridão deu lugar a um cenário mágico. Pontos de luz iluminaram a entrada da noiva e toda a cerimônia. Um clima de puro romantismo em um sonho de casamento à luz de velas.

casamento à luz de velas

casamento à luz de velas

Na saída, os faróis da van, que o sogro da Carol contratou para levar alguns convidados, estava iluminando a entrada da igreja. Já o carro do irmão da noiva iluminou toda a lateral do local. Inclusive, a bateria do veículo arriou e foi preciso chamar o SOS pra que ele conseguisse chegar até o salão da recepção. Os irmãos sempre ali pro que der e vier, né?! 

casamento à luz de velas

Meu casamento foi maravilhoso, encantador, mágico. Depois soube que outras noivas queriam fazer um casamento à luz de velas, mas as igrejas não permitem, né?! Não teve um casamento semelhante ao meu, único e especial. E todos os convidados falam a mesma coisa. Quando lembro daquele dia sinto muita saudade.

casamento à luz de velas

Alguém ainda tem dúvidas de que esse foi um verdadeiro casamento de revista?

A repercussão foi enorme!

A noiva deixa aqui um último e sábio recadinho pra vocês.

Nada nessa vida é perfeito e o que é perfeito pra mim, pode não ser perfeito pro outro. Se houver algumas falhas, não dê bola. Lembre-se que ninguém sabe o que foi escolhido por você. Se a cor da fita foi o vermelho sangue ou vermelho bordô. Isso não faz a menor diferença pra ninguém. Nada acontece por acaso. Deus sabe o que faz. Apenas curta o momento porque ele passa rápido!

casamento à luz de velas

Anotaram?  😉 

*Fotos: Igor Kosiski 
chuva de amor
Erros e lições, Originalidade

Chuva de amor

Eita, chuva de verão! Corre, “minino”, tira a roupa do varal! Esse ano ela veio com tudo. Pelo menos na maioria dos estados brasileiros, é água muita, né?!  Que ela continue caindo nos reservatórios e os encha até a tampa, amém?

Quem provavelmente disse um amém meio “chóxu” foi a galera que vai casar. Isso porque chuva e casamento geralmente não fazem uma combinação muito legal. Se os noivos estão preparando a cerimônia ao livre, então, viiixe! Têm calafrios só de olhar a previsão do tempo e ver aquele 1% (vagabundo) de chuva no grande dia.  😎 

A Renata planejou uma celebração em um domingo de manhã, ao ar livre, em uma pousada, toda no estilo DIY. Várias mãos ajudaram a fazer cada detalhe do casamento. No sábado anterior a festa, os noivos começaram a deixar o local com a carinha deles. 

chuva de amor

Montamos a tenda, as mesas, as cadeiras da cerimônia, o pergolado. Poucos detalhes ficaram para domingo de manhã. Chuviscou na hora do almoço, mas nada que atrapalhasse. Nosso plano B era, caso chovesse, fazer a cerimônia embaixo da tenda onde seria servido o almoço. Às 5 horas da tarde, começou a chover forte e não parou mais. Quando voltamos à pousada à noite, para levar algumas bebidas, percebemos que o jardim estava alagado e a tenda vazava, não segurava a chuva. Fiquei nervosa, mas confiante. Fui dormir pensando que iria acontecer como nessas histórias que lemos em blogs, onde a chuva dá trégua bem na hora da cerimônia.

chuva de amor

Realmente essas histórias aí que parecem mentira existem, viu?! Inclusive, tem uma impressionante aqui do Causos, que me emociona toda vez leio. Olha só ela aqui

Mas existem outras histórias também. Que também são de blog. Que também falam da chuva. Mas da chuva que não deu trégua. Que fez questão de comparecer na festa e deixar tudo diferente. 

Acordei às 4 da manhã do domingo com o barulho da chuva forte. Cheguei à pousada às 6h com tudo alagado. Só conseguia chorar. Tantos meses planejando cada detalhe, o balanço, a mesa do bolo embaixo embaixo da árvore, as mantas e as almofadas pela grama, o pergolado com o mar e os barquinhos de fundo. Desespero maior foi ver que o salão da pousada era pequeno e não caberiam meus convidados.

chuva de amor

O plano A e o plano B já não eram viáveis. O jeito era correr para encontrar um plano C. Os noivos, os padrinhos e depois alguns parentes e amigos que foram chegando ajudaram a transferir tudo para uma parte coberta. A dona da pousada (olha aí o milagre acontecendo de outra maneira) liberou um outro espaço que não estava no pacote e a celebração começou a tomar forma. Só depois disso, a Renata foi se arrumar.

chuva de amor

Atrasamos uma hora e meia. Quando iniciamos, abriram a porta do quarto e eu vi tudo no lugar. Toda decoração que eu tinha planejado sendo usada, todos os convidados acomodados de forma confortável.  Pensei: que chuva linda!!!! Todas aquelas pessoas levantaram cedo, andaram na chuva, se preocuparam em deixar tudo do meu gosto, se preocuparam em fazer eu e meu noivo felizes. Foi incrível ver o amor de cada pessoa presente ali. Todos me olhavam e sorriam. Meu noivo me esperando lá na frente me olhando com tanta ternura. Foi a chuva mais linda que eu já vi porque ela veio cheia de amor.

chuva de amor

Assim, os noivos resolveram receber toda a aquela água que caia do céu como benção. Como diz o ditado: “Viver não é esperar a tempestade passar, é aprender a dançar na chuva.”

chuva de amor

E eles dançaram, curtiram e deixaram o amor transbordar. As fotos ficaram tão espontâneas e contagiantes!

chuva de amor

Essa história mostra, mais uma vez, que há coisas que fogem do nosso controle e, por mais que estejamos com todos os planos muito bem bolados, a vida pode nos surpreender. Isso acontece muito em casamentos, mas em vez de você chorar pelo que deu errado, celebre o que deu certo, como a Renata fez!  😉

chuva de amor

Parabéns, Renata e Douglas!

Noiva se arrumando
Erros e lições

A Fé não costuma faiá… Nem debaixo de chuva!

Já dizia Gilberto Gil, quando as coisas desandam e você não tem o controle, melhor confiar, que a Fé não costuma “faiá”. Pode-se dizer que a minha amiga Bruna Arantes, nossa linda noiva de hoje, compreendeu a mensagem depois de um susto que quase levou o grande dia, literalmente, por água abaixo. Para cada caso, um causo. Não tem jeito!  😉 

A Bruna e o Augusto tinham um ano de namoro, quando ele a pediu em casamento. Tudo como manda o figurino, com direito a jantar romântico, lágrimas de alegria e muitos beijos. A data especial seria 3 de janeiro de 2015, o que dava ao casal 12 meses para preparar o dia tão sonhado. Fãs de carteirinha do estilo outdoors, claro que eles escolheram um buffet aberto, em Fortaleza (CE), onde diriam o “sim” no jardim, embaixo de uma árvore belíssima ao pôr do sol. Visualizaram a cena?

Foram 350 dias, pesquisando decoração rústica, bolo, vestido de noiva, escolhendo lista de música, idealizando convite, enfim. Como eu e meu noivo somos muito organizados, fizemos planilhas, acompanhamos cada fornecedor, tudo com antecedência. Um mês antes do casamento já estava tudo pronto.  Agora era só receber bem cada convidado que estava chegando em Fortaleza.

Imagine o “nervoso” dos últimos momentos antes da cerimônia. Agora, pense na correria quando se tem 80% dos convidados vindos de outros estados do Brasil para a cerimônia. Apesar de o casal morar, na época, em Fortaleza, nenhum dos dois é natural da terrinha. Resultado: Havia parentes e amigos chegando do Rio Grande do Sul, de Minas Gerais, de Pernambuco, de São Paulo, de Rondônia e por aí vai. O clima bom de festa já estava no ar! Foi quando, de repente, o tempo fechou.

Chega a véspera do casamento e eu pergunto pro meu noivo qual seria a previsão do tempo, pois, apesar do imenso calor, era bom conferir a previsão… E é aqui que nossa história ganha um novo rumo. Chuva! Como assim chuva logo no inicio de janeiro? Está muito quente. Não chove há meses, impossível chover agora. Claro que quem decide casar ao ar livre deve pesquisar sobre a época chuvosa e se preparar para possíveis imprevistos, mas na minha reunião geral com todos os fornecedores, sempre que eu sugeria um plano B para chuva, todos diziam convictos que não choveria no dia do nosso casamento. Infelizmente, todos erraram.

Caiu, em Fortaleza, uma chuva digna de São Paulo, com raios e trovoadas. O teto do maior shopping da cidade desabou. Alas do Hospital Geral ficaram alagadas. Algo que não via na cidade há pelo menos 5 anos resolveu acontecer no dia do casamento da Bruna e do Augusto.

Notícia Jornal O Povo

O barulho era assustador, uma chuva pesada, as lâmpadas da minha casa começaram a piscar e eu corri para os braços do meu noivo. Chorei de medo e frustração. Um filme passou em minha mente. Cada flor, cada objeto feito à mão, nossa cerimônia embaixo da árvore , o planejamento de um ano inteiro, tudo indo, literalmente, por água abaixo. Eu e meu noivo não tínhamos mais o controle da situação, a realização do nosso sonho não dependia mais de nós dois. Lembrei da passagem bíblica de Mateus 8 , onde Jesus  dormia dentro do barco e seus discípulos o acordaram desesperados por causa da tempestade, pensando que iam morrer. Então, Jesus se levanta e faz a tempestade parar. Me vi sem fé. Meu noivo tentando me tranquilizar, me dizia “Linda, vai passar você vai ver”. Decidi confiar em Deus. Vamos manter o planejamento.

O noivo seguiu para o buffet, queria acompanhar tudo de perto. Todas as possibilidades foram levantadas. E se contratassem toldos? Acontece que a chuva e a ventania eram tão fortes que todos sairiam molhados anyway. A previsão é de chuva para todo o dia. A cerimonialista ligou para os fornecedores, já dispostos a adiar o casório para o dia seguinte. Mais um problema. E os convidados que estavam hospedados em hotéis conseguiriam mais uma diária em cima da hora e em plena alta estação? Quem garantia que o domingo não seria de chuva também? E o mais importante: os pais do noivo e a família do irmão dele estavam com passagens compradas pra Nicarágua para o dia 4, pela manhã.

Ah, promessa sem jeito, Chicó! Hahaha. Se adiar não era uma opção, quem sabe procurar outro buffet, dessa vez coberto? Missão impossível? Se eu disser que eles até encontraram um, mas nem todos os fornecedores toparam a mudança não-programada. Já era por volta de meio dia, quando a chuva deu uma trégua. O noivo, firme e confiante, insistiu em manter o planejado, tinha certeza de que o tempo iria abrir e tudo daria certo, apesar de os meteorologistas teimarem no contrário. Segue o combinado. A noiva correu para a pousada, onde teria algumas horas para ficar pronta, enquanto torcia para que a chuva fosse embora de vez.

Às vezes, vinha na minha cabeça, será que tudo vai ficar pronto no horário? Aviso os convidados que vai atrasar? E eu lembrava do meu noivo. Confiar em Deus era minha única opção. Nesse dia aprendi que Deus tem que ser maior do que qualquer sonho que a gente venha a ter. E numa pousada linda, com vista pro mar, em Aquiraz (CE), de uma maneira única e inesquecível, indo contra toda previsão climática, Deus abriu o céu e deu a ele uma cor especial. Meus olhos se encheram de lágrimas, dessa vez era de emoção e gratidão. O céu estava lindo e eu estava pronta.

Noiva sorrindo

Noiva e Amiga

Enquanto isso, no buffet, os fornecedores corriam contra o relógio pra deixar o lugar perfeito para os noivos e convidados. E olhem que, mesmo com tanto sufoco, o casamento começou com apenas uma horinha de atraso! A cerimônia teve início, exatamente, às 17h.

Entrei ao pôr do sol, com um céu maravilhoso e o coração transbordando de gratidão.

Casamento Bruna e Augusto

Chegada da Noiva

O noivo já fez logo a cara de: Eu não falei? Tá tudo lindo!  :mrgreen:

Noivos

Muitos ali choravam de alegria e emoção. Eles acompanharam tudo. Estávamos todos admirados. A grama estava seca. Nada ali dava pista de ter passado por um temporal. Tudo era bonito e surpreendente.

casamento ao pôr do solNoivos e pais dos noivos casamento ao pôr do sol

De brinde, Deus ainda sorriu pra nós em forma de lua cheia, como se quisesse nos lembrar de que esteve o tempo todo cuidando de tudo, sonhando junto com a gente.

Casamento lua cheia

O final foi tão feliz que teve até selfie do Oscar!

selfie casamento

Dica de Noivinha Experiente

Quanto mais o tempo passa, mais aprendemos com cada causo, não é verdade? E como Murphy já provou que existe, não custa nada termos alguns conselhos em mente ao organizarmos nosso dia. 

  1. Plano B: Meninas (e meninos), nada melhor do que um plano emergencial. Ter uma carta na manga para caso de chuva, pode nos salvar de sustos como o que a nossa noivinha, Bruna, passou. Evite os meses da estação e até da pré-estação chuvosa (quando as primeiras precipitações já podem ocorrer, como é o caso de dezembro e janeiro em Fortaleza). Se você quiser mesmo casar em local aberto, nesse período, ter uma parte do orçamento separado para contratar um toldo, caso precise, é muito importante. Vários buffets abertos até oferecem o serviço de aluguel. Outra dica é escolher um lugar que, além do jardim, tenha também uma área fechada. Em caso de imprevistos, pode-se mudar a festa para o ambiente coberto. 
  2. Sempre há uma solução: Na hora em que o problema acontece, muitos só conseguem enxergar o que está errado, enquanto devem focar nas formas de resolver a situação. Quando o assunto é casamento, não há tempo a perder. É engolir o choro e partir pra ação. Tenha Fé! Copiado? 😉 

No próximo post

Já imaginou ter um casamento surpresa, com tudo que você sonhou na cerimônia e na festa? Como assim, né?! Pois você vai se surpreender semana que vem. O Causos de Noiva conta essa história na próxima quinta-feira! Volta aqui pra conferir!  😉