Browsing Tag

casamento na praia

na alegria e na tristeza Isabella Edianor
Família no Casamento

Da infância até a eternidade, na alegria e na tristeza

Sou péssima de memória. Minha irmã guarda cada lembrança das nossas brigas interações de criança que fico boquiaberta. Bem, se eu tivesse conhecido o grande amor da minha vida lá na infância, os borrões que aparecem aqui na minha caixola possivelmente seriam mais nítidos. Mas, mesmo assim, creio que muitos detalhes importantes iriam para o buraco negro do meu querido cérebro. O que definitivamente não acontece com a Isabella Barbosa.

na alegria e na tristeza noiva Isabella casamento

Isabella, nossa noiva, lembra de muitas coisinhas lindas de quando tinha apenas 6 anos de idade. Uma delas: quando conheceu e dançou com aquele que viria a ser seu parceiro na saúde e na doença, na alegria e na tristeza.

Ela e o Edianor estudavam no mesmo colégio e foram parceiros de valsa na formatura do Doutor do ABC (era tradição em alguns estados para celebrar o término da antiga alfabetização. Nem sei se isso existe mais! Existe? 🙄 ).

Olha o que a Isabella resgatou lá do fundo do baú.

Eu quase perdi a nossa formatura de “Doutor do ABC” porque tive catapora alguns dias antes. No dia da festa, o médico me liberou pra ir, porque eu já estava bem e já tinha passado da fase de transmissão.  Só que eu ainda tava toda marcada com as cicatrizes da catapora e mesmo com muuuuuuita maquiagem, dava pra ver. Eu cheguei na festa toda receosa que meu par, o Edianor, não iria querer dançar comigo com medo de pegar minha catapora, mas a primeira coisa que ele falou quando me viu foi: “Que bonita tua maquiagem” (!) ❤

na alegria e na tristeza

 

Não aguento essa lindeza e inocência das crianças. 😍 

Os dois se reencontraram dez anos depois e se adicionaram no finado Orkut. Veio a amizade pra valer. Depois o namoro. O noivado e…O casamento veio também, mas não foi tão tranquilo como nos sonhos pueris.

Meu avô foi diagnosticado com mal de Alzheimer e foi piorando aos pouquinhos. Até que ele precisou ser internado. O interessante e que ele nunca esquecia de mim. Esquecia dos filhos, da minha mãe que estava lá no hospital todos os dias sem falta com ele…mas não de mim. Quando finalmente recebeu alta do hospital, ele estava bem frágil, mas eu ainda tinha o sonho de vê-lo no meu casamento que se aproximava. Infelizmente, ele se debilitou muito e, um dia antes da minha celebração, veio o diagnóstico da pneumonia. Ele acabou falecendo algumas horas depois.

A então noiva nem pensou duas vezes. Cancelou todo o casamento. Ela nem sabia se daria para remarcar para depois, mas seu avô era o foco daquele momento.

O Edianor cuidou de avisar os convidados e pedir que eles fossem repassando para os outros convidados que conhecessem. No meio disso tudo, tivemos que lidar com pessoas desonestas que infelizmente querem usar até mesmo situações como essa pra tirar vantagem. Mas ao mesmo tempo, tenho que dizer que 99% dos meus fornecedores foram maravilhosos, verdadeiros presentes de Deus que fizeram de tudo pra me ajudar.

na alegria e na tristeza votos Isabella Edianor

A Isabella confessou que até pensou em desistir, mas a família e os amigos a apoiaram e a incentivaram a continuar com o plano da festa. Afinal, o avô dela, com certeza, gostaria de vê-la radiante lá no altar, começando uma nova família.

Depois de 3 semanas, a celebração aconteceu lindamente, com o mar testemunhando tudo.

na alegria e na tristeza

Imagino o misto de sentimentos no coração dos noivos e dos convidados, mas não houve lugar para tristeza. O amor e a gratidão deram o tom da festa. 

na alegria e na tristeza Isabella Edianor

Sempre lembrei do meu avô com aquela saudade meio “gostosa” das nossas conversas, nossos abraços, das palhaçadas dele. Nós dissemos todos os “eu te amos” que poderíamos dizer e não ficou nenhum sentimento de querer voltar atrás pra fazer algo diferente.

Da infância até a eternidade

na alegria e na tristeza noiva damas azul tifanny

Logo depois que casaram, os pombinhos se mudaram para o Canadá onde têm vivido experiências incríveis. Eles estão correndo atrás dos sonhos por lá. Com certeza a saudade da família e dos muitos amigos daqui deve apertar, mas creio que os dois têm tocado o bonde muito bem, segurando a barra um do outro na alegria e na tristeza. E que seja daqui até a eternidade, né?! 

Muito carinho por vocês! 

{Isabella e Edianor} from Sarau Filmes on Vimeo.

Fotos: João Melo Fotografia
casamento surpresa
Criatividade, Originalidade

Casamento surpresa na Tailândia

“Esse negócio de namoro à distância não dá muito certo.”
Quem foi que disse, hein, berenice?
É mais difícil, por razões óbvias, mas nada que confiança, planejamento e uma boa administração da ansiedade não resolvam. Eu e a Tayce, comandantes do Causos, vivemos essa experiência e sobrevivemos bem né, amiga?!
A Gabriela Assis, nossa noivinha pernambucana (visse!), também encarou um namoro à base de muita saudade e Skype. Ela em Recife, o Ricardo em São Paulo. E o desfecho dessa história não poderia ser mais encantador: um casamento surpresa em Ko Samui na Tailândia (dá só uma ‘Googleada’ aí pra você sentir o drama do lugar!). O mais incrível: tudo arquitetado e feito pelo noivo! Óia!  😉

casamento surpresa
Aqui no blog só tem homem ponta firme, rapaz! (lembram da celebração de casamento surpresa da Willy, encabeçada pelo marido/noivo? Tá aqui.)

Os dois pombinhos estavam na fase de decidir a data do casamento (o que pode ser uma verdadeira novela, já que várias agendas precisam ser consideradas, além da agenda do sol, da chuva…) quando decidiram fazer uma viagem meio diferente de todas. Iriam passar um mês juntinhos conhecendo alguns lugares exóticos e interessantes da Ásia. Fino!

O roteiro incluía Índia, Butão, Tailândia, Emirados Árabes. Adoramos organizar roteiros e pesquisar sobre os lugares que vamos. O único hotel que não escolhemos juntos foi o da ilha Ko Samui. O Ricardo disse que eu não visse, porque era surpresa. Ok, eu gostei de ficar curiosa! Um dia, estava em Recife de plantão e ele me manda um link da relação de coisas inclusas na festa de casamento no tal hotel que eu não conhecia. Imagina como eu fiquei surpresa, né?!

casamento surpresa
Imagino demais. Se casar já é emocionante, imagina casar em uma festa surpresa! Na verdade, o segredo precisou ser revelado um mês antes, porque tinham alguns detalhes que poderiam ser too much.

À principio seria um casamento típico tailândes, celebrado por monges budistas (não somos budistas, mas gostamos de pesquisar sobre a religião) no qual teríamos que decorar uns mantras para a cerimônia. Meu noivo também sentiu necessidade de me consultar sobre coisas, como: prefere um passeio de elefante ou um show pirotécnico? Qual será a cor predominante na decoração? Qual a cor do meu vestido?

casamento surpresa

Oh que dúvidas cruéis, né Gabi?! hhaha Eu teria escolhido o elefante, claaaaro! 😉

 Terminamos optando pelo casamento ao molde católico, porque os monges teriam que ficar em jejum e só se alimentar na cerimônia de casamento. Como o hotel não tinha disponibilidade pela manhã, só a noite, desistimos do casamento budista. Ele (o noivo) resolveu tudo por email e por telefone. Meu único trabalho foi alugar meu vestido. Só tive tempo de fazer 1 mês antes da viagem. Foi o segundo que provei e provei uma única vez!

A parte complicada foi mesmo carregar o vestido pra lá e pra cá nos aviões da vida, afinal eles passearam por vários países antes do casamento.
casamento surpresa
Ah, e no dia da celebração, o idioma local deu uma emoção a mais aos preparativos.

Fiquei um pouco apreensiva com a maquiagem e cabelo, porque eu sei que isso pode arruinar qualquer visual. Minha maquiadora era uma lady boy, como eles chamam os travestis de lá, com quem só falei a primeira vez no dia do casamento. E detalhe: zero inglês. Ele só falava tailandês! Eu mostrei umas fotos da internet e disse “natural, ok? natural”. Só isso haha. O que me passou pela cabeça era sair parecendo uma drag queen 😯 . Mas me entreguei e adorei! O casamento foi muito lindo, porque eu nunca cobrei nada e tudo partiu do Ricardo naturalmente. Foi tudo muito romântico e íntimo, do jeito que eu imaginava.

casamento surpresa
Nem precisa dizer que a gente tira o chapéu pro Ricardo, né?! Desejo que a vida de casados continue sendo naturalmente linda e romântica. ♥

casamento surpresa

E uma dica às que querem casar: mandem essa história para os namorados, noivos, companheiros para ver se eles se inspiram no Ricardo.  😆  Só não me vão arrastar o homem e fazer um casamento supresa pra ELE meio forçado, peloamorde!

noiva com coroa de flores antes de mini wedding na praia
Erros e lições

Bastidores de um Mini Wedding na praia

Certamente, vocês já devem ter visto, ouvido falar, pesquisado e amado a vibe do mini wedding, né?! E não é verdade que qualquer tipo de miniatura (carros, aviões, personagens, cenários) tem um “quê” de encanto?!  Então, imagine um casamento pequenininho, com os mesmos detalhes e cuidados de um “casamentão”! O mini wedding é assim. Uma graça só!

E vou te dizer mais uma coisa: pra mim, este tipo de casamento está mais ligado ao estilo do casal do que à economia. No exterior, são comuns a celebrações menores, só para os mais chegados. Quem aí lembra do casamento do nosso amigo (#sqn, hein) Mark Zuckerberg no jardim de casa? Minha gente, ele é bilionário, mas nem por isso fez uma festa de arromba. Arrasou na personalidade, Marquito (a íntima)!

Agora, veja bem: pequenos casamentos, podem, sim senhora, ter grandes causos. Principalmente, quando a noiva subestima o potencial de peripécias dessa celebração.

A Naira Oliveira, como muitas de nós, achava que ia dar conta do recado sozinha. Claro, somos todas mulheres-maravilhas e o que é um mini wedding na praia para apenas 28 pessoas, longe da cidade, né?!

Hum rum…

Pra começar, a previsão era de 90% de chuva na exata data do casamento da Naira (brasileira) com o Tim (inglês), no Cumbuco, a 30km de Fortaleza, no Ceará. E mais: a previsão era de cair 60mm, que é água pra caramba!

Depois de dois meses de tensão, o céu do grande dia amanheceu lindo e azul. Ufa!

mini wedding na praia

Eu lembro de ter pensado naquele momento: vai dar tudo certo.  Ha. Ha. Ha. É importante dizer que tudo, TUDO, TU-DO, foi feito pela gente. E eu, que sou aquele tipo de pessoa que deixa TUDO pra última hora. Daquele tipo que todos os anos declara o IR no último dia! Tinha algumas horas para: 1) cortar e montar todos os arranjos de flores; 2) embrulhar o resto dos bem casados em chita; 3) receber os móveis que fariam parte da decoração na praia e no restaurante; 4) decorar o restaurante; 5) colocar o cordão de luz no local; 6) decorar o lounge que eu tinha idealizado na pousada para receber os convidados, 7) Fazer penteado/maquiagem; 8) Fazer as fotos do making of e 9) Começar a cerimônia, pontualmente às 4 da tarde.

Eu cansei só de pensar em como ela iria fazer tudo isso, assim…sendo apenas UMA pessoa. E ainda por cima, a NOIVA. O noivo  tinha ido à Fortaleza, resolver outras coisitas do casamento.

noivo sorridente se prepara para mini wedding na praia

Na hora marcada para a maquiagem, adivinhem. Alguns convidados já estavam chegando. Vários não sabiam exatamente onde era o local e ligavam pra quem? Pra Naira, claro!

Um pequeno desespero começou a reinar nesse instante.

Cadê o lounge que eu tinha idealizado pra eles? Nada. Zero. O bolo não estava com o topo finalizado, nem no local da recepção. Não havia tempo pra terminar as flores da mesa do bolo. Minha sogra e uma colega resolveram se maquiar de última hora com o meu maquiador. O meu atraso começou a aumentar, e se não fosse o meu fotógrafo me segurar pelos ombros e falar nos meus olhos: ‘Naira, para tudo AGORA e vai se maquiar’ – eu provavelmente estaria rodando até hoje.

 noiva sendo maquiada ao ar livre para mini wedding na praia

noiva se preparando ao ar livre para mini wedding na praia

Ah, esqueci de contar pra vocês um negócio super bacana sobre os noivos.

A Naira e o Tim são completamente apaixonados por cachorros. Eles têm dois de estimação: o Benji, um labrador preto, e o Taj, um vira-lata. Os animais, como bons membros da família, iriam participar de uma forma toda especial do casamento.

casal de noivos com pajem e cachorros na areia em mini wedding na praia

No meio da loucura, meus cachorros chegam com o adestrador. Nunca vou esquecer o momento que os vi no portão. Minhas emoções vieram à pele e eu desabei.  Chorei, chorei feito bebê. Não queria ouvir nada. Apenas ficar com eles.

Seguuuura coração. É emoção demais, Brasil!

A Naira não tinha contratado uma cerimonialista. Quando ela falou que TU-DO foi feito pelos noivos, não estava exagerando.

Mas mini wedding não precisa dessas coisas de cerimonial, né?!

ENGANO total, viu?! Um dos serviços que não têm preço é o de uma boa ou bom cerimonialista, independentemente do tamanho da festa. 

Entrei correndo, atrasada, meu cachorro ficou com medo de entrar (tadinho!) O local da cerimônia não ficou como eu quis, nem no canto que eu idealizei, nem do jeito que eu achei que tinha explicado. Não deu tempo de tirar as fotos oficiais na praia, nem minha e do noivo – a luz acabou! Ficamos no escuro!  No restaurante, os lugares não estavam marcados pois não havia tido tempo, o que atrapalhou a logística do restaurante. Não entramos no salão com todos os convidados às mesas e não dançamos a primeira dança.

noiva entra em mini wedding na praia

casal de noivos em paisagem em mini wedding na praia

 Aqui vamos nós. Posso afirmar, sem nenhum medo de errar, que nada disso chamou atenção dos convidados. Toda noiva tem uma programação na cabeça, um cenário que idealizou, um arranjo que montou no imaginário. Quando as coisas não saem da maneira que ela projetou, o mundo parece desabar!

Contamos os bastidores aqui para mostrar que, nenhuma, nenhuma festa de casamento é 100% mil maravilhas. E isso faz parte da vida, da convivência a dois. O certo é que nenhum contratempo é páreo para a real beleza da celebração do amor.

paisagem de pôr do sol e noivos com placas no rosto em mini wedding na praia

Pra vocês terem uma ideia, conheci o casamento da Naira e do Tim em um blog de casamento super famoso, o Berries and Love. E tiverem outros blogs, já que foi tudo muito especial. É impossível não se encantar com a história do casal e as fotos magníficas no cenário paradisíaco da cerimônia. É daqueles casamentos de revista americana, sabe? Quanta autenticidade, leveza e delicadeza!

Pra você morrer de amores, olha só o vídeo deles!

NAIRA E TIM | CASAMENTO from Oh Yeah Filmes on Vimeo.

A Naira gentilmente ainda deixou alguns conselhos para quem vai casar. Dicas dignas de Ctrl+C – Ctrl+V, hein!

1. Contrate. Uma. Cerimonialista.

Ela é seu anjo da guarda mais precioso no dia. Os seus amigos não são profissionais e podem não ter o pulso que exige para mover as pessoas pros cantos certos, ou pra te isolar do que você não precisa saber. Não importa o tamanho da sua festa, nem se você já tem todos os fornecedores. Você vai precisar de apoio (e no meu caso, uma cerveja na hora da maquiagem)

2. Seja egoísta.

Sim, você leu certo. O dia é seu. Quem tem que estar linda? Você. Então delegue e tenha ao seu lado

pessoas que você confia inteiramente.

3. Faça igual a princesa do Frozen: “let it go”

Essa talvez seja a melhor dica.  E “let it go” rápido, na hora. Porque só noiva que sabe exatamente onde cada palha deve estar colocada, e surpresas virão. É inevitável. Eu lembro vindo no carro do local da cerimônia pro restaurante brigando com meu marido porque a decoração estava diferente. Estava muito diferente? Sim, estava. Mas mais valioso que isso era a nossa vibe. Então let it go e aproveite a festa! Aproveite tudo! Passa muito rápido!

Copiado?

noivos em mini wedding na praia apreciam fogos no ceu

*Fotos: Igor Barreto

 No próximo post…

Na próxima quinta-feira, a gente vai destrinchar todos os segredos de uma celebração no estilo “faça você mesmo”. Vocês sabem que, hoje em dia, os elementos feitos manualmente dão muito mais charme e personalidade aos casamentos, né?! Isso sem falar na economia! Muitas ideias e coisitas pra lá de interessantes no post da semana que vem!

Noiva com Buquê
Criatividade, Economia

Um lindo casamento fora da cidade!

O post de hoje é mais que especial pra mim. Não só por ser o primeiro do ano, mas por se tratar da história da minha grande amiga, Jamille Morais. <3 São quase 15 anos de amizade e, claro, muitos segredos e sonhos compartilhados. Como boa romântica que sou, sempre torci pra ela encontrar o amor pra vida toda e, em 2013, ela encontrou. Ou melhor, REencontrou. O príncipe era o Daniel Melo. Um amigo e amor antiiiiigo que, após mais de uma década sumido do mapa, reapareceu botando ordem na casa de vez, hahaha. O pedido foi super marcante, em frente ao colégio onde estudamos e onde eles se conheceram. Seis meses depois, os pombinhos já estavam a caminho do altar pra alegria geral da nação!!! Amor é assim, arrebata a gente e não quer saber de nada mais!!!

O casamento da bailarina com o “cara do marketing” tinha que ter identidade. Cada detalhe seria pensado pelo casal gracinha com muito carinho. Maaaas, vocês sabem… Ver o que queremos e como queremos, muitas vezes, requer trabalho em dobro. E eles ralaram pra caramba! Como eu, a Jamille teve pouquíssimo tempo e um orçamento apertado pra planejar o grande dia. A primeira boa alternativa foi utilizar a casa de praia do noivo, em Beberibe, a cerca de 80 km de Fortaleza, pra fazer a festa. Eles nem se preocuparam em lutar pra garantir uma vaguinha na agenda lotada da paróquia da cidade. Correram até a Praia de Morro Branco e lá conseguiram rapidinho e, o melhor, sem gastar sequer UM REAL, marcar a data na Capelinha de São Pedro dos Navegantes. Pronto. Era 27 de julho de 2014 e não dava mais pra fugir, hahaha. 😀

Igreja Casamento

Só que a aventura estava apenas começando! Como fazer um casamento bonito e diferente, com pouca grana e tão longe dos principais fornecedores? Criatividade, estratégia e amizade, meu bem! Cada um ganhou uma tarefa específica. Todos os talentos tiveram que aparecer. Quem sabia costurar? Quem cantava? Quem entendia de vídeo? E por aí vai… Eu recebi logo a encomenda das garrafas decoradas pras mesas dos convidados. Minha prima fez cataventos brancos. O vestido da noiva foi criação da tia dela. Outro amigo filmou tudo o que pôde e fez um clipe lindo pros noivos. Os brownies deliciosos foram arte do próprio casal. As mães dos noivos cuidaram da decoração e das lembrancinhas.

Lembrancinhas Mudas de Flores em casamento

Noiva em Casamento na Praia

E enquanto umas coisas se resolviam, outras se complicavam. Como se tratava de um casamento fora da cidade, fora até da Região Metropolitana, os orçamentos de cerimonial, flores e buffet móvel eram altíssimos. Foi muita pesquisa e dor de cabeça, até que eles decidiram contratar quase tudo por lá mesmo. A cerimonialista era de Cascavel, que fica bem próximo. O buffet, de Beberibe. Já as flores tiveram que sair de Fortaleza, transportadas na madrugada.

Casa para Casamento

O tempo passou voando e logo chegou o final de semana do casamento, quando TU-DO iria acontecer. E quem pensa que noivo não sofre, não conhece o Daniel. Ele cismou que queria uma tenda, mas tinha que ser feita por ele, com véus e bambus. Pois bem, encomendou o material e reservou o sábado, antes da festa, para a empreitada mais engraçada do ano. Parecia comédia de cinema mudo. 😆 Ele fincava as estacas, o vento derrubava. Colocava a coberta, o vento levantava. O sol tinindo, bronzeando a pele e torrando o juízo; e nada da bendita tenda ficar de pé. Já era noite, quando o projeto finalmente deu certo, com uma mãozinha do irmão dele, Rafael. Olha a bichinha lá atrás, na foto.

Noiva Jogando o Buquê

Do outro lado, estava a noiva com o carro cheio de daminhas e padrinhos seguindo para o ensaio do cortejo. A caminho da igreja, ela resolveu passar na casa. Quem achou de dar o prego? Todo castigo pra uma noiva desesperada é pouco, né? Hahaha. 😀 Bem uma hora depois, uma carona apareceu pra salvar a pátria. Com quase tudo pronto, a noite foi de ansiedade pela hora do sim e torcida pra que não chovesse, afinal é praia, né?

Ainda era madrugada, quando a correria começou na casa. Todo mundo se trocando. A decoração sendo finalizada. Enquanto isso, muuuuuuita gente ainda pegava a estrada, inclusive o irmão da noiva que ficou encarregado de levar o bolo. “Será que vai chegar inteirinho, aqui?” Era só o que ela pensava. 😯 Chegou, gente. Calma, respira!

Cada um deu o seu jeitinho pra estar lá a tempo, inclusive nós, a “turma da escola”, que saímos da capital às 7h da matina no Fiat Uno do nosso amigo, Gladson, mais felizes que menino indo pra excursão no Beach Park. A viagem de uma hora e meia teve direito a lenço no cabelo, estilo Thelma e Louise, trilha sonora do F.R.I.E.N.D.S e parada em posto de combustível pra trocar de roupa. Nenhuma maluquice com seus amigos é demais, né? 😛 Muito amor envolvido.

Madrinhas Casamento

Encontramos a capelinha e, em pouco tempo, o lugar estava lotado. De longe avistamos o carro da noiva. Todos estavam lá. Êpa, quase todos. Cadê o padre? Ligavam e ligavam pro número dele… E nada! Quase uma hora já havia se passado. Deu tempo até de comprar arroz num mercadinho lá perto. Seria o primeiro caso em que, no lugar do noivo, foi o padre quem fugira. Oh, meu Deus, como pode? Imagine só, os nervos da Jamille, esperando ansiosa dentro do carro. Já tava até pedindo a São Longuinho pra acharmos este hômi, quando, de repente, se aproxima aquele rapaz, com lupa de surfista e semblante descontraído. Acena e entra na sacristia. Segundos depois, ele estava prontinho. Era o dito cujo!

Noivos e padre em Casamento

Os contratempos foram esquecidos! A celebração foi linda, a noiva parecia um sonho, era alegria e só.  Teve beijo apaixonado e chuva de arroz. <3 Foi assim o começo do “felizes para sempre”!!!

Saída dos Noivos com Arroz

Detalhe: Depois descobrimos que o “padim” descolado era integrante de uma banda de rock religioso e tinha se apresentado na noite anterior  no Halleluya. Oo Deve ter celebrado o casamento “virado”, mas , apesar do susto que deu na gente, arrasou com umas palavras inspiradas na hora do sermão. No fim das contas, tenho certeza que a Jamille e o Daniel ficaram mais que satisfeitos com cada detalhe desse dia tão especial. Já as presepadas do caminho tornaram o sonho ainda mais divertido! Como é na vida real!!! 😉

Beijo dos Noivos

Bom humor e muito amor aos dois, sempre! =*

No próximo post

Você já considerou a possibilidade de casar no parque? Semana que vem, nós contamos a história de um casal que investiu na ideia e como o desafio valeu à pena!

noivos sorrindo depois do nervosismo de noiva
Criatividade

Quando bate o nervosismo de noiva…

Quem aí já teve uma crise de riso quando estava bem nervosa? Ou sentiu uma dor de barriga daquelas? No meu caso, ao menor sinal de tensão, pingo de suor, como vocês puderam comprovar no primeiro post do Causos de Noiva. Mas quero logo dizer: noiva e nervosismo são quase sinônimos e coisas, digamos, bem interessantes podem acontecer quando se está prestes a subir ao altar. Que o diga nossa amiga Claudinha Andrade!

mãos de noiva em nervosismo de noiva

Antes de mais nada, deixa eu fazer as honras da casa e apresentar-lhes devidamente nossa personagem real desse causo hilário.

Primeiro, esse diminutivo aí no nome pode até dar a impressão que Claudinha é daquelas menininhas frágeis, singelas, ingênuas. Esqueça! Nossa amiga é uma loirona, mega desenrolada e sem muitas firulas. Posso dizer, sem medo de errar, que muito marmanjo não tem a coragem dela, viu?! 

noiva se arrumando

Tem mais: não é qualquer coisa que deixa a moça nervosa, não! Ela é jornalista de TV. Apresentadora e repórter pra qualquer parada. Já perdeu as contas de quantas vezes entrou ao vivo. Sempre tranquila, firme, linda e loira, obrigada. Toda vez que eu entrava ao vivo, pra vocês terem uma ideia, eu sentia meu rosto ferver, minha garganta secar…Fora a cachoeira de suor, claro! Não é nada fácil.

Pois bem. Mesmo com um fantástico currículo emocional, Claudinha entrou em PÂNICO antes do próprio casamento começar. É o tal do nervosismo de noiva. Vocês nem vão acreditar no que aconteceu…

noiva segurando o buquet saindo do carro em nervosismo de noiva

Ela chegou pontualmente à Praia do Futuro em Fortaleza, Ceará, onde a cerimônia ia acontecer. O irmão era o motorista do carro. Por conta do vento forte, a banda ainda estava fazendo os últimos ajustes para que o som saísse perfeito. 

“Cerimonialista – Coloque o carro da noiva ali em frente à outra barraca. Ainda não está na hora!”

Então tá, né?! De dentro do carro, a nossa noiva pôde ver o convidados chegando.

O tempo foi passando, passando… uma sutil e intrusa vontade começou a se aprochegar: a vontade de fazer xixi! Até então, um desejo secreto. 

“Cerimonialista – Claudinha, o cortejo vai demorar um pouco para começar, ok?!

Claudinha – Mas, assim, se por acaso der vontade de fazer xixi?

Cerimonialista – Não faz! Aguenta até o fim! Por quê? Você está com vontade?

Claudinha – Não, só curiosidade mesmo.”

Nossa amiga pensava que a vontade ia passar, mas sabe como é…em um momento de fortes emoções como esse, ela SÓ AUMENTA! Foi aí que o desespero bateu ‘dicumforça’.

“Acho que vou prender. Mas e se a cerimônia demorar demais?”

O irmão dela entrou no cortejo e depois voltou para estacionar o carro em frente à barraca da cerimônia.

“Claudinha (desesperada) – Você vai ter que conseguir um copo descartável! Eu quero fazer xixi!

Irmão: 😯

Eu tenho uma pena dos irmãos das noivas em casamento. Eles sempre se metem em cada roubada por conta dessas mulheres que amam hahaha. Esse pobi saiu correndo e batendo em todo estabelecimento que via, na implacável busca por um simples copo descartável. Mas ele não conseguia. Tadinho! 

Enquando isso, Claudinha usava todo seu poder mental para segurar o líquido indesejável. Mas estava difícil. Quase um martírio.

close do rosto da noiva loira e de olhos verdes em nervosismo de noiva

De repente, ela avistou uma garrafinha, essas squeeze de plástico, dentro do carro. Seria a salvação? Ah, teria que ser. Mesmo com a boquinha menor em relação ao copo, ia dar certo.

“Pedi pro meu pai sair do carro. Tirei a tampa da garrafinha, levantei as milhares de saias e forros do meu vestido hahahahaha, mirei e fiz! E quase não acaba, viu?! Depois joguei a squeeze no lixo”

Vocês leram isso? Eu quase não consigo parar de rir!!!

Alguns minutos depois, o irmão dela volta todo contente por ter conseguido o bendito copo.

 “Claudinha – Ah, meu filho eu já fiz!

Irmão – No vestido?  😯

Claudinha – Claro que não! Depois eu conto!”

pai beija noiva na testa na entrada do casamento na praia

“Fui casar, de bexiga vazia, muito feliz e bem mais aliviada”

Hahahaha Ainda não parei de rir, gente! Calma. Estou me recompondo. 

casal caminha em direção ao altar em casamento na praia

Alguém duvida que essa mulher é mega desenrolada?

Claudinha hoje já é mãe de uma princesa, fruto dessa linda união. A filha, com certeza, vai dar continuidade a essa geração de mulheres irreverentes e sensacionais!

Multiplica, Senhor! 😉

saída de casais de noivos na praia em nervosismo de noiva

No próximo post

Na próxima quinta-feira, tem uma história de uma noiva que resolveu casar de manhã e em um lugar distante da cidade. Se casar de manhã já é uma correria danada, imagine ter que preparar toda uma logística para um ‘senhor’ deslocamento logo nas primeiras horas do dia! Cada coisa aconteceu, viu… E a gente conta tudinho!

noiva de jangada
Criatividade

Em casamento na praia, vamos de jangada!!!

Basta pensar no cheirinho de maresia e na vista incomparável do litoral do Nordeste e eu já quero casar de novo, só pra ter uma versão praiana da festa (hahaha, meu marido enfartando aqui!!!). Muitos casais compraram a idéia e o casamento na praia virou um negócio lucrativo e, ao mesmo tempo, absurdamente caro. Muuuuita gente, por sua vez, desistiu da opção rapidinho só de ver os preços, mas, meu povo, algumas noivinhas são duras na queda, viu? Minha amiga Darley Melo, talentosíssima jornalista de Fortaleza, era dessas que tinham muito fôlego (e lábia pra gastar também, hehehe).

Ela conheceu o marido, Gustavo, na praia e nada mais justo que esse também fosse o cenário do dia do SIM. Só tinha um detalhe, a Darley não só sonhava em casar de frente pro mar, tinha que ser, digamos assim, I-NES-QUE-CÍ-VEL! O primeiro passo foi procurar o local para a festa e a cerimônia. Depois de muita pesquisa, eles escolheram uma casa na Prainha, em Aquiraz, a 20km de Fortaleza. O lugar era perfeito, bem no encontro do rio com o mar e, o melhor, uma pechincha em comparação com as outras opções. Pra aproveitar ainda mais o momento, os familiares mais chegados e os noivos decidiram passar logo o final de semana por lá e fizeram o esquema “casamento americano”, com todo mundo ajudando nos preparativos.

Casa do casamento na praia
Chegou o dia 18 de março de 2012! Dava até pra cantar Jeneci: “Pra gente se casar domingo, na praia, no sol, no mar…” Assim que amanheceu, cada um tinha uma tarefa. O noivo foi com os amigos fixar as placas indicando o trajeto para a casa (pelo amor de Deus, não queremos ninguém perdido!!!)
Planas indicando local do casamento
A mulherada também tinha muitos afazeres, portanto… Foi tomar um banho de mar (porque ninguém é de ferro, hehehe). Foi quando a Darley viu a idéia mirabolante “literalmente” surgir diante dos olhos: “Fiquei refletindo sobre a importância daquele dia. (…) Eu não seria mais solteira… Aquele era meu último domingo como uma donzela desamparada. 😉 Todo aquele tempo de enrolação (6 anos e meio de namoro) ia acabar em algumas horas! Entre pensamentos e alegrias, me deparei com uma jangada que chegava do mar com apenas um pescador… É isso! VOU CHEGAR NA CERIMÔNIA DE JANGADA!!!”
Oi?!
É ou não é coraaaagem?! No meu caso, que não sei nem nadar, tinha que ir de bóia, hahaha. 😀
Voltando…
Aí veio a negociação, nas palavras da noiva:
“Darley – Ei moço, quanto você cobra pra me levar pro outro lado do rio? Até aquela casa?
Pescador – Agora, moça? Baratinho.
Darley – Não, só às 16h30. Vou casar.
Pescador – Eu cobro 200 reais!  
Darley – OI? DUZENTOS? Moço, não são nem 200 metros!
Pescador – É porque pra casamento é mais caro.
Darley – E o senhor sempre leva noivas pra lá por esse preço?
Pescador – Não, nunca vi nenhuma noiva por aqui, não. Você é a noiva?
Darley – Moço, me ajude.
Pescador – Vou por 100 reais!”
 Local do casamento na Praia
Até os jangadeiros entendem do mercado casamenteiro, meu bem, não se engane! Hahaha. 😉 Bom, com o negócio fechado, minha amiga, Darley, estava determinada a seguir o plano babado e deixar todo mundo de queixo caído (inclusive o noivo lindo, que não sabia de nadinha).  “Era isso ou entrar a pé, pela calçada, igual a todo mundo. Não, sou única!” Só teve um probleminha. Na empolgação, ninguém lembrou de pegar telefone ou endereço do tal pescador. O jeito foi esperar que ele cumprisse a promessa de aparecer no local e horário marcados.

Minutos antes do casamento, chega a comitiva com a noiva, a assistente do cerimonialista e o primo do noivo, Tiago, os dois últimos #chateados nada felizes com a idéia surpresa, que se desse errado poderia colocar o casamento por água abaixo de verdade. E se chover? E se você cair no rio? E se, e se…? Nada a convenceu, ela estava decidida. Quando desceu do carro de vestido branco, salto e buquê, ainda posou pra foto com um monte de banhistas, mas depois dos 15 minutos de fama… Cadê o pescador? É… Rapadura é doce, mas não é mole, não. Oh desespero! O jeito foi procurar outro jangadeiro (não falei que ela não desistia?!). Logo encontrou um rapazinho que já se preparava pra ir pra casa. E tome lábia: 
“Darley – Ei, moço! Quanto você cobra pra me levar até aquela casa depois do rio?
Jangadeiro – Vai casar, é???
Darley – Sim, eu vou! Quanto você cobra? É que eu combinei com outro pescador e ele não veio. Estou desesperaaaada!
Jangadeiro – Quanto ele cobrou?
Darley – 25 reais. (Ah, moleeeeque, hahaha.)
Jangadeiro – Cobro 50.
Darley – Moço, mas só vim com 25.
Jangadeiro – Tá eu faço por 25.
Darley – Moço, é que a (jangada) dele era bem pintadinha, ajeitadinha… A sua é menor e tem uma cadeira azul na frente…
Jangadeiro – Hummm…
Darley – Mas, na verdade, vou dizer a real… Tô pobre, gastei muito no casamento…
Jangadeiro – Moça, faço por 20 e ponto final.
Darley – Pronto. Tô só com 10 aqui, mas lá do outro lado te dou os outros 10, tudo bem?”

Depois de tanta luta, o desfecho perfeito!
Chegada da noiva de jangada
Em menos de 4 minutos, ela já estava do outro lado, em terra firme, intacta, linda e feliz nos braços do seu amor! Detalhe, nem o pai da noiva sabia do plano. Todo inocente, esperando a filha do outro lado, hehehe. Muita emoção, inclusive pra ela: “Não chorei, só pensei na nossa música, quando tocou. É… Meu marido e meus convidados vão demorar a esquecer esse dia! E olha que tudo isso só me custou 10 reais!”
noiva de jangada noivos e pai da noivaD&G3
Você que pensa, Darlinha! O seu casamento na praia dos sonhos custou, também, um jogo de cintura que muuuitas de nós queríamos ter, viu?! :*
PS.: O pobre do jangadeiro, por sua vez, deve ter visto que ia esperar demais e foi embora, se contentando só com os 10 contos que tinha no bolso. Espero que ele não leia esse post, hein? Hehehe. 😛

No próximo post…

Toda noiva fica uma pilha de nervos, minutos antes do casamento. Pois é, nessa hora, o inacreditável pode acontecer! Tipo… Uma vontade louca de fazer xixi, exatamente quando você deveria entrar na cerimônia! Quinta-feira que vem, nós contamos como a Claudinha Andrade resolveu isso!!!