Browsing Tag

casamento econômico

juntar dinheiro para casar casal vendendo trufas
Criatividade, Economia

Casamento dos sonhos: como eles conseguiram

A foto com a plaquinha “nos ajude a casar” não tinha como passar despercebida na minha timeline. Que expressão linda de coragem, amor, companheirismo, vontade de fazer acontecer de verdade! Postei no Facebook e Instagram do Causos de Noiva e fiquei acompanhando a página do casal Carou & Gus (Carolina e Gustavo). Alguns meses depois, vejo a foto da realização do sonho. Quanta felicidade! A montagem do antes e depois fez o maior sucesso e, com certeza, inspirou muitos outros casais.

Agora, você sabe a trajetória completa por trás das fotos? Fui saber a história todinha e como eles conseguiram juntar dinheiro pra casar.

Os dois se conheceram na igreja em abril de 2014. Logo no início do namoro, bateu aquela certeza: é ele! É ela! Planejaram o casamento para 2016, não por acaso.

Nós decidimos que queríamos casar em 2016 de qualquer jeito. Primeiro, porque não queríamos prolongar demais a espera por algo que queríamos tanto. Segundo, que foi o ano que meus pais fizeram 20 anos de casados e meus avós 40, então é um ano especial pra família.

casal vendeu trufas para juntar dinheiro pra casar

Faltava somente o que? A grana, claro! Sempre ela (ou a falta dela) bem no meio dos planos das noivas. Pra piorar, o Gus perdeu o emprego em dezembro de 2015.

E aí? Senta e chora? Negativo!

Minha avó (linda, maravilhosa ) deu a ideia de vendermos trufa na rua. Trabalho com minha avó em encomendas de bolos, doces, salgados, chocolates… Aí já tínhamos os materiais necessários. Imaginei que precisaríamos de algo pra chamar atenção e veio a ideia das plaquinhas. No começo a timidez tava vencendo, mas teve uma hora que decidimos encarar. Fomos pra rua com 25 trufas achando que não daria em nada e saiu em menos de 40 minutos.

vendendo trufas para juntar dinheiro pra casar

Os dois faziam as trufas de madrugada durante a semana e vendiam nos finais de semana na rua, em shows e eventos abertos. Foram várias noites em claro!

Quando postei a montagem da Carou e do Gus, uma outra noiva comentou que tentou fazer doces pra vender, mas foi tão ridicularizada pelas pessoas, que não conseguiu seguir em frente no projeto. Pode um negócios desses?! É muita maldade desanimar alguém em uma ação tão linda como essa. Com o nosso casal, os ataques também aconteceram.

vendendo trufas para juntar dinheiro para casar

Quando a primeira foto da plaquinha viralizou, foi postada e compartilhada em diversas páginas. Líamos coisas absurdas e sem sentido algum. Apenas gente amarga e sem noção. No começo eu até tava me importando e me chateando, mas desencanei. A gente focou apenas no nosso amor e na vontade de casar, o resto sempre foi resto.

Os dois começaram a vender as trufas em fevereiro e casaram em novembro de 2016. Arrecadaram 6 mil reais, din-din líquido. Lembrando que eles só vendiam em finais de semana. A noiva disse que o dinheiro ajudou muito, mas o casal ganhou diversas coisas dos amigos e principalmente da família.

Quando a foto das trufas bombou veio todo tipo de gente nos oferecer as coisas, mas nenhum desses realmente ajudou. Sem a nossa família e as pessoas incríveis que Deus colocou no nosso caminho para nos abençoar, não teria sido do jeito que foi. Somos muito gratos a todos eles e a Deus, pois sabemos que era promessa dEle e se cumpriu.

carou e gus venderam trufas para juntar dinheiro pra casar

No dia do casamento, a Carou ainda precisou lidar com um acontecimento bem desagradável. Uma pessoa, que nem ela nem o noivo conheciam e não sabiam como ela tinha ido parar ali na cerimônia, simplesmente passou mal e desmaiou. Isso segundos antes da noiva entrar. Aí, quebra o clima do momento, corre um de lá, outro de cá. Imagine como a Carou ficou…bem brava e até chorou durante a festa, mas passou.

noiva prestes a entrar

Para as noivas do Causos, que estão lutando pra juntar dinheiro para casar, ela deixa o recado.

Ignorem todas as pessoas negativas que cruzarem seus caminhos e foquem apenas no amor e na vontade de realizar esse sonho. E, principalmente, confiem e entreguem nas mãos de Deus. Trabalhem duro, mas onde não puderem mais fazer nada, deixem Deus entrar em cena e operar milagres, Ele gosta de surpreender e sempre faz o que é melhor pra nós.

casal vendeu trufas para juntar dinheiro pra casar

 

*Fotos oficiais do casamento: Rafael Mederi

*Fotos do pré-wedding: John Edgard

casamento por adesão
DIY, Economia, Originalidade

Casamento por Adesão: fica chato?

Não sei se foi minha irmã ou uma das minhas amigas malucas que falou pra mim uma vez, quando estávamos prestes a sair de mãos abanando rumo ao aniversário de uma amiga: “aniversário hoje em dia, meu bem, é moderno. Cada um paga o seu no restaurante e não tem essa de presente, não.”

Eu acho “ótema” essa ideia e muita justa. Todo mundo se encontra no restaurante, pede o que quer comer do cardápio, diverte-se e, no final, cada um paga o seu. Levo presente quando o cartão de crédito ainda tá de buenas (ou seja, no começo do mês 😁), mas quando o negócio tá apertado, vou sem presente mesmo, na vibe da “moderneza da vida”.

Agora vem a parte interessante. Esse estilo moderno de festa não está restrito aos aniversários, não.  Existe o chamado “casamento por adesão”, que vai nessa mesma pegada de convidado paga o seu.

casamento por adesão

Mas e aí, será que fica meio chato pro convidado, esse tipo de casamento? Afinal, não é um aniversário, que você comemora todo ano. É um CASAMENTO, né?!

Então, permitam-me contar um pouco da história da Aline Santos e do Diego para vocês tirarem suas próprias conclusões.

casamento por adesão

Os dois se conheceram em um grupo do Facebook em 2013. Alguns encontros e despedidas depois, vieram o namoro à distância (ele em Brasília e ela em São Paulo) e o noivado, com festa e tudo, em abril de 2014. Contando assim, parece que as coisas sempre foram fáceis e simples. Ledo engano, né, Aline?

Nesse período fiquei desempregada, então os planos de casamento ficaram pra depois, mas a saudade por conta da distância só aumentava mais. Foi então que decidimos casar somente no civil em outubro de 2015.

Eles estavam firmes nessa linha de casar apenas no civil e juntar dinheiro para mobiliar a casa. O problema é que as coisas foram fugindo do controle (conheço bem isso!). Pitacos dali, pitacos dacolá e o casal começou a cogitar a ideia de fazer mais do que um casamento civil.

Meu então noivo sempre quis casar na igreja. Eu preferia usar o dinheiro na recepção e, pra conseguir fazer as duas coisas, optamos pela recepção por adesão, já que não teríamos tempo hábil pra juntar dinheiro pra fazer uma festa e nem disposição emocional pra aguentar mais de mil quilômetros de distância por mais um ou dois anos.

casamento por adesão

E assim eles fizeram uma cerimônia simples e intimista na igreja e o casamento por adesão, no qual o convidado paga um valor X pelo seu consumo na festa, feita geralmente em um restaurante, reservado para aquela ocasião.  

casamento por adesão

Quando chegamos na pizzaria, pra minha surpresa, só tinha mais duas vagas de garagem disponíveis. A pizzaria lotou: 180 pessoas pagantes!!! Foi muito lindo ver todo mundo lá. Como fizemos o casamento por adesão, não coloquei lista de presentes no convite e, mesmo assim, ganhamos muitos presentes. Também não passei sapato da noiva e nem cortamos a gravata do noivo e, ainda assim, ganhamos bastante dinheiro no dia.

A Aline sabe que algumas pessoas não foram justamente por ser uma recepção por adesão. Mas isso não mudou em nada o brilho do momento.

casamento por adesão

Honestamente, não me arrependo nem um pouco do casamento por adesão. Casei sem dívidas, todo mundo amou a pizzaria e a pizza principalmente, saíram todos satisfeitos e felizes, como eu. Deixo aqui minha única dica: convide pessoas importantes pra vocês, porque a única coisa que é feia é usar de etiqueta pra fazer a lista de convidados, já que no fim das contas, você pode servir sanduíche ou lagosta e sempre vai ter gente falando mal. No nosso caso, se teve, eu não fiquei sabendo.

casamento por adesão

Então, e agora, o que você acha do casamento por adesão? Comenta aí pra eu saber sua opinião. 😉

*Fotos: Samuel Campos Fotografia

casal projeto uma latinha pra casar casamento simples
Criatividade, Economia

Casal junta latinhas para casar

Só quem está se preparando para casar, sabe o quão difícil é ver esse planejamento sair do papel. Qualquer casamento simples, hoje em dia, come uns bons bolinhos de dinheiro da nossa conta bancária. As tão suadas notas nem chegam a ver a cor do nosso bolso. Isso sem falar nas milhares de coisas que vão além de cartório e festa, como a arrumação da casa, né?!

Se o negócio aperta, os noivos também sabem se reinventar. (Lembram desses dois que vendiam água na praia?) O Bruno e a Ana, juntos há quase dois anos, são exemplo disso.  Pra eles, não tem tempo ruim quando a meta é juntar as escovas de dentes. Colocaram o casamento como objetivo e traçaram um projeto que deve terminar no final de 2016.

casal do projeto uma latinha pra casar casamento simples

Começamos a fazer os orçamentos para o casamento e vimos que não teríamos condições de pagá-lo com nossos salários. No fim de 2015, resolvemos, então, juntar latinhas, já que minha mãe faz isso e eu sempre a ajudava quando podia.

Latinhas de alumínio! De uma em uma, eles vão renovando as esperanças de conseguir fazer o mais lindo casamento, simples que seja. O projeto ganhou até um nome e uma página no Facebook: Uma Latinha para Casar. Simples assim.

banner uma latinha pra casar casamento simples

Vocês tem noção do amor que move esse casal? Quantos teriam a força de vontade deles?

Juntar latinhas não deve ser nada fácil e é preciso muitas para se ter algum dinheiro. Para vocês terem uma ideia, pelo que pesquisei aqui, o quilo da latinha de alumínio vale de R$ 2,40 a R$ 3,70. Para conseguir um quilo, são necessárias 75 latas. Faça os cálculos aí.

Mas como diz o ditado: ter amigos é melhor que dinheiro no bolso. A história do Bruno e da Ana se espalhou pela cidade do interior de Minas Gerais (Itabira), onde moram, e a adesão entre colegas e até desconhecidos foi incrível:

É até engraçado porque eles sempre falam com a gente: “não consigo mais ver uma latinha na rua e não recolher para vocês”. É gratificante ver todos envolvidos com o projeto. Não apenas amigos, mas pessoas que nem conhecíamos antes.

latinhas do projeto uma latinha pra casar arrecadação proejto uma latinha pra casar casamento simples

Os dois já arrecadaram mais de 20 mil latinhas, que estão sendo armazenadas na casa deles para serem vendidas no final do ano. Mas há lugar pra muito mais, viu?! O casal, que se conheceu ainda na escola, tem fé que a celebração desse amor e o sucesso do projeto serão lindamente comemorados no dia 17 de abril de 2017, a provável data do casamento. 

casal uma latinha pra casar casamento simples

Acessem a página deles (Uma Latinha para Casar) e ajudem como puderem! 🙂

* Foto destaque: Igor Procópio/DeFato

chuva de amor
Erros e lições, Originalidade

Chuva de amor

Eita, chuva de verão! Corre, “minino”, tira a roupa do varal! Esse ano ela veio com tudo. Pelo menos na maioria dos estados brasileiros, é água muita, né?!  Que ela continue caindo nos reservatórios e os encha até a tampa, amém?

Quem provavelmente disse um amém meio “chóxu” foi a galera que vai casar. Isso porque chuva e casamento geralmente não fazem uma combinação muito legal. Se os noivos estão preparando a cerimônia ao livre, então, viiixe! Têm calafrios só de olhar a previsão do tempo e ver aquele 1% (vagabundo) de chuva no grande dia.  😎 

A Renata planejou uma celebração em um domingo de manhã, ao ar livre, em uma pousada, toda no estilo DIY. Várias mãos ajudaram a fazer cada detalhe do casamento. No sábado anterior a festa, os noivos começaram a deixar o local com a carinha deles. 

chuva de amor

Montamos a tenda, as mesas, as cadeiras da cerimônia, o pergolado. Poucos detalhes ficaram para domingo de manhã. Chuviscou na hora do almoço, mas nada que atrapalhasse. Nosso plano B era, caso chovesse, fazer a cerimônia embaixo da tenda onde seria servido o almoço. Às 5 horas da tarde, começou a chover forte e não parou mais. Quando voltamos à pousada à noite, para levar algumas bebidas, percebemos que o jardim estava alagado e a tenda vazava, não segurava a chuva. Fiquei nervosa, mas confiante. Fui dormir pensando que iria acontecer como nessas histórias que lemos em blogs, onde a chuva dá trégua bem na hora da cerimônia.

chuva de amor

Realmente essas histórias aí que parecem mentira existem, viu?! Inclusive, tem uma impressionante aqui do Causos, que me emociona toda vez leio. Olha só ela aqui

Mas existem outras histórias também. Que também são de blog. Que também falam da chuva. Mas da chuva que não deu trégua. Que fez questão de comparecer na festa e deixar tudo diferente. 

Acordei às 4 da manhã do domingo com o barulho da chuva forte. Cheguei à pousada às 6h com tudo alagado. Só conseguia chorar. Tantos meses planejando cada detalhe, o balanço, a mesa do bolo embaixo embaixo da árvore, as mantas e as almofadas pela grama, o pergolado com o mar e os barquinhos de fundo. Desespero maior foi ver que o salão da pousada era pequeno e não caberiam meus convidados.

chuva de amor

O plano A e o plano B já não eram viáveis. O jeito era correr para encontrar um plano C. Os noivos, os padrinhos e depois alguns parentes e amigos que foram chegando ajudaram a transferir tudo para uma parte coberta. A dona da pousada (olha aí o milagre acontecendo de outra maneira) liberou um outro espaço que não estava no pacote e a celebração começou a tomar forma. Só depois disso, a Renata foi se arrumar.

chuva de amor

Atrasamos uma hora e meia. Quando iniciamos, abriram a porta do quarto e eu vi tudo no lugar. Toda decoração que eu tinha planejado sendo usada, todos os convidados acomodados de forma confortável.  Pensei: que chuva linda!!!! Todas aquelas pessoas levantaram cedo, andaram na chuva, se preocuparam em deixar tudo do meu gosto, se preocuparam em fazer eu e meu noivo felizes. Foi incrível ver o amor de cada pessoa presente ali. Todos me olhavam e sorriam. Meu noivo me esperando lá na frente me olhando com tanta ternura. Foi a chuva mais linda que eu já vi porque ela veio cheia de amor.

chuva de amor

Assim, os noivos resolveram receber toda a aquela água que caia do céu como benção. Como diz o ditado: “Viver não é esperar a tempestade passar, é aprender a dançar na chuva.”

chuva de amor

E eles dançaram, curtiram e deixaram o amor transbordar. As fotos ficaram tão espontâneas e contagiantes!

chuva de amor

Essa história mostra, mais uma vez, que há coisas que fogem do nosso controle e, por mais que estejamos com todos os planos muito bem bolados, a vida pode nos surpreender. Isso acontece muito em casamentos, mas em vez de você chorar pelo que deu errado, celebre o que deu certo, como a Renata fez!  😉

chuva de amor

Parabéns, Renata e Douglas!

vestido de noiva da China
Economia, Erros e lições

Vestido de noiva da China? Calma!

‘Sério mesmo que você comprou seu vestido de noiva da China?’

Essa é uma das perguntas que mais ouço quando estou em um roda que esbanja estrogênio. Os homens, principalmente os que estão se preparando pra casar, também espicham as orelhas pra escutar a conversa do vestido chinês. Afinal, eles gostam de economizar na festa, né?!  O Meu casamento da China é um dos posts mais comentados e acessados do blog. Quem não leu, dá uma conferida aqui.

Muitas noivas quando descobrem os sites chineses (e as pechinchas) ficam deslumbradas: “Me segura que vou comprar tudo! Um vestido pro civil, outro pro pré-wedding, mais um pra cerimônia, outro pra recepção e um curtinho pra me acabar na pista de dança.”  Calma, muita calma nessa hora, meninas!

recep (180)_tratada

No meu caso deu tudo super certo, mas vamos ver um outro lado da história.

Assim que contei minha experiência aos quatro cantos do mundo, uma colega, que já casou, revelou:

Nossa, eu também comprei um vestido de noiva na China, mas não tive tanta sorte. O vestido era tão feio que não dava pra fazer pano de chão. Nem tirei fotos dele antes de jogar fora.

Fiquei passada  😯

A Débora Pacheco, que vai casar esse ano, também decidiu investir em peça comprada pela internet. Como todas nós, pobres mortais, ela acha um absurdo o aluguel dos vestidos de noiva aqui no Brasil. Mas depois de dois meses de pesquisa e da compra realizada no AliExpress, a decepção:

Assim que a encomenda chegou fui correndo pra casa pra provar. Provei e no corpo ficou bom, porém não gostei da qualidade. A partir daí fiquei em dúvida se pagava para arrumar ou se alugava outro. No dia seguinte vesti o manequim da minha loja com ele e foi aí que percebi vários defeitos: renda toda com furos, tule duplo mal costurado, uma manga maior que outra. Pensei: vou ter que desembolsar de qualquer jeito os 5 mil reais de um aluguel.

11351360_1638345303051336_8968236913278667075_n vestido de noiva da china

A qualidade das roupas da China, obviamente, não é aquela das passarelas francesas. Mas espera-se algo, no mínimo, razoável e sem defeitos, certo? Já vi uma noiva dizendo que o vestido ficou horrível depois que foi lavado pela primeira vez para ser usado no grande dia. Aí não dá, né?!

A Débora entrou em contato com vendedor, reclamou, reclamou, abriu disputa e depois de uma baita dor de cabeça, conseguiu um reembolso de parte do dinheiro. Apenas parte.

11295813_1638345233051343_7107674127920439893_n

Reclamação da Débora ao vendedor do AliExpress.

Com a Manu Porto, o problema aconteceu com os envelopes dos convites de casamento dela, que irá acontecer em setembro. Ela convenceu o próprio noivo a encabeçar toda a transação online no Ali:

Verificamos as qualificações do vendedor e estava tudo ok! Realizamos a compra e, já com o código de rastreio na mão, adicionei em um aplicativo ‘para acompanhar a minha encomenda. Passados uns 60 dias, estou tranquila em casa, quando “pula” uma notificação na tela do celular me avisando para entrar em contato com os Correios. Como já estava acostumada com as compras, pensei: ui, fui taxada de novo! Ligo nos Correios, ninguém sabia me informar de nada…Aguardo mais uns dias e outra notificação avisando que o carro havia tombado e nesse acidente meus convites teriam sido roubados! Angústia total! Ligo pra eles de novo, aí o atendente tenta me acalmar dizendo que as vezes nem todos os pacotes são roubados e me pede pra aguardar mais uns dias…Aguardei e enfim chegou uma carta impressa dos correios na casa do meu noivo informando que realmente tinham sido roubados! Fiquei arrasada! Triste! Estou desde março tentado receber meu $$ de volta e nada! O vendedor sumiu! Não responde mais a nenhuma mensagem nossa.

convite de casamento da China

convite de casamento da China

No topo, avaliação que o noivo da Manu fez ao vendedor do AliExpress.

😥 😥 😥

Certeza que histórias ruins não faltam, mas, na minha humilde percepção, as histórias boas são maioria. Inclusive, a Débora e a Manu foram categóricas em dizer que recomendam as compras na China. Já compraram e receberam várias outras coisas. É preciso, apenas, cuidado.

E mais uma vez repito: se o vestido é sua prioridade, esqueça a China!

Pra quem continua a fim de entrar nessa jornada maluca, deixo algumas dicas. Beijos e força na peruca! :*

Infografico_causos_1

Obs: Links dos vendedores que deram dor de cabeça às noivas. Passem longe deles, ok?

Vestido da Débora

Envelopes rendados da Manu 

 

Criatividade, Economia

Para pagar casamento, vale até…

É certo, que hoje em dia, com essa indústria louca do casamento, juntar dinheiro para casar bonitinho não está nada fácil, concordam?

Dia desses, passeando pelo Instagram, vi uma noiva rifando o próprio cofrinho de moedas, para ajudar com os gastos da Lua de Mel. Também já acompanhei noivas falando sobre pedir aos convidados, em um chá de panela e até no casamento, aqueles cartões de loteria, as famosas raspadinhas da sorte, sabe? Elas são bem baratinhas e podem esconder alguns prêmios interessantes. Quem é noiva sabe que qualquer 50 reais já ajuda, né?!  A proposta é que a “raspagem” se torne uma brincadeira descontraída que envolva toda a galera da festa. Mas, hum…Não sei bem se amo essa ideia. Você faria isso?

Eu gostei mesmo foi da criatividade, coragem e da determinação do casal de noivos Silvia e Fillipe, que estão de casamento marcado para o fim de 2015. Desde março, todo final de semana é dedicado ao trabalho extra para fins “casamentícios”.

O bom é que os convidados não são importunados com ordens pedidos de traga/compre isso ou aquilo. Na verdade, quem está ajudando os dois a juntar dinheiro para casar dificilmente verá a cor dos docinhos gourmets e bem casados da festa. Como assim? Com uma caixa de isopor abastecida e sob o sol de rachar de Alagoas, eles saem devidamente uniformizados para vender água mineral aos banhistas na praia de Ponta Verde.

juntar dinheiro para casar

A ideia de vender água na praia partiu do Felipe. Quando noivamos, decidimos fazer um orçamento do que seria necessário para montar o apartamento e fazer uma festa de casamento. A gente percebeu que para o básico do apartamento teríamos condições de pagar, mas não teria dinheiro para uma festa de casamento, já que tudo é muito caro! Então decidimos casar só no cartório, mas eu fiquei meio triste e o Fillipe quis me dar essa festa, mesmo que extremamente simples.

Muita gente que frequenta a praia compra as garrafinhas só para ajudar o casal. Tem uns que pagam e nem querem a água. Ficam comovidos e emocionados com essa força de vontade que nasce da fé no amor. ♥  Não é lindo?

noivos vendem água para juntar dinheiro para casar

O trabalho ambulante dos noivos foi algo tão surpreendente que a notícia se espalhou rapidamente e saiu até no portal G1 de Alagoas. Olha que máximo! (Confira a matéria na íntegra aqui)

juntar dinheiro para casar

Silva e Fillipe planejam continuar com a empreitada até outubro, mês do casamento. Se até agora, todo esse esforço tem valido a pena?

Tenho percebido que sim, ainda que o dinheiro não seja o suficiente hoje, acreditamos que nosso objetivo será alcançado. Deus está fazendo mais do que pedimos ou pensamos!

juntar dinheiro para casar

O lucro está sendo colocado em um cofre, por isso eles ainda não fizeram a contabilidade de quanto já arrecadaram. O objetivo não é fazer uma festona de arromba, mas um mini-wedding, pequeno, singelo e inesquecível.  (Viu os bastidores do mini-wedding na praia que contamos aqui no blog? Vale a pena ler!)

Queremos receber fotos desse casamento, hein, Silvia?! Felicidades mil pra vocês! E ah, também voltem aqui pra dizer quanto conseguiram com a venda de água!  🙂

juntar dinheiro para casar

Agora, me digam, quem aí teria a coragem deles?

 

Noivos
Criatividade, DIY, Economia, Erros e lições

Ter ou não ter cerimonialista?

Como todos os casais, meu marido e eu tivemos vários conflitos de opinião durante a preparação do casamento. Não escondo nem isso, porque faz parte, hahaha. Um dia prometo fazer um post sobre como o clima pré-matrimônio fica craaazy, principalmente, dias antes do “sim”. Hoje, especificamente, vou falar sobre “O Primeiro” de todos os embates. Não foi sobre o local da festa, a lista de convidados ou a igreja. O motivo da discórdia foi simplesmente uma questão: ter ou não ter cerimonialista. E até tomarmos a decisão, queimamos alguns neurônios.

Hahaha.. Oh o drama!  😆 

Meu noivo teimava que não era necessário e eu batia o pé que precisava de ajuda. Nosso orçamento era ainda mais apertado com a minha mudança pra SP programada para acontecer logo depois do casório. Do noivado em novembro de 2013 até o casamento em maio de 2014, economia era a palavra mais bonita do dicionário, mas do cerimonial eu não abria mão. Não dava conta de tudo sozinha, meu povo! As chances de dar m… eram bem grandes. Insisti, à contragosto do digníssimo futuro esposo. Comecei a pesquisar e tive chateação pra uma vida inteira. Encontrava super profissionais, mas valores de desanimar. Quando rolavam precinhos camaradas, não tinha a química necessária. Já estava desistindo, tanto que havíamos fechado igreja e buffet, confiando apenas no nosso taco. Foi quando, enfim, chegamos à nossa cerimonialista e foi amor à primeira vista, hahaha.  😆 

dama de honra

Com senso de organização, jeitinho maternal e sempre respeitando nossas opiniões, ela conquistou a gente de cara e nos ajudou até o final. Pelos posts anteriores, já deu pra perceber que nosso casório teve todos os imprevistos possíveis e imagináveis, né? Fizemos muita coisa por conta própria, do jeitinho que podíamos. Abrindo o jogo, não tínhamos budget pra contratar milhares de serviços, então contamos com ajuda de amigos, familiares e com as nossas “habilidades” pra fazer praticamente tudo o que deveria vir de fornecedores externos. Assumimos os riscos e, no dia, muito deu certo e muito deu “errado”, mas a nossa cerimonialista, cercada dos nossos anjos da guarda, ajudou a resolver o que era preciso sem que nós nem percebêssemos. Depois, até o maridão deu o braço a torcer.

Ter uma cerimonialista faz a gente ter um pouco de sossego no dia do casamento. Só precisamos aproveitar e não se preocupar com mais nada. Alguns problemas com fornecedores que a gente não teria tato pra resolver, ela ajudou. Os imprevistos que tivemos, sem a nossa cerimonialista, teriam sido muito pior. Ela deixou a gente com a cabeça mais leve pra curtir a cerimônia e a festa.

Noivos e Cerimonial

Pensando nesse assunto, conversei com algumas noivinhas, entre elas minha amiga, Bruna Lopes, que vai casar em 2017 com seu amado, mas já fechou cerimonial completo até o evento. Ela se deixou guiar pela confiança e contratou a mesma profissional que realizou o casamento do irmão e da prima. Claro, o valor fez jus ao tempo do serviço, mas, pra eles, a segurança faz o investimento valer à pena.

noivos

Eu quis porque sabia que podia confiar de olhos fechados. Foi meu primeiro contrato, depois fechei buffet e agora a igreja. Como só caso em 2017, não tem tanta urgência, mas com a ajuda dela consegui mega descontos. Você fica mais segura, porque tem uma pessoa pra tirar dúvida, dar feedback, dizer se tá caro ou barato, como está o valor do mercado, se cabe negociar mais.  E só de pensar na segurança que eu vou ter no dia do casamento. Eu já teria fechado tudo, mas ela fica: calma, espera a hora certa.

Então, tem que ter?

Não exatamente. O que funciona pra nós, pode não ser o ideal pra você. Cada caso é um caso. Minha amiga, Taira Monezzi, cuidou de tudo por conta própria e o resultado foi um dos casamentos mais lindos que já vi.

Comecei a organizar em janeiro e casei em agosto de 2014. Já fui deixando tudo ajeitado, vim pra Ribeirão Preto, visitar os lugares e encontrar os fornecedores. Aí, quando faltava dois meses, eu pedi demissão e um mês depois mudei pra cá. Assim, tive esse tempo pra me dedicar só ao casamento e fazer do meu jeito. Além disso, economizei. O serviço custava entre 1.500 e 2.500 na época.

Festa

A celebração com festa à luz do dia e “estilo casa no campo” teve 80 convidados, os mais próximos do casal. Cada detalhe feito artesanalmente deu o toque pessoal e intimista ao ambiente (Clique aqui pra ver mais!). E o que precisou ser comprado ou contratado, a noiva resolveu rapidinho, sem criar uma ruga sequer!  😉 

Basicamente, os únicos serviços que contratei foram o buffet, a chácara e o celebrante. Docinhos, comprei. Encomendei bem-casados num empório e eu mesma embalei. Comprei umas 200 mini-trufas com recheio de cereja e coloquei em forminhas de flor. Comprei metade da decoração da China. Fiz os arranjos da mesa e pros arranjinhos das mesas de convidados contei com a ajuda de amigas. Fiz os menus. O Juan (noivo) conseguiu o sistema de som com mesa e caixas. Foi tudo ótimo! Hahaha.   😀 

Como os noivos não eram big fans de formalidades, não houve protocolo algum e isso pra eles funcionou muito bem! Só alegria! <3

noivos

Oh, céus! E o que fazer, então?

Sobre ter ou não ter cerimonialista… Vou ser brega sem dó: siga seu coração, criatura! 😀

1 – Compreenda seu perfil, suas necessidades e seus anseios. Tome a decisão que vai deixar você e seu noivo mais à vontade, pessoal e financeiramente! Cada personalidade é única. Da mesma forma, ninguém conhece melhor o SEU bolso do que você mesmo.

2 – Seja consciente que imprevistos podem acontecer até no mais bem planejado dos casamentos. Não se desespere, tudo passa e o seu dia ainda pode ser incrível. Só pra citar alguns exemplos, lembra do casamento da Michelle em que o teto da igreja caiu? (Confira aqui) E a Bruna que casou em um jardim completamente aberto no dia em que a cidade ficou debaixo d’água? (Leia este causo) O cerimonialista vai simplesmente lhe ajudar a planejar, executar e resolver profissionalmente o que preciso for, usando “as manhas” que adquiriu ao longo do tempo no mundo casamenteiro.

3 – Tenha seu “anjos da guarda” colados em você. Seja sua mãe, sogra, um primo, uma prima, aquela tia-mãe, a amiga ou o amigo inseparável. Eles conhecem onde seu sapato aperta e vão te ajudar a lidar com as surpresinhas que podem surgir! Afinal, nossos parceiros do peito topam qualquer babado pra nos ver felizes, verdade? Can I get an amen in here?  :mrgreen: 

noiva em saia justa
Economia, Erros e lições

Lista de convidados: a saia justíssima!

A cena é real. É uma confraternização entre amigos. Estamos todos à mesa em um restaurante. O cochicho começa. Uma espécie de contrabando também. Não que o produto seja proibido, mas ele só é permitido a certas pessoas. Àquelas que sobreviveram a todos os doloridos cortes da sofrível lista de casamento.

Um convite chega à minha mão por “debaixo dos panos”. Sou orientada a guardá-lo rapidamente e assim faço meio estabanada, como boa canhota que sou. Na hora de ir embora, a noiva desabafa enquanto me abraça: “Ai amiga, fazer lista de convidados é a pior parte de casar. Te prepara!”.

save the date

Depois de alguns meses, compreendi profundamente a angústia da minha amiga e sua tensão em entregar os convites. E claro: eu não estava preparada pra todo esse drama. Acho que nenhuma noiva está. Quero dizer, tenho certeza! Aqui, acolá pipocam na minha timeline alguns posts de mulheres desesperadas em relação a essa situação crítica.

Durante meus preparativos, todos os dias, uma nova página do meu bloquinho ganhava mais alguns nomes de amigos e parentes. Pessoas queridas, talvez não muito chegadas, mas nem por isso menos amadas. Sabia que teria de parar de escrever um dia para então editá-la, mas adiava esse momento, vivendo uma eterna ilusão do mundo dos convites infinitos.

bloquinho de notas para lista de casamento

Esse é meu bloquinho que escrevi (ou melhor, rabisquei) minha lista de convidados infinita. Ele tá guardadinho aqui.

Coitado do meu então noivo. Fiz tanto terrorismo, que ele elaborou uma lista de convidados tão “chochinha”. Não era nem metade da minha.
Já meu pai queria compensar essa diferença.

Por ele, o convite se estenderia até pro pessoal do bar lá da frente de casa. Senhores gente boa, pra cima, felizes e contentes (além de bons de copo!). Nada contra convidá-los para um dia de tertúlia no apartamento da praia. Mas pro meu casamento, não!

Minha festa era pra 150 pessoas. Em determinado momento, não teve jeito. Comecei a passar a tesoura. Mas só a tesoura não deu conta. Precisei passar o facão mesmo. Eliminei, com dó e piedade, pessoas que realmente queria por perto no meu grande dia. Infelizmente as circunstâncias ($$$) ditavam esse ato “brutal”, que destoa um pouco dos contos de fadas de casamento que estamos acostumadas a ouvir. É dramático mesmo, minha gente!

convite para lista de convidados de casamento estilo infográfico

Esse foi meu convite, em forma de infográfico, feito pelo meu grande amigo talentoso Alpoim 😉

Agora lembrei de uma estória verídica que minha amiga, casada há um tempo, protagonizou. Ela tinha sobrevivido ilesa a todos os cortes da lista de casamento da colega de trabalho, provavelmente por conta da convivência diária na empresa. Mas as duas não eram tão próximas assim. O que minha amiga fez? Pasmem: devolveu, no mesmo instante do recebimento, o convite de casamento da menina e justificou: “minha flor, esse é o meu presente de casamento pra você. Não precisa me convidar só porque trabalhamos juntas”. A noivinha aceitou feliz da vida! Tudo na paz e na camaradagem. É muita evolução, não é?

Meu marido brincava dizendo iria começar a desfazer umas amizades pra diminuir a bendita lista. Eu também não queria mais conhecer pessoas novas, ir pra eventos sociais (leia-se chás de panela e seus derivados) e interagir em grupos do WhatsApp e do Facebook. Claro, sempre tinha alguém nesses conglomerados pra fazer a fatídica pergunta: “quem aí vai pro casamento da Kamilla?”. Entendo que todo mundo tem que organizar as caronas, esquematizar as trocas de vestidos e empréstimo de sapatos, mas povo, entendam, é uma saia justíssima para a noiva que não pode convidar todos da roda.

convite de casamento para lista de convidados

A minha lista nunca foi fechada porque acabei me perdendo nas contas (não é à toa que sou jornalista).

Seja o que Deus quiser!

A festa aconteceu, algumas pessoas a mais, mas já era de se esperar. Aí fica a dica para as noivas: feche o pacote e se o número acertado for ultrapassado, você paga o excedente depois. Não compre mais senhas antes do evento, na agonia de achar que vai gente demais, porque se não aparecer todo mundo, o dinheiro não é devolvido. E ah, não se preocupe que o buffet sempre está preparado para um número maior de convidados.

casal de noivos se beija em casamento ao ar livre com lista de convidados restrita

Quando passa, ufa, acabou!

Engano seu, meu bem! Existe a volta dos que não foram convidados. E eles vão aparecer onde você está. Não se preocupe! Existem vários supermercados na cidade, mas o que você escolher, eles também escolherão. No salão de beleza, naquele horário que não tem ninguém, só você, alguns aparecerão. No farol de trânsito, o motorista do carro ao lado, adivinhe, será um deles.

Sumir, evaporar ou sei lá, ter um relógio de morfar dos Power Rangers seria uma boa nessas horas, né?! Mas quero lhes dizer, com toda sinceridade, que o melhor mesmo é guardar o constrangimento no bolso e puxar um bom papo com os que não foram. Muitas vezes, e não raras, a vergonha, culpa ou mal estar é a gente que cria sozinha, na nossa cabecinha pequena. O outro indivíduo geralmente está gastando energia com preocupações reais e torce pela nossa felicidade independentemente de festa de casamento. Foi demais perceber isso!

Claro, alguns poucos não voltam. Por enquanto, acho melhor deixá-los ir mesmo. Se forem solteiros e casarem um dia, quem sabe, compreenderão que amizade pode sim, (e deveria) sobreviver a um não-convite de casamento.

No próximo post…

Sabe quando o imprevisto é tão surreal que a única coisa a fazer é confiar em Deus? Na quinta-feira que vem, vamos contar a história de um casal que sonhou e planejou uma cerimônia linda num jardim super romântico. O problema é que no dia tão sonhado, a cidade amanheceu debaixo d’água. Como esse causo acabou? Volta aqui no blog pra conferir!!!

lua de mel
Economia

Vamos falar de Lua de Mel!

O espírito de jornalista é aventureiro e treinado pra viver fortes emoções. E o que isso tem a ver com casamento? É que a noiva em questão, hoje, é uma jornalista bem “afoita”, no linguajar mais nordestino: a querida Cíntia Ribeiro. Fico muito feliz em contar a história dela porque, pela primeira vez, vamos falar de LUA DE MEL! U-hu!!! 😀 E esse causo vai inspirar muita gente, viu?!

Bom. Alguns casais investem na festa, outros na cerimônia… Há também os que priorizam a casa nova e, com tantos compromissos, muitas vezes, o dinheiro acaba antes dos planos chegarem à lua de mel, estou certa? Então, com a Cíntia e o Eudes foi desse jeitinho também. A ficha caiu seis meses antes do casório, quando a noiva decidiu cuidar do assunto.

Meu sonho era ter uma lua de mel, daí fui a uma agência de turismo ver alguns pacotes. Ao chegar lá, fui surpreendida com os valores absurdos. Veja só, quatro dias em Porto de Galinhas (PE) me custariam mais de 10 mil reais! Isso, incluindo passagens aérias, Palmas/Recife. Quase morri de chorar quando saí de lá, porque eu não tinha toda aquela grana!

Acontece que essa noivinha não estava nenhum pouco disposta a abrir mão da tão desejada viagem. Pediu socorro ao primo, Douglas, que também seria padrinho do casamento. “Pai Google” ajudou, os dois conseguiram levantar uma lista de hotéis e começaram a ligar até que encontraram o lugar perfeito: uma pousada linda de frente pro mar no destino que ela sonhou. Sete dias de hospedagem com café da manhã custaram 1.800 reais. Fechou! Partiu? E agora, vamos como? O casamento seria em Gurupi, Tocantins, onde os pombinhos moravam. As passagens de avião, em pleno janeiro, estavam de matar! Aí entra o noivo com a saída de mestre!

Liguei pro Eudes e ele disse: Vamos de carro! Eu nunca tinha feito uma viagem desse tamanho e ele, embora tivesse muito costume de dirigir, também nunca tinha guiado tantas horas seguidas… Mas claro que eu topei!

O fato é que os dois foram ainda mais espertos e corajosos. Depois do casório, eles mudariam de vez pra Fortaleza e aproveitaram a “deixa” da lua de mel pra levar a “mudança” até o Ceará. A festa aconteceu no sábado, 8 de janeiro de 2011. Aliás, começou, porque só terminou às 3 horas da manhã do dia seguinte. Às 9 horas, os recém-casados, muito dispostos, deixaram a cidade em uma Saveiro, lotada até o topo com tudo o que  tinham, inclusive os “milhares” de presentes que ganharam, rumo à Terra do Sol.

O importante era ter um pouco de grana pra não ficarmos no prego (o carro quebrar), no caso de uma emergência, mas nada de muito dinheiro, já que não tínhamos mesmo! Hahaha. Não conhecíamos a estrada. O Eudes pesquisou bem a rota no Google, que ė sempre tão camarada. Até Fortaleza, 2 mil quilômetros. Chegamos, desfizemos a carga e partimos de novo! Acho que para se fazer esse tipo de coisa tem que ter coragem, além de qualquer outra coisa, e espírito aventureiro também, claaaro!

lua de mel - estrada

Mais umas centenas de quilômetros rodados até Pernambuco.

Paradas? Apenas para abastecer o carro, esticar as pernas, ir ao banheiro ou, quando dava sono. Dormíamos em qualquer canto que desse pra encarar, né? Hahaha. Ou mesmo dentro do carro em um posto de combustível seguro. Aventura total!

Foram dois dias ao volante e, finalmente, eles atracaram em Porto de Galinhas. Bem-vindo o  descanso merecido e o melhor: a viagem toda saiu por cerca de 3 mil reais! Foi ou não foi o desfecho perfeito?! Tá todo mundo agora pensando: Poxa, porque eu não fiz uma road trip com o maridão ou com a senhora, né? Sério!!! Hahaha.

lua de mel

Passeamos muito. Só a vantagem de estarmos no nosso carro e podermos ir pra qualquer lugar, sem ficarmos reféns de táxis, ou termos que comer em lugares caros por não termos como sair, nossa. Conhecemos todas as praias da redondeza. Foi simplesmente o melhor passeio que fiz na vida.

porto de galinhas

porto de galinhas

Agora, tirem um segundo pra imaginar quanta coisa linda esses dois pombinhos encontraram pelo caminho. O roteiro incluiu mais de 30 cidades entre Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba e Pernambuco.

Faríamos tudo novamente! Jovens, recém-casados, apaixonados,  sem dinheiro, mas com vontade de aproveitar cada segundo da tão sonhada lua de mel.

porto de galinhas

A lua de mel recompensou tudo!

A viagem dos sonhos abriu o novo ciclo na vida desse casal, mas vocês acham que foi só moleza? Que nada! A lua de mel foi o presente do destino pra recompensar a dorzinha de cabeça que a nossa querida jornalista teve na noite do casório. Acharam que eu ia deixar vocês sem os bastidores da festa? Vou explicar e tudo vai fazer sentido.

Sabe a velha fama de que noiva sempre atrasa? Coitadas de nós! Depois do casamento, a gente percebe que todo e qualquer problema que acontece na hora H é maquiado rapidamente pra não assustar os convidados que, por sua vez, ficam com a plena certeza de que TU-DO saiu exatamente como o planejado. Hahaha. Mas os imprevistos sempre geram aquele atraso e a forma mais comum de tranquilizar a multidão é colocando a culpa em quem? Na pobre da noiva! Afinal, somos as únicas com quem ninguém vai encrencar, né? Hahahaha.

Bom, a Cíntia, que não gosta nem pouco de atrasos, chegou, pontualmente, às 7 horas da noite na porta da igreja. Ficou esperando e ninguém dava sinal para que ela saísse do carro. Passou quase uma hora e o desespero começou a bater.

Eu pensava tanta coisa. Pensava que o Eudes tinha desistido. Hahaha. Daí mandaram um recado dizendo que tinha dado problema com uma dama. Mandaram meu primo pra me entreter. Ele ligou o som do carro na maior altura, tocando funk! Hahaha.

Enquanto ela aguardava, inocentemente… Na igreja, a confusão era grande. Tudo porque  as benditas rosas não haviam chegado! Ai, ai, ai, de novo? Lembram do caos com as flores no meu casamento, né? (Se não, leiam aqui). Tô tremendo só de pensar!!! Acontece que, na época, tinha uma moda de entregar um botão de rosa aos padrinhos, pra que eles jogassem as pétalas nos noivos no final da cerimônia. O problema é que a moça (pra não soltar um palavrão) responsável por entregar essas rosas para os 24 PARES DE PADRINHOS (era esse tanto mesmo!!! 🙂 ) desapareceu! Todos saíram em busca de uma floricultura que estivesse aberta depois das 8 horas da noite e nada. Finalmente, a irmã da noiva, Karinne, descobriu uma florista que morava nos fundos da loja. Ligou na hora pro número que estava na placa. Manja a conversa:

– Karinne: Moça, eu preciso urgentemente de flores.  😥

– Florista: É coroa pra velório?  😯

Hahaha.  😆

Aff, o povo só pensa em desgraça, nam!

Explicado que ninguém tinha morrido e que a encomenda era para um casamento, a florista aceitou o pedido e foi tratar de tirar todos os espinhos de cada uma das rosas. Já eram quase 10 horas da noite, quando o casamento começou. E a noiva nem desconfiava do que tinha acontecido, apesar de ter levado a “fama de atrasada”.  :mrgreen:

Finalmente eu entrei na igreja. A tensão já tinha até passado e entrei sorrindo! Comédia total. Depois que eu soube! Se tivessem me contado, é claro que eu diria que começasse sem as flores, minha gente! Mas, tadinha da minha irmã, ela queria que tudo saísse conforme eu tinha sonhado e correu atrás. Pense num tanto de flor! No fim da cerimônia, jogaram as pétalas, foi super legal!

saída dos noivos

Viram como depois da tempestade sempre vêm muitos raios de sol?! E, pra completar, a vida ainda pode te oferecer um arco-íris! Hoje, quatro anos depois das aventuras que marcaram o começo da vida a dois pra Cíntia e pro Eudes, recebi a linda notícia de que o Isaque está a caminho! Toda a alegria do mundo pra essa família que está crescendo! <3

No Próximo Post…

A lista de convidados é um dos pontos mais tensos da organização do casamento. E quem nunca se pegou “naquela situação” esquisita com os que não puderam ser chamados para o casório, hein? Na semana que vem, o Causos de Noiva vai tratar desse tema polêeemico, com uma pitadinha de leveza, porque a gente merece né? Não percam!

 

noivo beija mão da noiva
Criatividade, DIY, Economia

A beleza de um casamento feito à mão

Com o que uma noiva sonha, quando aceita subir ao altar? O momento mágico em que dizemos sim ao nosso grande amor. O começo da vida a dois. Os primeiros meses de planejamento são pura alegria. Mas, uma hora ou outra, todo casal vê o projeto ameaçado pelos custos da celebração e da festa, que decolam mais rápido que foguete. Vestido + Bolo + Buffet + Decoração + Etc, Etc, Etc = $$$$$. É conta sobre conta. Há saída, meus amores, digo sem medo. Use e abuse do bom e velho do it yourself. 😉  Disposição, criatividade e um pouquinho de habilidade são tudo o que você precisa pra economizar e, principalmente, dar aquele toque intimista e único que só um casamento feito à mão pode ter.

Minha amiga, Taira Monezzi, nossa talentosa personagem de hoje, chegou a essa conclusão desde o começo.

Eu realmente gosto das coisas do meu jeito e queria gastar pouco. Só vejo vantagem. Se você tiver tempo disponível, vale à pena. Não só pelo dinheiro, mas acho que casamento é algo tão íntimo que é legal ter coisinhas feitas pelas nossas próprias mãos.

iniciais dos noivos em mdf

Com materiais encontrados em casa ou comprados baratinho em lojas de artesanato, a noiva caprichou nas criações. Foram meses de trabalho e, no fim, amigos e parentes mais chegados ajudaram o casal nos últimos detalhes. O resultado não poderia ser mais original!

lousa em casamentoOs pombinhos, Taira e Juan, casaram no dia 3 de agosto de 2014, em Ribeirão Preto (SP). O espaço rústico e verde ficou lindamente decorado. Um caminho de corações levava ao altar arrumado com flores de papel, cortinas de juta e fitas. Não ficou um charme?

noivos no altar

Temos que dar os créditos, aqui. A Taira deu um baile. Repara no bouquet de tule, fuxicos, contas e fitas que ela mesma fez. CHO-CA-DOS?!  😮

noivos se beijando com bouquet

E quem diria que discos de isopor, folhas de um livro antigo, renda e flores poderiam se transformar nesse lindo bolo? Sério, queria pra mim, gente! Os bonequinhos do topo também foram pintados por ela!

bolo fake

noivos topo de bolo de madeira

Com o varal de fotos, o casório ficou ainda mais intimista.

varal de fotos

E nem precisa dizer que os convidados amaram as lembrancinhas personalizadas.  😛

lembrancinhas casamentolembrancinhas casamentolembrancinhas casamento

No fim deu tudo certo. Economizei muito, todo mundo elogiou e até vendi a maioria das coisas de decoração que fiz! Hahaha.

brinde noivos

Parece difícil, mas não é!

Não há segredo, pessoal! Não saber costurar ou pintar como a minha amiga, Taira, não são desculpas para deixar de dar o seu toque especial no casamento. Há coisas super simples que você pode fazer e não pedem “experiência” com artesanato. Vou dar alguns exemplos mamão com açúcar que fiz para o meu casório.  😀

Bastidores de bordado e rendas diferentes viraram lindas molduras pras paredes do buffet. Por meses, juntei garrafas de vinho e espumante, decorei com recortes de jornal, usando cola branca, e elas se tornaram jarros bem bonitos. A canecas formando a palavra LOVE em papel adesivo, também, ficaram uma gracinha, não acham?

cenário do bolo

As rolhas das garrafas foram em vasos pra dar o tom rústico. Também comprei vidros pequenos, apliquei tecido nas tampas com cola quente, fiz um laço com fita de cetim, enchi com doce de leite e de banana e TCHAN-RAN: lembrancinhas deliciosas para os convidados.  :mrgreen:

Lembrancinhas, doces e decoração rústica

doces lembrancinhas casamento

Para os arranjos das mesas, fiz garrafas decoradas com barbante, tecido e renda. Como o material era mais difícil de aderir ao vidro, precisei usar cola de artesanato que encontrei em lojas específicas (pra ser sincera, acabei com o estoque de uma delas, hahaha). Pedi ajuda das tias e até das primas pequenas. No fim, todo mundo gostou, muita gente levou de lembrança e as que sobraram foram embelezar o casamento de uma amiga.  😉

garrafas decoradas casamento diy

Outra ideia legal foram as letras de cartonagem. Imprimi os moldes, colei em folhas grossas de isopor e recortei com estilete, depois cobri com tecido estampado, usando cola branca e pincel. Na internet há vários tutoriais. Dá um trabalhinho, mas fica super bonito na decoração.

Letras de Cartonagem

Na hora de jogar o bouquet (que substituí por cupidos), as solteiras (e algumas comprometidas, também) ganharam uma tiara com véu de noiva que fiz com tiaras cruas, fita de cetim, tule e cola quente. Marinheira de primeira viagem sofre um pouquinho, né? Queimei a ponta dos dedos algumas vezes, mas depois peguei o jeito. Aprendi o passo a passo em blogs e no querido-amado-lindo-tudo YouTube. Ninguém nasce sabendo, pessoal! Hahaha.  😆

Tiaras para as solteiras

A última das investidas malucas foi a leva de cataventos, hahaha. Convoquei minha prima, Cynthia, que é professora e já fez muuuuitos na vida, compramos cartolina colorida, palitos de churrasco e tachinhas e colocamos a mão na massa.

Nossa produção em escala resultou em 50 cataventos, todos devidamente testados no ventilador no 3! Haha. Se não girasse, voltava pra ser consertado. Ora mais! Enfim, fiquei sabendo que tinha um jardinzinho na parte externa do buffet e foi lá que se acomodaram os cataventos. Ficou uma fofura! Sempre que dava, ia lá fora comer um docinho ou fazer qualquer outra coisa só pra apreciar as “lindêzas” que tínhamos produzido madrugadas a dentro. Valeu à pena o resultado! And they lived happilly ever after depois, na festa do dia das crianças da minha escola e todos amaram também!

cataventos e noivos no jardim

Então, amores, é isso! Se vocês estão pensando em aderir à ideia, não tenham medo. Pesquisem na internet, conversem com outras noivinhas, inspirem-se aqui no blog, arregacem as mangas e façam vocês mesmos! Garanto que seu grande dia vai ser cheio de personalidade!!! 😎

*Fotos Tayce e André: Clécio Albuquerque e Jozy Sabry

No próximo post

Imagine estar pronta pontualmente, linda e ansiosa para casar e descobrir que todos já estão a postos, menos quem? O Padre! Até aí tudo, bem, atrasos acontecem. O problema é que, depois de horas, o religioso não tinha “dado as caras”! A Amanda Sobreira, nossa noiva da semana que vem, deu o jeito dela e casou mesmo assim! A gente conta tudo na próxima quinta-feira!