Browsing Tag

casamento ao ar livre

na alegria e na tristeza Isabella Edianor
Família no Casamento

Da infância até a eternidade, na alegria e na tristeza

Sou péssima de memória. Minha irmã guarda cada lembrança das nossas brigas interações de criança que fico boquiaberta. Bem, se eu tivesse conhecido o grande amor da minha vida lá na infância, os borrões que aparecem aqui na minha caixola possivelmente seriam mais nítidos. Mas, mesmo assim, creio que muitos detalhes importantes iriam para o buraco negro do meu querido cérebro. O que definitivamente não acontece com a Isabella Barbosa.

na alegria e na tristeza noiva Isabella casamento

Isabella, nossa noiva, lembra de muitas coisinhas lindas de quando tinha apenas 6 anos de idade. Uma delas: quando conheceu e dançou com aquele que viria a ser seu parceiro na saúde e na doença, na alegria e na tristeza.

Ela e o Edianor estudavam no mesmo colégio e foram parceiros de valsa na formatura do Doutor do ABC (era tradição em alguns estados para celebrar o término da antiga alfabetização. Nem sei se isso existe mais! Existe? 🙄 ).

Olha o que a Isabella resgatou lá do fundo do baú.

Eu quase perdi a nossa formatura de “Doutor do ABC” porque tive catapora alguns dias antes. No dia da festa, o médico me liberou pra ir, porque eu já estava bem e já tinha passado da fase de transmissão.  Só que eu ainda tava toda marcada com as cicatrizes da catapora e mesmo com muuuuuuita maquiagem, dava pra ver. Eu cheguei na festa toda receosa que meu par, o Edianor, não iria querer dançar comigo com medo de pegar minha catapora, mas a primeira coisa que ele falou quando me viu foi: “Que bonita tua maquiagem” (!) ❤

na alegria e na tristeza

 

Não aguento essa lindeza e inocência das crianças. 😍 

Os dois se reencontraram dez anos depois e se adicionaram no finado Orkut. Veio a amizade pra valer. Depois o namoro. O noivado e…O casamento veio também, mas não foi tão tranquilo como nos sonhos pueris.

Meu avô foi diagnosticado com mal de Alzheimer e foi piorando aos pouquinhos. Até que ele precisou ser internado. O interessante e que ele nunca esquecia de mim. Esquecia dos filhos, da minha mãe que estava lá no hospital todos os dias sem falta com ele…mas não de mim. Quando finalmente recebeu alta do hospital, ele estava bem frágil, mas eu ainda tinha o sonho de vê-lo no meu casamento que se aproximava. Infelizmente, ele se debilitou muito e, um dia antes da minha celebração, veio o diagnóstico da pneumonia. Ele acabou falecendo algumas horas depois.

A então noiva nem pensou duas vezes. Cancelou todo o casamento. Ela nem sabia se daria para remarcar para depois, mas seu avô era o foco daquele momento.

O Edianor cuidou de avisar os convidados e pedir que eles fossem repassando para os outros convidados que conhecessem. No meio disso tudo, tivemos que lidar com pessoas desonestas que infelizmente querem usar até mesmo situações como essa pra tirar vantagem. Mas ao mesmo tempo, tenho que dizer que 99% dos meus fornecedores foram maravilhosos, verdadeiros presentes de Deus que fizeram de tudo pra me ajudar.

na alegria e na tristeza votos Isabella Edianor

A Isabella confessou que até pensou em desistir, mas a família e os amigos a apoiaram e a incentivaram a continuar com o plano da festa. Afinal, o avô dela, com certeza, gostaria de vê-la radiante lá no altar, começando uma nova família.

Depois de 3 semanas, a celebração aconteceu lindamente, com o mar testemunhando tudo.

na alegria e na tristeza

Imagino o misto de sentimentos no coração dos noivos e dos convidados, mas não houve lugar para tristeza. O amor e a gratidão deram o tom da festa. 

na alegria e na tristeza Isabella Edianor

Sempre lembrei do meu avô com aquela saudade meio “gostosa” das nossas conversas, nossos abraços, das palhaçadas dele. Nós dissemos todos os “eu te amos” que poderíamos dizer e não ficou nenhum sentimento de querer voltar atrás pra fazer algo diferente.

Da infância até a eternidade

na alegria e na tristeza noiva damas azul tifanny

Logo depois que casaram, os pombinhos se mudaram para o Canadá onde têm vivido experiências incríveis. Eles estão correndo atrás dos sonhos por lá. Com certeza a saudade da família e dos muitos amigos daqui deve apertar, mas creio que os dois têm tocado o bonde muito bem, segurando a barra um do outro na alegria e na tristeza. E que seja daqui até a eternidade, né?! 

Muito carinho por vocês! 

{Isabella e Edianor} from Sarau Filmes on Vimeo.

Fotos: João Melo Fotografia
fotógrafo casamento
Erros e lições

O que fazer quando o fotógrafo frustra seu sonho?

De cara, ninguém entendeu bem quando a Gisele Manjurma e o Geison Schmidt entregaram o convite de uma segunda celebração de casamento, apenas 10 meses depois da super festa em comemoração a união do casal.

Tivemos que ouvir coisas como “Ué, vão casar de novo?”, “Tá sobrando dinheiro?”, “Vão dar festa pros outros, é?”, “Vão vestir de noivos todo ano agora, é?”, “Vixi, isso é que é gostar de casar”… e por aí vai. 

Mas, na verdade, a realização de uma segunda festa, depois de tão pouco tempo da primeira, não nasceu lindamente do sonho super romântico de uma noiva. Digamos que a motivação maior envolveu um verdadeiro pesadelo.

Na primeira celebração, em setembro de 2014, a chuva não deu trégua durante a maior parte do dia e a noiva se via afogada em desespero, já que a cerimônia iria ser ao ar livre. Gisele mal aproveitou o dia da noiva, feito juntamente com o noivo. Apenas minutos antes do casamento, o sol deu o ar da graça. (Leia também nosso post emocionante sobre chuva e fé. Aqui!)

Tudo certo, então? Infelizmente a tensão continuou durante a festa. Antes fosse só em relação à chuva. O pânico agora veio por conta da equipe de fotografia e filmagem.

fotografo casamento

Notamos que havia menos fotógrafos do que ficou acertado com a empresa de imagens e que os cinegrafistas pareciam desaparecer em vários momentos da festa. Meu marido e eu ficávamos desesperados atrás da fotógrafa e dos cinegrafistas para conseguirmos registros dos nossos convidados que já estavam indo embora. Mas enquanto a sua festa de casamento está acontecendo, você acredita que no final da noite vai dar tudo certo e que nada será perdido.

Para tristeza da Gisele e do Geison, as coisas não terminaram bem. Depois do casamento, os prazos para a entrega das fotos foram se esgotando e o casal foi informado (nunca oficialmente) que a empresa de fotografia tinha PERDIDO o material da celebração.  😯 

Você leu direito. É “perdido” mesmo! Pouquíssimas fotos foram salvas. Agora me expliquem como uma equipe de profissionais faz isso com o momento mais mágico de um casal? Fiquei indignada ó.  😡 

Além disso, a filmagem também deixou a desejar. Ou seja, os registros do casamento praticamente não existiram. Eu tenho vontade de chorar só ao escrever isso. Nem sei bem o que faria.

A Gisele, por sua vez, não se rendeu à frustração eterna.

fotografo casamento

Em junho de 2015, resolvemos que era hora de parar de chorar pelo que havia sido perdido, afinal, estávamos vivos, juntos e batalhando. E resolvemos renovar os nossos votos em uma cerimônia de Bodas de Papel para tentarmos produzir novas lembranças. Contratamos fotografia, filmagem, decoração, bufffet, mesa de doces, bolo, alugamos um espaço legal com piscina, minha prima fez o vestido, meu primo tocou, minha sobrinha cantou…enfim: fizemos uma nova festa, com uma nova proposta e com bem menos convidados. Digamos que a festa foi para um quarto dos convidados que estiveram presente no casamento. O orçamento estava mais curto e queríamos algo mais simples e íntimo.

fotografo casamento

Acredita que a danada da chuva apareceu de novo?! Mas a cerimônia foi transferida pra dentro da igreja e não faltaram registros desse dia especial.

Muita gente se emocionou e não economizou os clicks com os celulares e câmeras de bolso. Minutos depois já estavam nos enviando… Ninguém quis correr o risco de nos deixar sem registros de novo. E apesar do mau tempo, foi um dia incrível. Minhas três melhores amigas foram minhas damas de honra, uma delas estava em Paris na época do casamento e pode estar presente nas Bodas de Papel.

fotofrafo casamento

Não é preciso dizer a quem vai casar que o fotógrafo é um dos fornecedores principais e deve-se contratá-lo depois de pesquisar MUITO. Se com todo cuidado do mundo, você ainda pode se frustrar –  como aconteceu com a Gisele – imagine se fechar com o primeiro fotógrafo de casamento legalzinho que aparecer. Não queira o baratinho, o amiguinho, o priminho…É a eternização do seu dia que está em jogo! Leia todo o contrato e modifique-o se necessário.

Update 26/12:  O vídeo do casal, das Bodas de Papel, ficou pronto e uma delícia de se ver.

*Fotos do segundo casamento: Encantare PhotoWedding
*Gisele está processando a primeira empresa de fotografia e por isso preferimos não citá-la aqui.

Tem histórias de casamento interessantes, erros e lições em relação à festa, situações emocionantes, hilárias? Escreve pra mim!  😉

noiva de estômago vazio
Buffet, Erros e lições

Se a noiva ficar de estômago vazio…

Você pisca e ó: “cabou-se” o que era doce. A gente quer se virar em 10 pra aproveitar tudo da festa, abraçar todos os amigos e parentes, mas o tempo…puf! Bate as asinhas e voa. ✈

Diante dessa euforia, dos flashes e do vai-pra-lá-vem-pra-cá do cerimonial, é muito fácil deixar o estômago no limbo, mesmo que os roncos implorem por um aperitivo de encher os olhos (e esvaziar os bolsos! 💰💰).

noiva de estômago vazio

A Luciane Correa sabe bem como é essa situação de noiva. Quando ela percebeu que estava perdendo a animação da pista de dança, nem pensou duas vezes. Largou o prato quase intacto na mesa durante o jantar e foi se esbaldar com os convidados.

noiva de estômago vazio

A cerimonialista nos chamou pra comer e até sentamos, mas confesso que nem comemos. Beliscamos algo e eu falei pro Dalton: “Vamos dancar? Quero curtir a festa!”  E lá fomos nós. Conclusão: praticamente não comemos nada durante a festa. Lembro de beber Champagne e comer algum salgado, mas nada que me alimentasse de verdade.

A Luciane já estava bem pilhada desde o começo do dia. Além do casamento ter sido de manhã, bem cedinho, a arrumação da noiva foi em casa e com a família: mãe, pai, irmã e avó. O problema é que todo mundo foi ficando pronto e impaciente. Acreditam que os parentes partiram para o buffet e deixaram a Luciane desamparada?!

rodízio depois do casamento

Como colocar um vestido de noiva, prender a cachorrinha, trancar a casa e tudo mais sozinha??? Impossível! Precisei pedir ajuda ao cabeleireiro, que é gay.  Mesmo assim, confesso que morri de vergonha.

Ah, ainda teve mais um “pequeno” contratempo!

Enquanto se arrumava, a própria noiva tentava achar o padre que ia celebrar a união. Oi?!  (Já leram o causo em que o padre sumiu? Vê aqui.) É que o celebrante perdeu a mãe dias antes do casamento e entrou em depressão. Não atendia mais o telefone, não estava na igreja e ninguém sabia dele. Substituí-lo não era uma opção viável. Desespero? Não, “magina”, né?!

Só alguns minutos antes do casamento, ele apareceu! Ufa!

noiva de estômago vazio padre casal

Adrenalina demais para uma noiva só e comida de menos para o pobre estômago, que ainda precisou encarar um voo radical de helicóptero.  😯 

noiva de estômago vazio

No salão que casamos, eles oferecem o helicóptero e optamos por usá-lo na nossa saída da festa. Foi lindo!!!

noiva de estômago vazio

Como sou super medrosa, pedi sem emoção. Meu marido, mega radical, pediu “em off” para ser com emoção. Ou seja: o piloto levou o helicóptero bem pro alto (alto mesmo!), virou a aeronave de lado e  meio que “desligou o motor”. Começamos a cair e eu a gritar. Só pertinho do solo ele “religou” tudo e retomamos o voo. Quase morri do coração.

Ah, eu só não tinha matado meu marido ali mesmo porque eu amo esses negócios meio sem futuro! 😜 

No caso da Luciane, não deu outra! O enjoo bateu (lembram do Champagne, né?!) e na entrada do hotel…

Vomitei em toda lateral do carro. Na recepção, já me ajudaram com água e com um remedinho pra enjoo. No quarto, eu só pensava naquele filme onde tudo dá errado: o carro cai no barranco, o nariz sangra, o hotel tem a parte elétrica queimada. Começava a achar que seria assim também comigo (rs). Tomei um banho, desmanchei o cabelo, relaxei um pouco e melhorei. Foi o tempo perfeito pra melhorar e bater aquela fome e não tínhamos o que comer!

Opa, noite de núpcias com fome não rola, né?!  🙄

O buffet colocou um kit de comida e bebida no carro que me transportou para a celebração, mas fomos embora de helicóptero e tudo ficou lá mesmo. Conclusão: Fomos jantar em um restaurante de carne perto do hotel. Sim, fomos num rodízio depois do casamento!

Sério mesmo? Que coisa! 😂😂😂

Noiva de estômago vazio? Não caia nessa!

Meninas que vão casar, fica o conselheiro: COMAM! COMAM! Não só para não passarem mal, mas para terem o prazer de saborear todo o cardápio maravilhoso que degustaram, os bem-casados caríssimos e os docinhos finérrimos que escolheram a dedo.  Afinal, a festa é de vocês, né?!

Causos_Luciane_7

*Fotos: Marcos Pecorari
casamento no sertão
DIY, Economia

Casamento no sertão: beleza em meio à seca

A paisagem não era das mais graciosas. Na verdade, era bem difícil achar graça naquele cenário castigado pela seca na cidade de Pereiro, no interior Ceará.

casamento no sertão

Mas, em um dia especial, a sequidão não foi páreo para a enxurrada de amor que encharcou de vida e cor aquele pedacinho do sertão. Era o casamento de Nívia e Toninho, um dos mais simples e ao mesmo tempo estonteantes que já vi.

casamento no sertão

Há algum tempo trabalho em uma empresa de fotografia e fotografamos muitos casamentos luxuosos. Porém, sempre pensei em algo mais simples no meu casamento, pois sou de uma família humilde do interior do Ceará, assim como o meu esposo.

Os caminhos dos pombinhos se cruzaram antes de Nívia voar para a cidade de São José dos Campos em São Paulo, onde mora desde 2009. O rapaz permaneceu no Ceará, solteiro, mas com os pensamentos lá na moça que foi embora. Os anos se passaram e em fevereiro de 2012, Toninho resolveu retomar o contato perdido.

E o homi foi ‘ligeiro bala’, falando no bom Cearês, com todo o processo de namoro, noivado e casamento. Pense!

Ele me ligou e em menos de um mês de conversa já me pediu em namoro e em casamento tudo no mesmo dia e pelo telefone (rs). Em julho, ele se mudou para São José para ficarmos noivos e decidimos que nosso casamento seria no Ceará, em dezembro de 2012.

casamento no sertão

Amigos e parentes foram os responsáveis por fortalecer a correnteza de alegria que banhou o lugar. No vasinho decorado, no arranjo de flores, na costura das roupas, na madeira cortada e trabalhada e em todos os cantos era possível ver o carinho e a dedicação de alguém querido. Um casamento totalmente DIY, com toques rústicos verdadeiros e requintes aprimorados de romantismo.

casamento no sertão

casamento no sertão

Tivemos um pouco de dificuldade por conta da organização à distância, pois só pude estar em Pereiro uma semana antes do casamento. Contei com a ajuda da minha mãe, irmã, tia, meus primos e amigos para providenciar tudo. Outra dificuldade foi a grande seca no Ceará. Estava tudo muito seco e, por exemplo, flores naturais não existiam. Tivemos que usar criatividade, amor, dedicação e empenho, mas acabou ficando tudo como nós queríamos.

casamento no sertão

Fico pensando, aqui cá comigo, que nenhum jardim europeu imponente seria capaz de emoldurar tão bem essa união cearense como o sertão assim fez, mesmo em meio a sequidão.

casamento no sertão

Não é à toa que o filme desse casamento ganhou o mundo pelas redes sociais. Eu perdi as contas de quantas pessoas me marcaram no vídeo, antes e depois de eu casar. E podem continuar marcando, tá? Não me canso de assistir. É como se, todas as vezes, respingasse em mim umas gotinhas dessa chuva de felicidade.

Vocês não viram o filme? Cliquem aí e segurem as lágrimas.

Casamentos_0001_Nivia e Toninho/Ceará from Neon Filmes on Vimeo.

Nívia e Toninho, que a relação de vocês seja esse ‘pé d’água’ de alegria e simplicidade, sempre! Parabéns.
Ah, vocês também já viram o post Exuberância da Simplicidade? Gente, acredite, é possível casar com pouco e ter uma celebração encantadora. It’s not about money!  😉

casamento surpresa
Criatividade, Originalidade

Casamento surpresa na Tailândia

“Esse negócio de namoro à distância não dá muito certo.”
Quem foi que disse, hein, berenice?
É mais difícil, por razões óbvias, mas nada que confiança, planejamento e uma boa administração da ansiedade não resolvam. Eu e a Tayce, comandantes do Causos, vivemos essa experiência e sobrevivemos bem né, amiga?!
A Gabriela Assis, nossa noivinha pernambucana (visse!), também encarou um namoro à base de muita saudade e Skype. Ela em Recife, o Ricardo em São Paulo. E o desfecho dessa história não poderia ser mais encantador: um casamento surpresa em Ko Samui na Tailândia (dá só uma ‘Googleada’ aí pra você sentir o drama do lugar!). O mais incrível: tudo arquitetado e feito pelo noivo! Óia!  😉

casamento surpresa
Aqui no blog só tem homem ponta firme, rapaz! (lembram da celebração de casamento surpresa da Willy, encabeçada pelo marido/noivo? Tá aqui.)

Os dois pombinhos estavam na fase de decidir a data do casamento (o que pode ser uma verdadeira novela, já que várias agendas precisam ser consideradas, além da agenda do sol, da chuva…) quando decidiram fazer uma viagem meio diferente de todas. Iriam passar um mês juntinhos conhecendo alguns lugares exóticos e interessantes da Ásia. Fino!

O roteiro incluía Índia, Butão, Tailândia, Emirados Árabes. Adoramos organizar roteiros e pesquisar sobre os lugares que vamos. O único hotel que não escolhemos juntos foi o da ilha Ko Samui. O Ricardo disse que eu não visse, porque era surpresa. Ok, eu gostei de ficar curiosa! Um dia, estava em Recife de plantão e ele me manda um link da relação de coisas inclusas na festa de casamento no tal hotel que eu não conhecia. Imagina como eu fiquei surpresa, né?!

casamento surpresa
Imagino demais. Se casar já é emocionante, imagina casar em uma festa surpresa! Na verdade, o segredo precisou ser revelado um mês antes, porque tinham alguns detalhes que poderiam ser too much.

À principio seria um casamento típico tailândes, celebrado por monges budistas (não somos budistas, mas gostamos de pesquisar sobre a religião) no qual teríamos que decorar uns mantras para a cerimônia. Meu noivo também sentiu necessidade de me consultar sobre coisas, como: prefere um passeio de elefante ou um show pirotécnico? Qual será a cor predominante na decoração? Qual a cor do meu vestido?

casamento surpresa

Oh que dúvidas cruéis, né Gabi?! hhaha Eu teria escolhido o elefante, claaaaro! 😉

 Terminamos optando pelo casamento ao molde católico, porque os monges teriam que ficar em jejum e só se alimentar na cerimônia de casamento. Como o hotel não tinha disponibilidade pela manhã, só a noite, desistimos do casamento budista. Ele (o noivo) resolveu tudo por email e por telefone. Meu único trabalho foi alugar meu vestido. Só tive tempo de fazer 1 mês antes da viagem. Foi o segundo que provei e provei uma única vez!

A parte complicada foi mesmo carregar o vestido pra lá e pra cá nos aviões da vida, afinal eles passearam por vários países antes do casamento.
casamento surpresa
Ah, e no dia da celebração, o idioma local deu uma emoção a mais aos preparativos.

Fiquei um pouco apreensiva com a maquiagem e cabelo, porque eu sei que isso pode arruinar qualquer visual. Minha maquiadora era uma lady boy, como eles chamam os travestis de lá, com quem só falei a primeira vez no dia do casamento. E detalhe: zero inglês. Ele só falava tailandês! Eu mostrei umas fotos da internet e disse “natural, ok? natural”. Só isso haha. O que me passou pela cabeça era sair parecendo uma drag queen 😯 . Mas me entreguei e adorei! O casamento foi muito lindo, porque eu nunca cobrei nada e tudo partiu do Ricardo naturalmente. Foi tudo muito romântico e íntimo, do jeito que eu imaginava.

casamento surpresa
Nem precisa dizer que a gente tira o chapéu pro Ricardo, né?! Desejo que a vida de casados continue sendo naturalmente linda e romântica. ♥

casamento surpresa

E uma dica às que querem casar: mandem essa história para os namorados, noivos, companheiros para ver se eles se inspiram no Ricardo.  😆  Só não me vão arrastar o homem e fazer um casamento supresa pra ELE meio forçado, peloamorde!

casamento no havaí
Originalidade

Aloha! Já pensou em casar no Havaí?

Deu play (ali em cima, na setinha laranja)? Então, sente a brisa, imagina o sol e vai entrando nesse clima de pés na areia, calmaria e, sobretudo, amor do Havaí.  😎

Nos Estados Unidos, o arquipélago é o segundo lugar mais cobiçado pelas noivas. Perde apenas para Las Vegas. (viu o post em que o próprio Elvis celebrou o casamento na cidade dos cassinos? Aqui ó).  Não é pra menos, né?! Quem pisa nas ilhas é simplesmente engolido por uma imensidão de beleza natural.

Causos_Priscila_16

A Priscila, a noiva da vez, vive nos “Ixtates” há um tempinho, mas nunca tinha visitado o paraíso havaiano. O noivo dela, Manoel, também não. Os dois são brasileiros e já moravam juntos na terra do Tio Sam. Até falavam em casar oficialmente, mas não havia aquele papo de festa e igreja (e vestido, prendedor de guardanapo, sousplat, lágrimas de alegria, docinhos gourmet, bem-casados, etc. e etc. e etc.).  😆

A gente sabe que a maioria dos homens brasileiros é meio escorregadia quando se trata desse assunto, confere? Pois não é que o Manoel deu uma de gringo romântico e bolou um pedido de casamento surpresa no melhor estilo hollywoodiano?!

pedido de casamento

Jamais esperava isso dele. Até costumo dizer que ele não é nada romântico. Ele saiu do trabalho, veio pra casa, pegou um anel meu, levou à loja pra saber o tamanho e voltou pra irmos ao jogo do Brasil x Equador. No estádio, quando eu menos esperava, ele tirou um cartaz escrito “Priscila casa comigo?”. Eu comecei a rir de tão nervosa! Achava que era brincadeira, que nem havia anel de noivado nem nada. Mas o Manoel se ajoelhou e mostrou a joia.  Eu, emocionada e envergonhada, nem conseguia responder.

Sim, sim e sim, né, obviamente!
Com o ring chiquérrimo no dedo, a Pri teve a sacada: por que não aproveitar essa oportunidade de casar pra fugir do frio, conhecer o Havaí e ainda ter uma lua de mel invejável?

Fechô!

casamento no havaí

 Comecei a pesquisar na internet sobre casamentos no arquipélago e achei essa empresa (Yes I do Hawaiian Weddings), administrada por brasileiros. Achei o máximo! Até porque se os nossos parentes viessem do Brasil, uma celebração feita em português seria muito bacana. Entrei em contato com os profissionais pelo Facebook e fechamos tudo. Escolhi logo a data porque queria casar no sábado, exatamente no Valentines Day (14 de fevereiro) e em uma determinada praia que escolhi.

Aqui vamos nós: em um Destination Wedding (quando os noivos e alguns convidados viajam pra celebrar o casamento em outro lugar) tudo é escolhido à distância, mesmo. Dica para as noivas: ou você consegue relaxar e depositar toda sua confiança na empresa organizadora, ou é melhor nem pensar em fazer um casamento desse tipo. Mulheres supercontroladoras, Destination Wedding não é pra vocês, ok?!

noiva em casamento no havaí

A Pri e o Manoel alugaram uma casa no sul da ilha Oahu, onde iam fazer a cerimônia. O problema é que, dois dias antes, a noiva percebeu que a previsão era de chuva exatamente pro Valentines Day.

Falei com a cerimonialista para adiantarmos o casamento pra sexta-feira. Mas na sexta também iria chover! No domingo de manhã tínhamos nosso voo para outra ilha (Maui) e à tarde os padrinhos iriam voltar pra Filadélfia.

Vixe, complicou!

Como era uma cerimônia mais íntima, com poucos convidados presentes, a noiva tinha essa flexibilidade das datas e até do local. Em um casamento tradicional brasileiro, imagine a logística , com algumas centenas de pessoas para serem avisadas.  (Lembra a estória real em que o do teto da igreja caiu e tudo mudou no exato dia do casamento? Leia aqui). No sábado, a cerimonialista ainda ligou pra noiva e sugeriu: “aqui do outro lado da ilha está fazendo sol, vamos fazer o casamento hoje mesmo?”

😯

Não, não dava nem tempo da noiva se arrumar assim, em cima das buchas! Remarcaram definitivamente pra domingo de manhã.

casamento no havaí

Domingo finalmente amanheceu com um sol lindo. Tivemos que fazer a cerimônia bem cedo pra dar tempo dos convidados irem pro aeroporto pegar o voo de volta. Nós mudamos pra noite as nossas passagens pra Maui, mas finalmente nos casamos. Foi uma cerimonia havaiana e brasileira juntas, com assinatura e documento oficiais! Houve a troca do colar e foi bem legal. Eu super aconselho fazer um casamento no Havaí, mas tem que saber que tudo lá é caro demais. Porém, ainda assim fica mais barato que uma festa tradicional. Ah, meus pais acompanharam tudo pelo Skype  😉

casamento no havaí

Ah…a tecnologia e o amor são lindos. ♥ Ainda mais em um lugar como esse!

Vestido de Noiva da China

Já contei toda minha estória do vestido de noiva da China, lembra? Se não, clica aqui! Nossa noivinha de hoje também se arriscou no Aliexpress. Só que o vestido chegou e não era como ela esperava. 😥  Só restava chorar e se desesperar, certo? Que nada! Ela usou a criatividade e, com a ajudinha de um e outro, resolveu o problema.

Minha chefe fofa disse que eu tinha que ir à loja para ver os vestidos pessoalmente e experimentá-los. Ela marcou direitinho e fomos. Como faltava pouco tempo pro casamento não dava tempo de encomendar nenhum do meu tamanho. Precisava ser o que eles tinham lá. Achei um modelo do qual gostei da parte de cima e como tinha gostado da parte de baixo do outro que comprei no Aliexpress, resolvi juntar os dois. Levei na costureira e ela fez de dois vestidos um.

Arrasou!

casamento no havaí

casamento no havaí

 

No próximo post

Na semana que vem, vamos falar mais uma vez de um assunto um tanto quanto polêmico: cerimonial. Você já se questionou  sobre contratar ou não um cerimonialista profissional pro seu casamento? Pois passa aqui na próxima quinta-feira, que vamos revelar alguns segredinhos. 😉

Noiva se arrumando
Erros e lições

A Fé não costuma faiá… Nem debaixo de chuva!

Já dizia Gilberto Gil, quando as coisas desandam e você não tem o controle, melhor confiar, que a Fé não costuma “faiá”. Pode-se dizer que a minha amiga Bruna Arantes, nossa linda noiva de hoje, compreendeu a mensagem depois de um susto que quase levou o grande dia, literalmente, por água abaixo. Para cada caso, um causo. Não tem jeito!  😉 

A Bruna e o Augusto tinham um ano de namoro, quando ele a pediu em casamento. Tudo como manda o figurino, com direito a jantar romântico, lágrimas de alegria e muitos beijos. A data especial seria 3 de janeiro de 2015, o que dava ao casal 12 meses para preparar o dia tão sonhado. Fãs de carteirinha do estilo outdoors, claro que eles escolheram um buffet aberto, em Fortaleza (CE), onde diriam o “sim” no jardim, embaixo de uma árvore belíssima ao pôr do sol. Visualizaram a cena?

Foram 350 dias, pesquisando decoração rústica, bolo, vestido de noiva, escolhendo lista de música, idealizando convite, enfim. Como eu e meu noivo somos muito organizados, fizemos planilhas, acompanhamos cada fornecedor, tudo com antecedência. Um mês antes do casamento já estava tudo pronto.  Agora era só receber bem cada convidado que estava chegando em Fortaleza.

Imagine o “nervoso” dos últimos momentos antes da cerimônia. Agora, pense na correria quando se tem 80% dos convidados vindos de outros estados do Brasil para a cerimônia. Apesar de o casal morar, na época, em Fortaleza, nenhum dos dois é natural da terrinha. Resultado: Havia parentes e amigos chegando do Rio Grande do Sul, de Minas Gerais, de Pernambuco, de São Paulo, de Rondônia e por aí vai. O clima bom de festa já estava no ar! Foi quando, de repente, o tempo fechou.

Chega a véspera do casamento e eu pergunto pro meu noivo qual seria a previsão do tempo, pois, apesar do imenso calor, era bom conferir a previsão… E é aqui que nossa história ganha um novo rumo. Chuva! Como assim chuva logo no inicio de janeiro? Está muito quente. Não chove há meses, impossível chover agora. Claro que quem decide casar ao ar livre deve pesquisar sobre a época chuvosa e se preparar para possíveis imprevistos, mas na minha reunião geral com todos os fornecedores, sempre que eu sugeria um plano B para chuva, todos diziam convictos que não choveria no dia do nosso casamento. Infelizmente, todos erraram.

Caiu, em Fortaleza, uma chuva digna de São Paulo, com raios e trovoadas. O teto do maior shopping da cidade desabou. Alas do Hospital Geral ficaram alagadas. Algo que não via na cidade há pelo menos 5 anos resolveu acontecer no dia do casamento da Bruna e do Augusto.

Notícia Jornal O Povo

O barulho era assustador, uma chuva pesada, as lâmpadas da minha casa começaram a piscar e eu corri para os braços do meu noivo. Chorei de medo e frustração. Um filme passou em minha mente. Cada flor, cada objeto feito à mão, nossa cerimônia embaixo da árvore , o planejamento de um ano inteiro, tudo indo, literalmente, por água abaixo. Eu e meu noivo não tínhamos mais o controle da situação, a realização do nosso sonho não dependia mais de nós dois. Lembrei da passagem bíblica de Mateus 8 , onde Jesus  dormia dentro do barco e seus discípulos o acordaram desesperados por causa da tempestade, pensando que iam morrer. Então, Jesus se levanta e faz a tempestade parar. Me vi sem fé. Meu noivo tentando me tranquilizar, me dizia “Linda, vai passar você vai ver”. Decidi confiar em Deus. Vamos manter o planejamento.

O noivo seguiu para o buffet, queria acompanhar tudo de perto. Todas as possibilidades foram levantadas. E se contratassem toldos? Acontece que a chuva e a ventania eram tão fortes que todos sairiam molhados anyway. A previsão é de chuva para todo o dia. A cerimonialista ligou para os fornecedores, já dispostos a adiar o casório para o dia seguinte. Mais um problema. E os convidados que estavam hospedados em hotéis conseguiriam mais uma diária em cima da hora e em plena alta estação? Quem garantia que o domingo não seria de chuva também? E o mais importante: os pais do noivo e a família do irmão dele estavam com passagens compradas pra Nicarágua para o dia 4, pela manhã.

Ah, promessa sem jeito, Chicó! Hahaha. Se adiar não era uma opção, quem sabe procurar outro buffet, dessa vez coberto? Missão impossível? Se eu disser que eles até encontraram um, mas nem todos os fornecedores toparam a mudança não-programada. Já era por volta de meio dia, quando a chuva deu uma trégua. O noivo, firme e confiante, insistiu em manter o planejado, tinha certeza de que o tempo iria abrir e tudo daria certo, apesar de os meteorologistas teimarem no contrário. Segue o combinado. A noiva correu para a pousada, onde teria algumas horas para ficar pronta, enquanto torcia para que a chuva fosse embora de vez.

Às vezes, vinha na minha cabeça, será que tudo vai ficar pronto no horário? Aviso os convidados que vai atrasar? E eu lembrava do meu noivo. Confiar em Deus era minha única opção. Nesse dia aprendi que Deus tem que ser maior do que qualquer sonho que a gente venha a ter. E numa pousada linda, com vista pro mar, em Aquiraz (CE), de uma maneira única e inesquecível, indo contra toda previsão climática, Deus abriu o céu e deu a ele uma cor especial. Meus olhos se encheram de lágrimas, dessa vez era de emoção e gratidão. O céu estava lindo e eu estava pronta.

Noiva sorrindo

Noiva e Amiga

Enquanto isso, no buffet, os fornecedores corriam contra o relógio pra deixar o lugar perfeito para os noivos e convidados. E olhem que, mesmo com tanto sufoco, o casamento começou com apenas uma horinha de atraso! A cerimônia teve início, exatamente, às 17h.

Entrei ao pôr do sol, com um céu maravilhoso e o coração transbordando de gratidão.

Casamento Bruna e Augusto

Chegada da Noiva

O noivo já fez logo a cara de: Eu não falei? Tá tudo lindo!  :mrgreen:

Noivos

Muitos ali choravam de alegria e emoção. Eles acompanharam tudo. Estávamos todos admirados. A grama estava seca. Nada ali dava pista de ter passado por um temporal. Tudo era bonito e surpreendente.

casamento ao pôr do solNoivos e pais dos noivos casamento ao pôr do sol

De brinde, Deus ainda sorriu pra nós em forma de lua cheia, como se quisesse nos lembrar de que esteve o tempo todo cuidando de tudo, sonhando junto com a gente.

Casamento lua cheia

O final foi tão feliz que teve até selfie do Oscar!

selfie casamento

Dica de Noivinha Experiente

Quanto mais o tempo passa, mais aprendemos com cada causo, não é verdade? E como Murphy já provou que existe, não custa nada termos alguns conselhos em mente ao organizarmos nosso dia. 

  1. Plano B: Meninas (e meninos), nada melhor do que um plano emergencial. Ter uma carta na manga para caso de chuva, pode nos salvar de sustos como o que a nossa noivinha, Bruna, passou. Evite os meses da estação e até da pré-estação chuvosa (quando as primeiras precipitações já podem ocorrer, como é o caso de dezembro e janeiro em Fortaleza). Se você quiser mesmo casar em local aberto, nesse período, ter uma parte do orçamento separado para contratar um toldo, caso precise, é muito importante. Vários buffets abertos até oferecem o serviço de aluguel. Outra dica é escolher um lugar que, além do jardim, tenha também uma área fechada. Em caso de imprevistos, pode-se mudar a festa para o ambiente coberto. 
  2. Sempre há uma solução: Na hora em que o problema acontece, muitos só conseguem enxergar o que está errado, enquanto devem focar nas formas de resolver a situação. Quando o assunto é casamento, não há tempo a perder. É engolir o choro e partir pra ação. Tenha Fé! Copiado? 😉 

No próximo post

Já imaginou ter um casamento surpresa, com tudo que você sonhou na cerimônia e na festa? Como assim, né?! Pois você vai se surpreender semana que vem. O Causos de Noiva conta essa história na próxima quinta-feira! Volta aqui pra conferir!  😉