Noivos no altar
Erros e lições

O teto da igreja caiu e eu casei!

A primeira vez que escutei a história da Michelle, tive literalmente que procurar uma cadeira pra sentar. Estava voltando do trabalho, parei num fast-food, pedi aquele combo gigante com milk-shake e batata frita e, literalmente, sentei pra escutar um dos causos mais inacreditáveis e que ia deixar a maioria de nós arrancando os cabelos. Viram aí o tamanho do drama, né? :mrgreen:  Quanto mais ouvia, mais pensava: “gente, não pode”, “é pegadinha”, “cadê a câmera, menino?”. Hahaha. O fato é que parte do teto da igreja em que a Michelle e o Fábio iriam casar DESABOU no dia do casamento! Mas, antes de chegar lá… Volta a fita pro comecinho.

Noivos se beijando

O Fábio e a Michelle oficializaram o noivado em 6 dezembro de 2012, com as bênçãos do pai da noiva, como manda o figurino. Marcaram o casamento e começaram a planejar. Minha amiga, muito religiosa, procurou logo a igreja para acolher o enlace. A lista era grande e ela só encontrou o lugar dos sonhos depois de vinte e uma tentativas. A Igreja São João Batista, no bairro São João do Tauape, em Fortaleza.

Post Instagram

Tudo foi muito bem organizado, nos míiiinimos detalhes. A expectativa e os preparativos duraram um ano, até chegar o grande dia.

Sou daquelas mulheres que bota a mão na massa por tudo! Então, em muitas coisas do casamento, eu não consegui delegar funções. Queria estar em todas as reuniões e conversar com cada profissional envolvido! E fiz tudo isso! Não me arrependo de nada, apesar da trabalheira que dá!

Na data mais esperada, 7 de dezembro de 2013, cedo da matina, a noiva só queria um descanso merecido com a mãe no salão de beleza (um momento mulherzinha cai bem depois de tanto trabalho, né, pessoal?). But… (Ih.. Lá vem…) Mal haviam chegado e a ela recebeu a ligação que mudou todo o rumo da história. Do outro lado da linha estava a “tia Lucitânia”, responsável por decorar a igreja. Tadinha, ainda tentou driblar a Michelle e tratar do problema com a mãe dela, mas minha amiga, esperta que é, logo sacou que tinha algo errado. O jeito era desembuchar!

“Tia Lucitânia: Michelle, eu não queria ter essa conversa com você…  Mas é que… O teto da igreja DESABOU!

 😯 …Noiva em choque…

Michelle: Ãh.. Mas.. Como.. Alguém se machucou?

É uma fofa, não é? Se preocupou logo com quem poderia estar lá. Awn..   :mrgreen:

Tia Lucitância: Não, aconteceu de madrugada. Disseram que o vento tava muito forte e toda a parte de gesso do teto caiu! Quando cheguei aqui, já tava tudo no chão.

Michelle: Ah, tia, que bom que ninguém se feriu. Não tem nada, o teto vai ficar feio, mas não vai atrapalhar em nada.

Tia Lucitância: Não… Você não tá entendendo, minha filha. O Corpo de Bombeiros interditou a igreja por risco de desabamento! Ninguém pode entrar!”

Gente, para tudo! Virou manchete!

matéria de jornal

Ai, meu coraçãozinho! O pai da noiva correu até a igreja pra checar a situação e deu logo o diagnóstico de que eles deveriam agradecer a Deus por não ter sido durante a cerimônia.

Quando ele falou isso, que poderia ter acontecido uma fatalidade, eu caí no choro. Eu chorava compulsivamente. Minha mãe saiu da sala de massagem, nessa hora, sem saber de nada: ‘ai minha filha, a massagem foi ótima’; quando ela me viu, tomou um susto! 😯 Aí eu contei que o teto tinha caído e ela quase desmaia.

O pânico chegou, mas vocês sabem que desespero de noiva não pode demorar. As soluções têm que ser quase automáticas! No cearensês, “precisa que ser vuado”! 😀 O que fazer? Não havia a menor possibilidade de adiar o casório. Boa parte  dos familiares do noivo viajou do Paraná até o Ceará pra participar do casamento. Por outro lado, a igreja católica não permite realizar a cerimônia fora do templo. E agora??? No ditado do matuto: a solução era falar com o dono dos bois! E assim, eles fizeram. O cerimonialista ligou, simplesmente, pro arcebispo de Fortaleza (tá, meu bem?), pra interceder pelo casal, mas como a ordem vem do vaticano, não teve jeito. O pedido foi negado.

O desespero começou a bater, porque tinha familiares meus de Recife, de São Paulo. O meu esposo, que é de Foz do Iguaçu, estava com a família em peso, mais de 30 pessoas. E eu pensei, eu tenho que casar hoje! Não é possível!

Pensa rápido! 🙄

Todos os amigos e familiares com um celular à mão passaram a ligar pra toda e qualquer igreja que conhecessem, mas nenhuma tinha a data disponível. Mesmo assim, ninguém perdeu a esperança. `As 13h e mais uma ligação pro arcebispo, que a essa altura já devia estar muito contente, hahaha, o cerimonialista recebe a feliz notícia de que um casal que havia reservado aquele sábado desistiu da cerimônia, na cripta da Catedral Metropolitana, e o dia estava livre. 😮 O quêeeee? Morta! Isso mesmo, gente! Salvos pelo gongo! Uhu!   😀

igreja casamento

Resumindo, pra quem não tinha igreja, eu acabei casando numa das igrejas que eu acho mais bonitas! Casar numa cripta foi um dos presentes que eu jamais teria imaginado!

Ah, que bom que deu certo. Tá tudo lindo, beijos pra vocês… Calma! E pra avisar a lista inteira de convidados que o local havia mudado? Chama o mutirão novamente. Como a Michelle era a noiva mais organizada do planeta, ela tinha nome e telefone dos queridinhos, o que facilitou muuuito.

igreja casamento

Passada a turbulência, ficou só muito amor e gratidão!

noivos e pais da noiva

Não era pra menos, eu teria chorado do começo ao fim!!! De alegria, claro!!! <3

Noivos no altar

Noivos no altar

Às vezes eu vou em chás de panela de amigas que vão casar e elas falam que estão com medo, que pode dar algo errado e eu digo: ‘Gente, no dia do meu casamento, o teto da igreja caiu e eu casei! Deu tudo certo. Não tem nada que possa estragar o dia de vocês.’ Hoje, eu rio dessa história. Conto me divertindo, mas no dia foi um baita susto!

igreja casamento

É isso. Não há problema sem solução, amores! Tirando o pequeno detalhe de que nossa noivinha já havia investido 300 dilmas na reserva da primeira igreja e precisou desembolsar outros 600 continhos na segunda, tudo foi resolvido. Mas vale tirar, da história da Michelle, três super lições:

  1. Tenha as pessoas que você ama e confia bem perto de você. Elas vão te socorrer de todas as maneiras.
  2. Quanto mais organizada você for, mais fácil você sairá de situações inusitadas. Vocês já viram que não há casamento sem causos. Se você não ouviu falar de nada maluco que tenha acontecido, é porque guardaram em segredo de estado.
  3. Não desista. Sempre há uma outra opção e “o cara lá de cima” ainda pode dar aquela forcinha. 😉

No próximo post…

Na próxima quinta-feira tem várias historias inusitadas em um só casamento. Um casal lá de Juazeiro do Norte, no Ceará,  conversou com a gente e contou com muito bom humor as soluções que encontraram para os imprevistos do GRANDE DIA. Só pra vocês terem uma ideia, o carro da noiva ficou sem gasolina na esquina da igreja. Aparece aqui na semana que vem pra conferir tudinho!


Previous Post Next Post

You Might Also Like

5 Comments

  • Reply Lícia abril 30, 2016 at 10:40 am

    Kamilla. Amei o blog. Casei vai fazer 10 anos em 2016, mas quando li lembrei de uma causo do meu casório. Não sei como mandar a história mas o fato é que minha aliança sumiu na hora do casamento. Se você se intetessar pela história entra em contato. Bjuu

  • Reply Ter ou não ter cerimonialista? - Causos de Noiva abril 24, 2015 at 2:42 am

    […] Só pra citar alguns exemplos, lembra do casamento da Michelle em que o teto da igreja caiu? (Confira aqui) E a Bruna que casou em um jardim completamente aberto no dia em que a cidade ficou debaixo […]

  • Reply Aloha! Já pensou em casar no Havaí? - Causos de Noiva abril 16, 2015 at 9:16 pm

    […] a estória real em que o do teto da igreja caiu e tudo mudou no exato dia do casamento? Leia aqui). No sábado, a cerimonialista ainda ligou pra noiva e sugeriu: “aqui do outro lado da ilha […]

  • Reply Fabíola Vaz fevereiro 13, 2015 at 8:37 am

    Tacyyy, estou adorando o blog. Parabéns!!! =)

    • Reply Tayce Bandeira fevereiro 26, 2015 at 2:24 am

      Valeu, Fah!!!! Que bom te ver por aqui, amore! Que saudade!!! Beijo bem grande!

    Leave a Reply