Browsing Category

Criatividade

casamento e batizado no mesmo dia
Crianças no Casamento, Criatividade, Economia

Casamento + batizado = (emoção)²

Vocês lembram quando convoquei os maridos-noivos-leitores a participar com a gente aqui no blog? (Pra quem não lembra, foi nesse post aqui) Não é que já recebi alguns elogios e comentários do nosso querido público masculino e, pasmem, até um causo contado lindamente pelo noivo?! É pra aplaudir de pé, né, não?!  ♥  Marco da Escóssia é o nome dele! Patrícia é sua digníssima.

Lá atrás, em 2004, os dois namoravam há quase dois anos. A gente sabe muito bem como é a curiosidade pressão do povo. Depois de um certo tempo de relacionamento, a galera já começa a encher o saco perguntar:

“E aí, quando vai ser o casamento?” Quando sai a bendita união é a vez de: “quando vai vir o filho?” Depois do primeiro, já me avisaram que não para: “quando vão ter o segundo?”

No caso do Marco e da Patrícia, até já havia o pensamento de dar um passo adiante no compromisso. Mas as coisas não aconteceram assim, bem na ordem das expectativas e perguntas do povo. Por quê? Eles descobriram que estavam grávidos!

A notícia da gravidez caiu como uma bomba! E agora?! Casar às pressas? Acampar na casa dos pais? Não! Abrimos o jogo com nossas família: não temos condições de “brincar de casinha” agora!

Era hora de coçar os bolsos respirar fundo! Durante toda a gestação, a relação se manteve firme e forte, mas os pombinhos não saíram da casa dos seus respectivos pais. O casamento não havia sido deixado de lado, segundo o noivo (hum!), apenas era necessário organizar umas coisinhas básicas primeiro. ($$$)

Bernardo nasceu e só trouxe felicidade! Mas os dois continuaram morando cada um no seu quadrado.

bebê casamento e batizado no mesmo dia

Vou dizer logo que isso tem cara de enrolação, hein, Marco! Olha, olha… 🙄 Mas, calma. O noivo acabou explicando que o casamento no civil já tinha acontecido. O negócio mesmo era organizar toda a cerimônia religiosa, festa, além da casa nova.

Passados seis meses de vida do Bernardo, conseguimos, com muito custo e  muita ajuda (claro!), uma estabilidade que nos permitiu “juntar as escovas de dentes”.

Pronto! O dia do SIM no religioso foi finalmente marcado e foi planejado como um evento ‘dois em um’. Não, não foram dois casamentos em um só.

bolo de casamento e batizado no mesmo dia

Aconteceu o seguinte: como o bebê ainda não havia sido batizado na Igreja Católica, a Patrícia, noiva e mamãe, teve uma grande ideia 💡 : fazer o casamento e batizado no mesmo dia, em uma só festa!

Own mulher sabida! Bastava saber se algum padre ia topar de boa.

Procuramos o Padre Eugênio da Paróquia do Cristo Rei (em Fortaleza) que não se opôs. Só fez uma ressalva: vai ser uma cerimônia longa, mesmo sem muitos floreios, existem ritos destes dois sacramentos que não podem ser deixados de lado. Agora você imagina, cerimônia de casamento, quase sempre já é comprida, ainda juntar um batizado…

casamento e batizado no mesmo dia  votos dos noivos

Imagino! Mas os convidados já estavam avisados. No convite distribuído, na verdade, Bernardo era quem convidava todos para o próprio batizado e o casamento dos pais. Ou seja, nada de noiva como figura principal do evento, né?! O pequeno príncipe foi quem reinou absoluto desde os preparativos até o final das celebrações. É…esse amor e essa renúncia de mãe são difíceis de explicar, né?!

casamento e batizado no mesmo dia
O bebê entrou no cortejo com os padrinhos e, depois da celebração do casamento, foi batizado. O problema mesmo foi o calorão de janeiro na Terra do Sol (êta Ceará véi doido!). Na verdade, Fortaleza é quente o tempo todo, mas no verão, já viu, né?! Eu sofri tanto no meu casamento (pinguei de suor, olha o post aqui). O Bernardo, coitadinho, abriu o berreiro pra ver se alguém dava um jeito naquela ‘quentura’ toda! Só parou mesmo quando foi molhado na pia batismal.

casamento e batismo no mesmo dia

E ah, a cerimônia nem foi assim tãaaao demorada, (se comparada com alguns casamentos que já fui) e todo mundo curtiu e se emocionou em dose dupla!

A saída da igreja foi o mais legal. Patrícia abriu mão do buquê e saiu com o nosso filho nos braços. Foi muito bonito e simbólico!

casamento e batizado no mesmo dia saída dos noivos

casamento e batizado no mesmo dia e chuva de arroz

∗ Obs. Depois das formalidades, Bernardo logo tratou de dar um jeito no calorão! 😎

bebê em casamento e batizado no mesmo diaHoje ele já tem 10 anos e eu me sinto uma velha corocaaaa!  😥
Ah, Marco e Patrícia, quando vem o segundo filho mesmo? hahaha 😆

noiva e sogra
Criatividade, Economia

Casei com a sogra!

Já ouvi muitas vezes que uma mãe é capaz de matar e morrer por sua prole. O tempo passa a idade chega e frases como essa começam a fazer total sentido. Depois de todos os perrengues e comédias que vivi e presenciei no mundo casamenteiro, me atrevo a dizer que uma mãe é capaz de matar, morrer e até CASAR pelos filhos! Minha amiga, Jozy Sabry, não me deixa mentir. Hoje, ela pode abrir a boca e dizer: “Casei com a sogra! E, detalhe, não me arrependo, hein?!” Hahaha.

Casamento Civil

Eu explico! Em 2012, Jozy e o então noivo, Davi, decidiram casar. Só havia um probleminha: um morava em Fortaleza (CE) e o outro em São Paulo. Da Terra do Sol pra da Garoa e vice e versa são pelo menos três horas de avião, mas a viagem custa algumas (muitas) “Dilmas”. Era impossível ficar no vai e volta toda hora. Com a noiva de mudança e o casal juntando cada centavo pra começar a nova vida, toda economia era bem vinda. Pois bem. Ao dar entrada na papelada para a cerimônia religiosa, a Igreja pediu logo junto os papéis do casório civil. Seria mais um custo. Mais um voo, além do final de semana do curso de noivos e do dia da festa. Foi aí que a sogrinha, dona Olganê Sabry, entrou em cena!

Casamento Civil

A grande sacada foi convidá-la para “casar” no cartório com a nora, representando o filho. Checaram todos os trâmites e, apesar de ser um tanto incomum, o plano era possível e a noiva amou a solução!

Foi massa demais!!! Ela é um amor de pessoa, né? Tava sempre disponível pra ajudar a gente e ainda teve que se despencar da casa dela pra ir lááá no cartório do Mucuripe (Fortaleza), só pra assinar. Minha sogra é única! Existe não! Foi que nem um casamento civil mesmo: eu, ela e as testemunhas (minhas amigas do trabalho). :mrgreen:

Casamento Civil sogra

Casamento Civil

A sogrinha também adorou! Afinal, quando os filhos  dizem “sim”, as duas famílias viram “uma coisa só” e essa é uma das melhores partes. 😉

Eu fiquei lisonjeada com o fato de poder representar o meu filho num momento tão especial. Fiquei muito feliz. Depois, quando comentava com alguém, as pessoas diziam: e você foi? Foi emocionante? E eu: Foi, sim! E foi isso mesmo. Muito bacana poder participar de um momento tão único da vida do meu filho com a minha nora!

Casamento Civil - noiva e sogra

Missão cumprida! Depois, foi só esperar o dia do casamento religioso e da festa pra celebrar o amor e a criatividade!

noiva e sogra

Foi ou não uma excelente ideia?! 😀

Dica de Noivinha Experiente

  1. Não tenha medo de tomar decisões necessárias, apenas por não serem convencionais. Procure facilitar a sua vida e a do seu noivo. Alternativas como esta do casamento por procuração ou do religioso com efeito civil, como foi o meu caso com o meu marido,  podem ajudar muito a descomplicar o processo e poupar tempo.
  2. Pesquise e persista nas suas decisões. Não se deixe levar pelas críticas carregadas do velho “tem que ser assim” ou por opiniões sem fundamento para fazê-la mudar de ideia. Quando decidimos pelo religioso com efeito civil, algumas pessoas da igreja quiseram nos amedrontar, dizendo que nesse tipo de processo o casamento não pode ser desfeito nem se o cônjuge morrer, porque o padre não separa. E eu tava pensando em separar? Eu queria era casar! Hahaha… É cada uma viu? 😆

 No próximo post

A gente já cansou de dizer e provar por A+B que, em se tratando de casamento nem tudo sai tim-tim por tim-tim como planejado e idealizado. E tem algo na vida que é certinho assim? Desconheço! hahaha. No próximo post vamos falar novamente de um casamento diferente, que misturou união religiosa e batizado do filho dos noivos. Vem aqui na quinta-feira que vem! 😉

casamento surpresa
Criatividade, DIY

Um sonho e o casamento surpresa!

Ainda estou para achar uma mulher que não aprecie uma surpresa romântica. Os homens é que não sabem lidar muito bem com essa ferramenta infalível de agrado às namoradas e esposas. Mas, cá entre nós, com uma forcinha, uma dica aqui, acolá eles costumam arrebentar! Essa é uma dessas estórias de fazer queixos caírem!

Um belo dia, a Willy, nossa noiva da vez, é acordada pelas amigas às 5 e meia da madrugada (pra mim, é madrugada ainda). Com elas, vem uma cesta de café e o mais surpreendente bilhetinho, que dizia:

casamento surpresa

Ela aceitou, veio o noivado, alguns anos de enrolação planejamento e o casamento. Certo?! Claro, que NÃO! Minha gente, não estamos falando de um simples pedido de casamento surpresa, não! Trate-se de um casamento INTEIRINHO surpresa, com direito à convite, vestido de noiva, dia de princesa, cerimônia, fotógrafos, lua de mel, etc! A celebração, vejam bem, ia acontecer naquele mesmo dia. Isso mesmo que você leu! Dia do pedido = dia do casamento

Morri, comecei a chorar…não estava entendendo direito. Perguntei pelo noivo e disseram que ele já tinha saído cedinho. Na cesta de café, tinha o convite de casamento, a coisa mais linda, onde falava do meu sonho e tudo mais…daí, deduzi que faltavam apenas 4 horas para eu CASAR!!!

casamento surpresa

Quem morreu aí também?!  😉

Pois trate de ressuscitar porque você tem que acompanhar essa trama desde o comecinho.  Senta que lá vem estória (e das boas, viu?!)

Willy e o Carlos começaram a namorar em Fortaleza, exatamente no 25 de maio de 1983 (a mulherada se garante em lembrar das datas, né?!), na Mesbla Motos.

Eu era secretária da gerência e meu namorado chefe da Oficina. Com um ano e meio de namoro, ele resolve voltar para o Rio de Janeiro e montar a própria loja de motos. Foi aí que o namoro começou a ficar meio morno. Pensei: “Não posso perder meu príncipe”. Falei que queria ir morar com ele e de pronto ele respondeu: “venha que encaro a bronca!

casamento surpresa

E que bronca grande, viu?! Willy é a única filha mulher. Tem 5 irmãos marmanjos, que, com certeza, ajudariam o pai da moça a dar uma bela lição em quem se metessem com a meninazinha deles. A nossa noiva, muito corajosa, tratou de apazigar os ânimos.

Prometi ao meu pai que me casaria no civil e enviaria a certidão de casamento pra ele. E assim fiz. Tudo bem que demorou uns dois meses porque meu marido ficava enrolando…

Mas sabe como é, né?! A gente sempre sonha com uma celebração religiosa, uma festinha, uma “comemoraçãozinha” que vai além daquela assinatura mixuruca. Porque vou te contar, viu?! No meu casamento civil, por exemplo, a juíza de paz falou um texto lá, decorado e sem graça, pediu as assinaturas e pronto! Teve nem emoção. Achei o ó! 😡  #prontofalei

Tinha um sonho de casar no religioso. Nunca escondi isso de ninguém, nem do noivo. 🙂 Ano após ano alimentava isso no meu coração. Dizia pra mim mesmo: “o prazo máximo será as bodas de prata, depois disso, acredito eu, trato de esquecer esse sonho”

E assim passaram-se 25 anos!  😯

Tive 2 filhos lindos. Um casamento com altos e baixos. Uma pausa de 1 ano separados. Logo após essa pausa, um novo casamento, com o mesmo marido, restaurado e renovado, fincado na rocha que é Jesus. Então, meus filhos, marido e alguns amigos, sabendo do meu desejo, se mobilizaram para realizar o tão sonhado casamento.

Você está se perguntando: como eles conseguiram fazer um casamento surpresa sem a noiva perceber?

casamento surpresa
Bem, foram muitos eventos inventados por um povo super criativo e empenhado em fazer tudo sem levantar suspeitas. O plano 007 começou em setembro de 2010, já que em fevereiro de 2011, o casal iria fazer bodas de prata.

Reparem como houve uma força-tarefa para fazer cada coisinha na surdina:

  • Tapa no visual (preliminar): em uma confraternização de final de ano, a noiva “coincidentemente” ganhou de presente um dia de “princesa” num salão de beleza, com direito a unha de porcelana, depilação, corte de cabelo, etc. Com a insistência da filha, o voucher foi devidamente usado uma semana antes da data do casamento.
  • Músicas: uma amiga (Pri Loiola) insistiu muuuito pra que a Willy escolhesse umas canções de casamento, sempre dizendo “vai que você casa, né?!”
  • Alianças novas: o filho pediu a aliança de prata antiga dela, com a desculpa de verificar se cabia no dedo da namorada dele, e encomendou as alianças novas. Elas foram levadas até o altar pelos dois filhotes do casal.

casamento surpresa

  • Sandália: a nora usou a própria festa de formatura como desculpa para comprar, com a noiva, a sandália especial do grande dia.

casamento surpresa

  • Vestido de noiva: uma super amiga pegou um vestido de festa da Willy emprestado e o levou a uma outra friend (Elitânea), que ficou a responsável por confeccionar a peça dos sonhos. Detalhe: a noiva chegou a ver o vestido na fábrica da cúmplice (o plano era saber o que ela ia falar da peça, se gostou e tudo mais) e não desconfiou de nadinha. Só ressaltando que nossa personagem é personal organizer e se concentrou tanto em organizar o almoxarifado do lugar que nem deu muita bola pro vestido lá exposto…para desespero da galera que trabalhava nos bastidores do super evento.

Enquanto isso, eu soube que os convites estavam sendo distribuídos, os fotógrafos sendo contratados, a decoração sendo acertada, a banda sendo ensaiada com os melhores músicos e cantores (Sarquis, Aquiles, Thiago Negão, Filipe Flakes, Priscila Loiola, Orlando). Tinha lista de presente em loja!

convite do casamento surpresa

No dia 6 de fevereiro, eis que a festa começa. Amigas, bilhetinho, pedido, cesta de café da manhã, lembram, né?! Pois, foi um dia intenso de alegria. Um salão de beleza abriu exclusivamente para esta noiva especial e suas amigas. E era um dia de sábado, hein. Diga se essa mulher não é muito querida?!

casamento surpresa

Estava ansiosa para chegar a hora, ver meu noivo, meus convidados. Enquanto isso, um quebra cabeça ia se montando, começava a ligar uma coisa a outra. Aí era uma mistura de gargalhadas e choros…quanta emoção!!!

Lindíssima no vestido de noiva e com um chapéu elegantérrimo, digno dos casamentos reais, ela chegou à igreja. Do jeitinho que queria.

casamento surpresa

casamento surpresa

E ah, o pessoal não esqueceu nenhum detalhe. Havia até duas cerimonialistas organizando a movimentação.

Foi muito mais do eu pedi ou sonhei…superou em tudo, todas as minhas expectativas…Deus é mesmo muito lindo…e detalhista…em colocar marido, filhos, parentes e amigos em minha vida para no tempo d’Ele realizar o meu sonho!!! E hoje, quando olho as fotos, leio a nossa história contada em cordel (uma homenagem do meu afilhado, Euriano Sales), vejo o convite e meu bouquet emoldurados, bate um sentimento de gratidão a todos os envolvidos. Sei que eles enfrentaram lutas, estresse, mas optaram em correr o risco para realizar um sonho. Por isso que eu sempre digo: família e amigos fiéis é o melhor presente que podemos ter nesta vida!!!

casamento surpresa

 

casamento surpresa

Quem não queria um casamento surpresa assim?

noivo beija mão da noiva
Criatividade, DIY, Economia

A beleza de um casamento feito à mão

Com o que uma noiva sonha, quando aceita subir ao altar? O momento mágico em que dizemos sim ao nosso grande amor. O começo da vida a dois. Os primeiros meses de planejamento são pura alegria. Mas, uma hora ou outra, todo casal vê o projeto ameaçado pelos custos da celebração e da festa, que decolam mais rápido que foguete. Vestido + Bolo + Buffet + Decoração + Etc, Etc, Etc = $$$$$. É conta sobre conta. Há saída, meus amores, digo sem medo. Use e abuse do bom e velho do it yourself. 😉  Disposição, criatividade e um pouquinho de habilidade são tudo o que você precisa pra economizar e, principalmente, dar aquele toque intimista e único que só um casamento feito à mão pode ter.

Minha amiga, Taira Monezzi, nossa talentosa personagem de hoje, chegou a essa conclusão desde o começo.

Eu realmente gosto das coisas do meu jeito e queria gastar pouco. Só vejo vantagem. Se você tiver tempo disponível, vale à pena. Não só pelo dinheiro, mas acho que casamento é algo tão íntimo que é legal ter coisinhas feitas pelas nossas próprias mãos.

iniciais dos noivos em mdf

Com materiais encontrados em casa ou comprados baratinho em lojas de artesanato, a noiva caprichou nas criações. Foram meses de trabalho e, no fim, amigos e parentes mais chegados ajudaram o casal nos últimos detalhes. O resultado não poderia ser mais original!

lousa em casamentoOs pombinhos, Taira e Juan, casaram no dia 3 de agosto de 2014, em Ribeirão Preto (SP). O espaço rústico e verde ficou lindamente decorado. Um caminho de corações levava ao altar arrumado com flores de papel, cortinas de juta e fitas. Não ficou um charme?

noivos no altar

Temos que dar os créditos, aqui. A Taira deu um baile. Repara no bouquet de tule, fuxicos, contas e fitas que ela mesma fez. CHO-CA-DOS?!  😮

noivos se beijando com bouquet

E quem diria que discos de isopor, folhas de um livro antigo, renda e flores poderiam se transformar nesse lindo bolo? Sério, queria pra mim, gente! Os bonequinhos do topo também foram pintados por ela!

bolo fake

noivos topo de bolo de madeira

Com o varal de fotos, o casório ficou ainda mais intimista.

varal de fotos

E nem precisa dizer que os convidados amaram as lembrancinhas personalizadas.  😛

lembrancinhas casamentolembrancinhas casamentolembrancinhas casamento

No fim deu tudo certo. Economizei muito, todo mundo elogiou e até vendi a maioria das coisas de decoração que fiz! Hahaha.

brinde noivos

Parece difícil, mas não é!

Não há segredo, pessoal! Não saber costurar ou pintar como a minha amiga, Taira, não são desculpas para deixar de dar o seu toque especial no casamento. Há coisas super simples que você pode fazer e não pedem “experiência” com artesanato. Vou dar alguns exemplos mamão com açúcar que fiz para o meu casório.  😀

Bastidores de bordado e rendas diferentes viraram lindas molduras pras paredes do buffet. Por meses, juntei garrafas de vinho e espumante, decorei com recortes de jornal, usando cola branca, e elas se tornaram jarros bem bonitos. A canecas formando a palavra LOVE em papel adesivo, também, ficaram uma gracinha, não acham?

cenário do bolo

As rolhas das garrafas foram em vasos pra dar o tom rústico. Também comprei vidros pequenos, apliquei tecido nas tampas com cola quente, fiz um laço com fita de cetim, enchi com doce de leite e de banana e TCHAN-RAN: lembrancinhas deliciosas para os convidados.  :mrgreen:

Lembrancinhas, doces e decoração rústica

doces lembrancinhas casamento

Para os arranjos das mesas, fiz garrafas decoradas com barbante, tecido e renda. Como o material era mais difícil de aderir ao vidro, precisei usar cola de artesanato que encontrei em lojas específicas (pra ser sincera, acabei com o estoque de uma delas, hahaha). Pedi ajuda das tias e até das primas pequenas. No fim, todo mundo gostou, muita gente levou de lembrança e as que sobraram foram embelezar o casamento de uma amiga.  😉

garrafas decoradas casamento diy

Outra ideia legal foram as letras de cartonagem. Imprimi os moldes, colei em folhas grossas de isopor e recortei com estilete, depois cobri com tecido estampado, usando cola branca e pincel. Na internet há vários tutoriais. Dá um trabalhinho, mas fica super bonito na decoração.

Letras de Cartonagem

Na hora de jogar o bouquet (que substituí por cupidos), as solteiras (e algumas comprometidas, também) ganharam uma tiara com véu de noiva que fiz com tiaras cruas, fita de cetim, tule e cola quente. Marinheira de primeira viagem sofre um pouquinho, né? Queimei a ponta dos dedos algumas vezes, mas depois peguei o jeito. Aprendi o passo a passo em blogs e no querido-amado-lindo-tudo YouTube. Ninguém nasce sabendo, pessoal! Hahaha.  😆

Tiaras para as solteiras

A última das investidas malucas foi a leva de cataventos, hahaha. Convoquei minha prima, Cynthia, que é professora e já fez muuuuitos na vida, compramos cartolina colorida, palitos de churrasco e tachinhas e colocamos a mão na massa.

Nossa produção em escala resultou em 50 cataventos, todos devidamente testados no ventilador no 3! Haha. Se não girasse, voltava pra ser consertado. Ora mais! Enfim, fiquei sabendo que tinha um jardinzinho na parte externa do buffet e foi lá que se acomodaram os cataventos. Ficou uma fofura! Sempre que dava, ia lá fora comer um docinho ou fazer qualquer outra coisa só pra apreciar as “lindêzas” que tínhamos produzido madrugadas a dentro. Valeu à pena o resultado! And they lived happilly ever after depois, na festa do dia das crianças da minha escola e todos amaram também!

cataventos e noivos no jardim

Então, amores, é isso! Se vocês estão pensando em aderir à ideia, não tenham medo. Pesquisem na internet, conversem com outras noivinhas, inspirem-se aqui no blog, arregacem as mangas e façam vocês mesmos! Garanto que seu grande dia vai ser cheio de personalidade!!! 😎

*Fotos Tayce e André: Clécio Albuquerque e Jozy Sabry

No próximo post

Imagine estar pronta pontualmente, linda e ansiosa para casar e descobrir que todos já estão a postos, menos quem? O Padre! Até aí tudo, bem, atrasos acontecem. O problema é que, depois de horas, o religioso não tinha “dado as caras”! A Amanda Sobreira, nossa noiva da semana que vem, deu o jeito dela e casou mesmo assim! A gente conta tudo na próxima quinta-feira!

noiva joga o bouquet em casamento no parque
Criatividade, Economia

A exuberância da simplicidade

“O berimbelo-do-detalhe-da-fita-do-prendedor-do-guardanapo na decoração não ficou do jeito que eu queria. Estou desesperada!”.

Sim, ser noiva tem dessas coisas! Pior: às vezes, nos perdemos em meio a essa infinidade de pormenores. São tantas coisinhas pra organizar, contas pra pagar, tanta ‘rebimboca da parafuseta’ pra encaixar na nossa rotina maluca! No meu caso, cheguei a deixar até meu noivo meio de escanteio. Como pode?!

Sei também de algumas noivas que pediram empréstimo no banco pra fazer uma mega festa. Ah, não. Para, gente!

Hoje, vejo que atropelamos durante os preparativos, sem nos dar conta, a essência do casamento: a simplicidade e a leveza do amor.

Eu, particularmente, sou fã de quem consegue fazer uma celebração mais intimista, na qual a alegria dos noivos, de fato, é o principal elemento do ambiente. Ainda acho o máximo quando as noivas vão na contramão da sufocante indústria de casamento com criatividade e delicadeza.

noiva sorri em casamento civil

A Juliana, nossa personagem de hoje, é dessa vibe do “menos é mais”. Digo em relação à vida cotidiana mesmo. Ela nem pensava muito nesse negócio de casamento e seus detalhes até receber uma certa ligação.

“Em um belo dia de trabalho sem graça, o meu namorado (recém-reatado) liga e me pergunta, com aquela praticidade básica de um bom paulistano: o que você acha da gente casar?”

😯 Oi?

Nessa era de pedidos de casamento cada vez mais elaborados, com muito fuzuê, plateia, flashs, vídeo e pau de selfie, tá aí que gostei dessa simplicidade, que beira até mesmo uma inocência meio pueril, não é, gente?! A Ju até estranhou um pouco no começo.

“Confesso que nos sonhos esperava mais para o momento do pedido, mas gostei porque me senti livre para conversar antes sobre as minhas inseguranças”.

noivos se beijam em casamento civil

Pedido aceito, faltava apenas decidir: como vai ser a celebração? Bem… A noiva diz que se enquadrava no universo de proletariados sugados pela classe burguesa. Exageraaaaada! Na verdade, pessoal, ela era uma alta executiva de uma famosa editora. Pronto, falei! 😉

Mesmo assim, faltavam tempo, dinheiro e paciência para uma festa mais incrementada. Os pombinhos resolveram, então, casar só no civil.

“Mãe da Ju – Mas só no civil? Nã-nã-ni-nã-naum”

A Jack, a mãezona em questão, insistiu tanto que, a vontade de comemorar, seja lá como fosse, contagiou os namorados.   

A Juliana queria casar na praia, assim como a querida Darley (olha aqui como foi o casamento dela!), mas fazer uma festa fora da cidade de São Paulo, onde os noivos moravam, era algo impensável nesse momento.

E vocês sabem onde paulistano pega bronze (além da laje), né?! Nos parques!!! 💡  Pois é, fechou! A festa ia ser em um desses espaços públicos amados pelo povo da terra da garoa.

convidados soltam bolinhas de sabão em casamento no parque

A mãe da noiva se encarregou de ligar para administração do Ibirapuera, mas percebeu que o processo pra casar por lá era meio burocrático. Depois tentou o Parque Villa Lobos.

 “Mãe da Ju –  Moço é que quero fazer uma festa de casamento nesse parque aí. O que é preciso?  🙄

“Moço do parque –  É só ir e fazer! Boa sorte!”

“Mãe da Ju:  😮  🙂  😀 

“Corremos para 25 de março e fizemos a festa com o que tinha de mais charmoso, divertido e barato possível (chita para cobrir o chão e a mesa, coroa pink e tule para fazer meu ‘véu’ , suporte de papel amarelo para doces, taças coloridas, cestas para frutas, flores secas pro buquê, enfeite do bolo, etc.)”

noivos dançam em casamento no parque

Como era em um lugar aberto, o mau tempo poderia atrapalhar os planos. Pra dar mais emoção ao negócio, no dia anterior, uma chuva torrencial banhou São Paulo. Poxa vida! Casar com o parque todo enlameado não ia ser legal, né?! 

Para nOOOSSa alegriaaaa, no dia do casamento no parque, o sol apareceu e fez da comemoração um momento singular. O cenário da festa a la piquenique europeu foi montado na hora, com a ajuda dos amigos que iam chegando.

bolo com noivinhos em casamento no parque

“Minha mãe foi a grande responsável por tudo! Lógico que Deus entrou no meio de maneira assustadora. Ganhei o vestido de um amigo/pai, as fotos da turma do trabalho, a lua de mel de um casal de amigos, a confeiteira só aceitou metade do pagamento do bolo, amigos ajudaram com grana, uma tia me deu as alianças, enfim…uma provisão divina sequencial que me fez casar da forma que eu achava simples e gostoso. Lógico que com um pouco mais de grana melhoraria os detalhes. Mas o que fez ser especial não teve nada haver com o que o dinheiro podia proporcionar. Foi um casamento fora do convencional e que me fez viver o real propósito de festejar um casamento”. 

noiva se prepara para jogar o bouquet em casamento no parque

noivos se abraçam e se beijam em casamento no parque

Não preciso dizer mais nada, né?!

Chorei…

*Créditos das fotos: Verônica Mancini

No próximo post

Gente, na próxima quinta-feira vamos falar dos pajens e daminhas que são uma atração à parte no casamento, né?! Mas, às vezes, uma atração que não estava nos planos. Crianças, né?!  Elas aprontam umas coisas, que meu pai do céu…Venham e confiram as estórias na semana que vem!

 

 

Noiva com Buquê
Criatividade, Economia

Um lindo casamento fora da cidade!

O post de hoje é mais que especial pra mim. Não só por ser o primeiro do ano, mas por se tratar da história da minha grande amiga, Jamille Morais. <3 São quase 15 anos de amizade e, claro, muitos segredos e sonhos compartilhados. Como boa romântica que sou, sempre torci pra ela encontrar o amor pra vida toda e, em 2013, ela encontrou. Ou melhor, REencontrou. O príncipe era o Daniel Melo. Um amigo e amor antiiiiigo que, após mais de uma década sumido do mapa, reapareceu botando ordem na casa de vez, hahaha. O pedido foi super marcante, em frente ao colégio onde estudamos e onde eles se conheceram. Seis meses depois, os pombinhos já estavam a caminho do altar pra alegria geral da nação!!! Amor é assim, arrebata a gente e não quer saber de nada mais!!!

O casamento da bailarina com o “cara do marketing” tinha que ter identidade. Cada detalhe seria pensado pelo casal gracinha com muito carinho. Maaaas, vocês sabem… Ver o que queremos e como queremos, muitas vezes, requer trabalho em dobro. E eles ralaram pra caramba! Como eu, a Jamille teve pouquíssimo tempo e um orçamento apertado pra planejar o grande dia. A primeira boa alternativa foi utilizar a casa de praia do noivo, em Beberibe, a cerca de 80 km de Fortaleza, pra fazer a festa. Eles nem se preocuparam em lutar pra garantir uma vaguinha na agenda lotada da paróquia da cidade. Correram até a Praia de Morro Branco e lá conseguiram rapidinho e, o melhor, sem gastar sequer UM REAL, marcar a data na Capelinha de São Pedro dos Navegantes. Pronto. Era 27 de julho de 2014 e não dava mais pra fugir, hahaha. 😀

Igreja Casamento

Só que a aventura estava apenas começando! Como fazer um casamento bonito e diferente, com pouca grana e tão longe dos principais fornecedores? Criatividade, estratégia e amizade, meu bem! Cada um ganhou uma tarefa específica. Todos os talentos tiveram que aparecer. Quem sabia costurar? Quem cantava? Quem entendia de vídeo? E por aí vai… Eu recebi logo a encomenda das garrafas decoradas pras mesas dos convidados. Minha prima fez cataventos brancos. O vestido da noiva foi criação da tia dela. Outro amigo filmou tudo o que pôde e fez um clipe lindo pros noivos. Os brownies deliciosos foram arte do próprio casal. As mães dos noivos cuidaram da decoração e das lembrancinhas.

Lembrancinhas Mudas de Flores em casamento

Noiva em Casamento na Praia

E enquanto umas coisas se resolviam, outras se complicavam. Como se tratava de um casamento fora da cidade, fora até da Região Metropolitana, os orçamentos de cerimonial, flores e buffet móvel eram altíssimos. Foi muita pesquisa e dor de cabeça, até que eles decidiram contratar quase tudo por lá mesmo. A cerimonialista era de Cascavel, que fica bem próximo. O buffet, de Beberibe. Já as flores tiveram que sair de Fortaleza, transportadas na madrugada.

Casa para Casamento

O tempo passou voando e logo chegou o final de semana do casamento, quando TU-DO iria acontecer. E quem pensa que noivo não sofre, não conhece o Daniel. Ele cismou que queria uma tenda, mas tinha que ser feita por ele, com véus e bambus. Pois bem, encomendou o material e reservou o sábado, antes da festa, para a empreitada mais engraçada do ano. Parecia comédia de cinema mudo. 😆 Ele fincava as estacas, o vento derrubava. Colocava a coberta, o vento levantava. O sol tinindo, bronzeando a pele e torrando o juízo; e nada da bendita tenda ficar de pé. Já era noite, quando o projeto finalmente deu certo, com uma mãozinha do irmão dele, Rafael. Olha a bichinha lá atrás, na foto.

Noiva Jogando o Buquê

Do outro lado, estava a noiva com o carro cheio de daminhas e padrinhos seguindo para o ensaio do cortejo. A caminho da igreja, ela resolveu passar na casa. Quem achou de dar o prego? Todo castigo pra uma noiva desesperada é pouco, né? Hahaha. 😀 Bem uma hora depois, uma carona apareceu pra salvar a pátria. Com quase tudo pronto, a noite foi de ansiedade pela hora do sim e torcida pra que não chovesse, afinal é praia, né?

Ainda era madrugada, quando a correria começou na casa. Todo mundo se trocando. A decoração sendo finalizada. Enquanto isso, muuuuuuita gente ainda pegava a estrada, inclusive o irmão da noiva que ficou encarregado de levar o bolo. “Será que vai chegar inteirinho, aqui?” Era só o que ela pensava. 😯 Chegou, gente. Calma, respira!

Cada um deu o seu jeitinho pra estar lá a tempo, inclusive nós, a “turma da escola”, que saímos da capital às 7h da matina no Fiat Uno do nosso amigo, Gladson, mais felizes que menino indo pra excursão no Beach Park. A viagem de uma hora e meia teve direito a lenço no cabelo, estilo Thelma e Louise, trilha sonora do F.R.I.E.N.D.S e parada em posto de combustível pra trocar de roupa. Nenhuma maluquice com seus amigos é demais, né? 😛 Muito amor envolvido.

Madrinhas Casamento

Encontramos a capelinha e, em pouco tempo, o lugar estava lotado. De longe avistamos o carro da noiva. Todos estavam lá. Êpa, quase todos. Cadê o padre? Ligavam e ligavam pro número dele… E nada! Quase uma hora já havia se passado. Deu tempo até de comprar arroz num mercadinho lá perto. Seria o primeiro caso em que, no lugar do noivo, foi o padre quem fugira. Oh, meu Deus, como pode? Imagine só, os nervos da Jamille, esperando ansiosa dentro do carro. Já tava até pedindo a São Longuinho pra acharmos este hômi, quando, de repente, se aproxima aquele rapaz, com lupa de surfista e semblante descontraído. Acena e entra na sacristia. Segundos depois, ele estava prontinho. Era o dito cujo!

Noivos e padre em Casamento

Os contratempos foram esquecidos! A celebração foi linda, a noiva parecia um sonho, era alegria e só.  Teve beijo apaixonado e chuva de arroz. <3 Foi assim o começo do “felizes para sempre”!!!

Saída dos Noivos com Arroz

Detalhe: Depois descobrimos que o “padim” descolado era integrante de uma banda de rock religioso e tinha se apresentado na noite anterior  no Halleluya. Oo Deve ter celebrado o casamento “virado”, mas , apesar do susto que deu na gente, arrasou com umas palavras inspiradas na hora do sermão. No fim das contas, tenho certeza que a Jamille e o Daniel ficaram mais que satisfeitos com cada detalhe desse dia tão especial. Já as presepadas do caminho tornaram o sonho ainda mais divertido! Como é na vida real!!! 😉

Beijo dos Noivos

Bom humor e muito amor aos dois, sempre! =*

No próximo post

Você já considerou a possibilidade de casar no parque? Semana que vem, nós contamos a história de um casal que investiu na ideia e como o desafio valeu à pena!

noivos sorrindo depois do nervosismo de noiva
Criatividade

Quando bate o nervosismo de noiva…

Quem aí já teve uma crise de riso quando estava bem nervosa? Ou sentiu uma dor de barriga daquelas? No meu caso, ao menor sinal de tensão, pingo de suor, como vocês puderam comprovar no primeiro post do Causos de Noiva. Mas quero logo dizer: noiva e nervosismo são quase sinônimos e coisas, digamos, bem interessantes podem acontecer quando se está prestes a subir ao altar. Que o diga nossa amiga Claudinha Andrade!

mãos de noiva em nervosismo de noiva

Antes de mais nada, deixa eu fazer as honras da casa e apresentar-lhes devidamente nossa personagem real desse causo hilário.

Primeiro, esse diminutivo aí no nome pode até dar a impressão que Claudinha é daquelas menininhas frágeis, singelas, ingênuas. Esqueça! Nossa amiga é uma loirona, mega desenrolada e sem muitas firulas. Posso dizer, sem medo de errar, que muito marmanjo não tem a coragem dela, viu?! 

noiva se arrumando

Tem mais: não é qualquer coisa que deixa a moça nervosa, não! Ela é jornalista de TV. Apresentadora e repórter pra qualquer parada. Já perdeu as contas de quantas vezes entrou ao vivo. Sempre tranquila, firme, linda e loira, obrigada. Toda vez que eu entrava ao vivo, pra vocês terem uma ideia, eu sentia meu rosto ferver, minha garganta secar…Fora a cachoeira de suor, claro! Não é nada fácil.

Pois bem. Mesmo com um fantástico currículo emocional, Claudinha entrou em PÂNICO antes do próprio casamento começar. É o tal do nervosismo de noiva. Vocês nem vão acreditar no que aconteceu…

noiva segurando o buquet saindo do carro em nervosismo de noiva

Ela chegou pontualmente à Praia do Futuro em Fortaleza, Ceará, onde a cerimônia ia acontecer. O irmão era o motorista do carro. Por conta do vento forte, a banda ainda estava fazendo os últimos ajustes para que o som saísse perfeito. 

“Cerimonialista – Coloque o carro da noiva ali em frente à outra barraca. Ainda não está na hora!”

Então tá, né?! De dentro do carro, a nossa noiva pôde ver o convidados chegando.

O tempo foi passando, passando… uma sutil e intrusa vontade começou a se aprochegar: a vontade de fazer xixi! Até então, um desejo secreto. 

“Cerimonialista – Claudinha, o cortejo vai demorar um pouco para começar, ok?!

Claudinha – Mas, assim, se por acaso der vontade de fazer xixi?

Cerimonialista – Não faz! Aguenta até o fim! Por quê? Você está com vontade?

Claudinha – Não, só curiosidade mesmo.”

Nossa amiga pensava que a vontade ia passar, mas sabe como é…em um momento de fortes emoções como esse, ela SÓ AUMENTA! Foi aí que o desespero bateu ‘dicumforça’.

“Acho que vou prender. Mas e se a cerimônia demorar demais?”

O irmão dela entrou no cortejo e depois voltou para estacionar o carro em frente à barraca da cerimônia.

“Claudinha (desesperada) – Você vai ter que conseguir um copo descartável! Eu quero fazer xixi!

Irmão: 😯

Eu tenho uma pena dos irmãos das noivas em casamento. Eles sempre se metem em cada roubada por conta dessas mulheres que amam hahaha. Esse pobi saiu correndo e batendo em todo estabelecimento que via, na implacável busca por um simples copo descartável. Mas ele não conseguia. Tadinho! 

Enquando isso, Claudinha usava todo seu poder mental para segurar o líquido indesejável. Mas estava difícil. Quase um martírio.

close do rosto da noiva loira e de olhos verdes em nervosismo de noiva

De repente, ela avistou uma garrafinha, essas squeeze de plástico, dentro do carro. Seria a salvação? Ah, teria que ser. Mesmo com a boquinha menor em relação ao copo, ia dar certo.

“Pedi pro meu pai sair do carro. Tirei a tampa da garrafinha, levantei as milhares de saias e forros do meu vestido hahahahaha, mirei e fiz! E quase não acaba, viu?! Depois joguei a squeeze no lixo”

Vocês leram isso? Eu quase não consigo parar de rir!!!

Alguns minutos depois, o irmão dela volta todo contente por ter conseguido o bendito copo.

 “Claudinha – Ah, meu filho eu já fiz!

Irmão – No vestido?  😯

Claudinha – Claro que não! Depois eu conto!”

pai beija noiva na testa na entrada do casamento na praia

“Fui casar, de bexiga vazia, muito feliz e bem mais aliviada”

Hahahaha Ainda não parei de rir, gente! Calma. Estou me recompondo. 

casal caminha em direção ao altar em casamento na praia

Alguém duvida que essa mulher é mega desenrolada?

Claudinha hoje já é mãe de uma princesa, fruto dessa linda união. A filha, com certeza, vai dar continuidade a essa geração de mulheres irreverentes e sensacionais!

Multiplica, Senhor! 😉

saída de casais de noivos na praia em nervosismo de noiva

No próximo post

Na próxima quinta-feira, tem uma história de uma noiva que resolveu casar de manhã e em um lugar distante da cidade. Se casar de manhã já é uma correria danada, imagine ter que preparar toda uma logística para um ‘senhor’ deslocamento logo nas primeiras horas do dia! Cada coisa aconteceu, viu… E a gente conta tudinho!

noiva de jangada
Criatividade

Em casamento na praia, vamos de jangada!!!

Basta pensar no cheirinho de maresia e na vista incomparável do litoral do Nordeste e eu já quero casar de novo, só pra ter uma versão praiana da festa (hahaha, meu marido enfartando aqui!!!). Muitos casais compraram a idéia e o casamento na praia virou um negócio lucrativo e, ao mesmo tempo, absurdamente caro. Muuuuita gente, por sua vez, desistiu da opção rapidinho só de ver os preços, mas, meu povo, algumas noivinhas são duras na queda, viu? Minha amiga Darley Melo, talentosíssima jornalista de Fortaleza, era dessas que tinham muito fôlego (e lábia pra gastar também, hehehe).

Ela conheceu o marido, Gustavo, na praia e nada mais justo que esse também fosse o cenário do dia do SIM. Só tinha um detalhe, a Darley não só sonhava em casar de frente pro mar, tinha que ser, digamos assim, I-NES-QUE-CÍ-VEL! O primeiro passo foi procurar o local para a festa e a cerimônia. Depois de muita pesquisa, eles escolheram uma casa na Prainha, em Aquiraz, a 20km de Fortaleza. O lugar era perfeito, bem no encontro do rio com o mar e, o melhor, uma pechincha em comparação com as outras opções. Pra aproveitar ainda mais o momento, os familiares mais chegados e os noivos decidiram passar logo o final de semana por lá e fizeram o esquema “casamento americano”, com todo mundo ajudando nos preparativos.

Casa do casamento na praia
Chegou o dia 18 de março de 2012! Dava até pra cantar Jeneci: “Pra gente se casar domingo, na praia, no sol, no mar…” Assim que amanheceu, cada um tinha uma tarefa. O noivo foi com os amigos fixar as placas indicando o trajeto para a casa (pelo amor de Deus, não queremos ninguém perdido!!!)
Planas indicando local do casamento
A mulherada também tinha muitos afazeres, portanto… Foi tomar um banho de mar (porque ninguém é de ferro, hehehe). Foi quando a Darley viu a idéia mirabolante “literalmente” surgir diante dos olhos: “Fiquei refletindo sobre a importância daquele dia. (…) Eu não seria mais solteira… Aquele era meu último domingo como uma donzela desamparada. 😉 Todo aquele tempo de enrolação (6 anos e meio de namoro) ia acabar em algumas horas! Entre pensamentos e alegrias, me deparei com uma jangada que chegava do mar com apenas um pescador… É isso! VOU CHEGAR NA CERIMÔNIA DE JANGADA!!!”
Oi?!
É ou não é coraaaagem?! No meu caso, que não sei nem nadar, tinha que ir de bóia, hahaha. 😀
Voltando…
Aí veio a negociação, nas palavras da noiva:
“Darley – Ei moço, quanto você cobra pra me levar pro outro lado do rio? Até aquela casa?
Pescador – Agora, moça? Baratinho.
Darley – Não, só às 16h30. Vou casar.
Pescador – Eu cobro 200 reais!  
Darley – OI? DUZENTOS? Moço, não são nem 200 metros!
Pescador – É porque pra casamento é mais caro.
Darley – E o senhor sempre leva noivas pra lá por esse preço?
Pescador – Não, nunca vi nenhuma noiva por aqui, não. Você é a noiva?
Darley – Moço, me ajude.
Pescador – Vou por 100 reais!”
 Local do casamento na Praia
Até os jangadeiros entendem do mercado casamenteiro, meu bem, não se engane! Hahaha. 😉 Bom, com o negócio fechado, minha amiga, Darley, estava determinada a seguir o plano babado e deixar todo mundo de queixo caído (inclusive o noivo lindo, que não sabia de nadinha).  “Era isso ou entrar a pé, pela calçada, igual a todo mundo. Não, sou única!” Só teve um probleminha. Na empolgação, ninguém lembrou de pegar telefone ou endereço do tal pescador. O jeito foi esperar que ele cumprisse a promessa de aparecer no local e horário marcados.

Minutos antes do casamento, chega a comitiva com a noiva, a assistente do cerimonialista e o primo do noivo, Tiago, os dois últimos #chateados nada felizes com a idéia surpresa, que se desse errado poderia colocar o casamento por água abaixo de verdade. E se chover? E se você cair no rio? E se, e se…? Nada a convenceu, ela estava decidida. Quando desceu do carro de vestido branco, salto e buquê, ainda posou pra foto com um monte de banhistas, mas depois dos 15 minutos de fama… Cadê o pescador? É… Rapadura é doce, mas não é mole, não. Oh desespero! O jeito foi procurar outro jangadeiro (não falei que ela não desistia?!). Logo encontrou um rapazinho que já se preparava pra ir pra casa. E tome lábia: 
“Darley – Ei, moço! Quanto você cobra pra me levar até aquela casa depois do rio?
Jangadeiro – Vai casar, é???
Darley – Sim, eu vou! Quanto você cobra? É que eu combinei com outro pescador e ele não veio. Estou desesperaaaada!
Jangadeiro – Quanto ele cobrou?
Darley – 25 reais. (Ah, moleeeeque, hahaha.)
Jangadeiro – Cobro 50.
Darley – Moço, mas só vim com 25.
Jangadeiro – Tá eu faço por 25.
Darley – Moço, é que a (jangada) dele era bem pintadinha, ajeitadinha… A sua é menor e tem uma cadeira azul na frente…
Jangadeiro – Hummm…
Darley – Mas, na verdade, vou dizer a real… Tô pobre, gastei muito no casamento…
Jangadeiro – Moça, faço por 20 e ponto final.
Darley – Pronto. Tô só com 10 aqui, mas lá do outro lado te dou os outros 10, tudo bem?”

Depois de tanta luta, o desfecho perfeito!
Chegada da noiva de jangada
Em menos de 4 minutos, ela já estava do outro lado, em terra firme, intacta, linda e feliz nos braços do seu amor! Detalhe, nem o pai da noiva sabia do plano. Todo inocente, esperando a filha do outro lado, hehehe. Muita emoção, inclusive pra ela: “Não chorei, só pensei na nossa música, quando tocou. É… Meu marido e meus convidados vão demorar a esquecer esse dia! E olha que tudo isso só me custou 10 reais!”
noiva de jangada noivos e pai da noivaD&G3
Você que pensa, Darlinha! O seu casamento na praia dos sonhos custou, também, um jogo de cintura que muuuitas de nós queríamos ter, viu?! :*
PS.: O pobre do jangadeiro, por sua vez, deve ter visto que ia esperar demais e foi embora, se contentando só com os 10 contos que tinha no bolso. Espero que ele não leia esse post, hein? Hehehe. 😛

No próximo post…

Toda noiva fica uma pilha de nervos, minutos antes do casamento. Pois é, nessa hora, o inacreditável pode acontecer! Tipo… Uma vontade louca de fazer xixi, exatamente quando você deveria entrar na cerimônia! Quinta-feira que vem, nós contamos como a Claudinha Andrade resolveu isso!!!