Noiva se arrumando
Erros e lições

A Fé não costuma faiá… Nem debaixo de chuva!

Já dizia Gilberto Gil, quando as coisas desandam e você não tem o controle, melhor confiar, que a Fé não costuma “faiá”. Pode-se dizer que a minha amiga Bruna Arantes, nossa linda noiva de hoje, compreendeu a mensagem depois de um susto que quase levou o grande dia, literalmente, por água abaixo. Para cada caso, um causo. Não tem jeito!  😉 

A Bruna e o Augusto tinham um ano de namoro, quando ele a pediu em casamento. Tudo como manda o figurino, com direito a jantar romântico, lágrimas de alegria e muitos beijos. A data especial seria 3 de janeiro de 2015, o que dava ao casal 12 meses para preparar o dia tão sonhado. Fãs de carteirinha do estilo outdoors, claro que eles escolheram um buffet aberto, em Fortaleza (CE), onde diriam o “sim” no jardim, embaixo de uma árvore belíssima ao pôr do sol. Visualizaram a cena?

Foram 350 dias, pesquisando decoração rústica, bolo, vestido de noiva, escolhendo lista de música, idealizando convite, enfim. Como eu e meu noivo somos muito organizados, fizemos planilhas, acompanhamos cada fornecedor, tudo com antecedência. Um mês antes do casamento já estava tudo pronto.  Agora era só receber bem cada convidado que estava chegando em Fortaleza.

Imagine o “nervoso” dos últimos momentos antes da cerimônia. Agora, pense na correria quando se tem 80% dos convidados vindos de outros estados do Brasil para a cerimônia. Apesar de o casal morar, na época, em Fortaleza, nenhum dos dois é natural da terrinha. Resultado: Havia parentes e amigos chegando do Rio Grande do Sul, de Minas Gerais, de Pernambuco, de São Paulo, de Rondônia e por aí vai. O clima bom de festa já estava no ar! Foi quando, de repente, o tempo fechou.

Chega a véspera do casamento e eu pergunto pro meu noivo qual seria a previsão do tempo, pois, apesar do imenso calor, era bom conferir a previsão… E é aqui que nossa história ganha um novo rumo. Chuva! Como assim chuva logo no inicio de janeiro? Está muito quente. Não chove há meses, impossível chover agora. Claro que quem decide casar ao ar livre deve pesquisar sobre a época chuvosa e se preparar para possíveis imprevistos, mas na minha reunião geral com todos os fornecedores, sempre que eu sugeria um plano B para chuva, todos diziam convictos que não choveria no dia do nosso casamento. Infelizmente, todos erraram.

Caiu, em Fortaleza, uma chuva digna de São Paulo, com raios e trovoadas. O teto do maior shopping da cidade desabou. Alas do Hospital Geral ficaram alagadas. Algo que não via na cidade há pelo menos 5 anos resolveu acontecer no dia do casamento da Bruna e do Augusto.

Notícia Jornal O Povo

O barulho era assustador, uma chuva pesada, as lâmpadas da minha casa começaram a piscar e eu corri para os braços do meu noivo. Chorei de medo e frustração. Um filme passou em minha mente. Cada flor, cada objeto feito à mão, nossa cerimônia embaixo da árvore , o planejamento de um ano inteiro, tudo indo, literalmente, por água abaixo. Eu e meu noivo não tínhamos mais o controle da situação, a realização do nosso sonho não dependia mais de nós dois. Lembrei da passagem bíblica de Mateus 8 , onde Jesus  dormia dentro do barco e seus discípulos o acordaram desesperados por causa da tempestade, pensando que iam morrer. Então, Jesus se levanta e faz a tempestade parar. Me vi sem fé. Meu noivo tentando me tranquilizar, me dizia “Linda, vai passar você vai ver”. Decidi confiar em Deus. Vamos manter o planejamento.

O noivo seguiu para o buffet, queria acompanhar tudo de perto. Todas as possibilidades foram levantadas. E se contratassem toldos? Acontece que a chuva e a ventania eram tão fortes que todos sairiam molhados anyway. A previsão é de chuva para todo o dia. A cerimonialista ligou para os fornecedores, já dispostos a adiar o casório para o dia seguinte. Mais um problema. E os convidados que estavam hospedados em hotéis conseguiriam mais uma diária em cima da hora e em plena alta estação? Quem garantia que o domingo não seria de chuva também? E o mais importante: os pais do noivo e a família do irmão dele estavam com passagens compradas pra Nicarágua para o dia 4, pela manhã.

Ah, promessa sem jeito, Chicó! Hahaha. Se adiar não era uma opção, quem sabe procurar outro buffet, dessa vez coberto? Missão impossível? Se eu disser que eles até encontraram um, mas nem todos os fornecedores toparam a mudança não-programada. Já era por volta de meio dia, quando a chuva deu uma trégua. O noivo, firme e confiante, insistiu em manter o planejado, tinha certeza de que o tempo iria abrir e tudo daria certo, apesar de os meteorologistas teimarem no contrário. Segue o combinado. A noiva correu para a pousada, onde teria algumas horas para ficar pronta, enquanto torcia para que a chuva fosse embora de vez.

Às vezes, vinha na minha cabeça, será que tudo vai ficar pronto no horário? Aviso os convidados que vai atrasar? E eu lembrava do meu noivo. Confiar em Deus era minha única opção. Nesse dia aprendi que Deus tem que ser maior do que qualquer sonho que a gente venha a ter. E numa pousada linda, com vista pro mar, em Aquiraz (CE), de uma maneira única e inesquecível, indo contra toda previsão climática, Deus abriu o céu e deu a ele uma cor especial. Meus olhos se encheram de lágrimas, dessa vez era de emoção e gratidão. O céu estava lindo e eu estava pronta.

Noiva sorrindo

Noiva e Amiga

Enquanto isso, no buffet, os fornecedores corriam contra o relógio pra deixar o lugar perfeito para os noivos e convidados. E olhem que, mesmo com tanto sufoco, o casamento começou com apenas uma horinha de atraso! A cerimônia teve início, exatamente, às 17h.

Entrei ao pôr do sol, com um céu maravilhoso e o coração transbordando de gratidão.

Casamento Bruna e Augusto

Chegada da Noiva

O noivo já fez logo a cara de: Eu não falei? Tá tudo lindo!  :mrgreen:

Noivos

Muitos ali choravam de alegria e emoção. Eles acompanharam tudo. Estávamos todos admirados. A grama estava seca. Nada ali dava pista de ter passado por um temporal. Tudo era bonito e surpreendente.

casamento ao pôr do solNoivos e pais dos noivos casamento ao pôr do sol

De brinde, Deus ainda sorriu pra nós em forma de lua cheia, como se quisesse nos lembrar de que esteve o tempo todo cuidando de tudo, sonhando junto com a gente.

Casamento lua cheia

O final foi tão feliz que teve até selfie do Oscar!

selfie casamento

Dica de Noivinha Experiente

Quanto mais o tempo passa, mais aprendemos com cada causo, não é verdade? E como Murphy já provou que existe, não custa nada termos alguns conselhos em mente ao organizarmos nosso dia. 

  1. Plano B: Meninas (e meninos), nada melhor do que um plano emergencial. Ter uma carta na manga para caso de chuva, pode nos salvar de sustos como o que a nossa noivinha, Bruna, passou. Evite os meses da estação e até da pré-estação chuvosa (quando as primeiras precipitações já podem ocorrer, como é o caso de dezembro e janeiro em Fortaleza). Se você quiser mesmo casar em local aberto, nesse período, ter uma parte do orçamento separado para contratar um toldo, caso precise, é muito importante. Vários buffets abertos até oferecem o serviço de aluguel. Outra dica é escolher um lugar que, além do jardim, tenha também uma área fechada. Em caso de imprevistos, pode-se mudar a festa para o ambiente coberto. 
  2. Sempre há uma solução: Na hora em que o problema acontece, muitos só conseguem enxergar o que está errado, enquanto devem focar nas formas de resolver a situação. Quando o assunto é casamento, não há tempo a perder. É engolir o choro e partir pra ação. Tenha Fé! Copiado? 😉 

No próximo post

Já imaginou ter um casamento surpresa, com tudo que você sonhou na cerimônia e na festa? Como assim, né?! Pois você vai se surpreender semana que vem. O Causos de Noiva conta essa história na próxima quinta-feira! Volta aqui pra conferir!  😉 


Previous Post Next Post

You Might Also Like

8 Comments

  • Reply Chuva de amor • Causos de Noiva janeiro 22, 2016 at 3:57 pm

    […] Realmente essas histórias aí que parecem mentira existem, viu?! Inclusive, tem uma impressionante aqui do Causos, que me emociona toda vez leio. Olha só ela aqui.  […]

  • Reply O que fazer quando o fotógrafo frusta seu sonho? • Causos de Noiva novembro 12, 2015 at 12:10 pm

    […] Na primeira celebração, em setembro de 2014, a chuva não deu trégua durante a maior parte do dia e a noiva já se via afogada em desespero, já que a cerimônia iria ser ao ar livre. Gisele mal aproveitou o dia da noiva, feito juntamente com o noivo. Apenas minutos ates do casamento, o sol deu o ar da graça. (Leia também nosso post emocionante sofre chuva e fé. Aqui!) […]

  • Reply Renata Mundim maio 25, 2015 at 2:06 am

    Me emocionei com essa história! De verdade… Fiquei com lágrimas nos olhos! Quanta fé! Que beleza!!!
    Parabéns aos noivos por ACREDITAREM! Que Deus continue lhes abençoando tão grandemente!
    Um grande abraço

    • Reply Tayce Bandeira maio 26, 2015 at 11:26 pm

      Muito linda, essa história, né, Renata!? Nos inspira a acreditar que, com fé, tudo é possível! <3 Obrigada pela visita, adoramos ter vcs conosco! ;*

  • Reply E agora, ter ou não ter cerimonialista? - Causos de Noiva abril 24, 2015 at 2:42 am

    […] Bruna que casou em um jardim completamente aberto no dia em que a cidade ficou debaixo d’água? (Leia este causo) O cerimonialista vai simplesmente lhe ajudar a planejar, executar e resolver profissionalmente o […]

  • Reply Bianca março 13, 2015 at 7:58 pm

    Adorei essa narrativa daquele tenebroso e depois magnífico dia!!!! Realmente só dava para confiar em Deus. Deus se faz presente sempre quando estamos reunidos em Seu nome, mas nesse dia, Ele quis garantir que não haveria dúvida sobre Seu poder e Sua ação na vida de vocês afilhados queridos e por isso fez questão de ser o primeiro a assinar o livro dos convidados. E o que é o casamento religioso senão o convite para que Deus venha unir 2 em uma só carne e se fazer presença durante toda essa vida???? Beijos com saudades da família que por hora está na distante Nicaragua!

    • Reply Kamilla Ladeira março 14, 2015 at 11:55 am

      Bianca, que fantástico seu comentário! Obrigada por deixá-lo aqui.Bjs

    • Reply Tayce Bandeira março 14, 2015 at 5:25 pm

      Nossa, Bianca! Muito obrigada pelo comentário lindo! É verdade, a história da Bruna e do Augusto é um sinal do amor de Deus por nós! Ele cuida de tudo, principalmente, quando não temos mais o que fazer e prepara para que a nossa felicidade seja completa. Ficamos muito felizes em poder contar esse causo e inspirar outros casais! 😀 Tudo de bom aí na Nicarágua! :*

    Leave a Reply